Eleições na terra da jabuticaba

0
3266

Quatro jovens investem na vida política visando a construção de uma terceira via para a disputa de outubro. De previsível, tem a busca pela reeleição do atual prefeito, Paulo Sérgio de Rezende, e a oposição de seu antigo aliado, o despojado Bruno do Posto

Daniela Martins

Conhecida regional e nacionalmente apenas por seu turismo temporário em épocas de jabuticaba – aquela frutinha de cor negra arroxeada –, Hidrolândia está prestes a buscar novas fontes de emprego e renda através do investimento na industrialização da cidade. Pelo menos é o que pretendem quatro jovens pré-candidatos que, ora de forma independente ora juntos, falam em viabilizar “a terceira via” na disputa pela Prefeitura. São eles: Fernando Nazaré (PPS), atual vice-prefeito; Casimiro Neto (PV), funcionário público da Receita Federal; o vereador José Délio Júnior (PTN); e o engenheiro ambiental Germano Augusto de Oliveira (PSC).
O cenário político de Hidrolândia, município distante 33 quilômetros de Goiânia e que integra a Região Metropolitana da Capital, é simples.
De um lado está o atual prefeito Paulo Sérgio de Rezende (DEM), que tem trabalhado para viabilizar, a partir do meio do ano, sua candidatura à reeleição. “Temos 13 partidos que compõem nossa base, serão os partidos que vão continuar”, sintetiza.
Paulinho, como é chamado, avalia que as perspectivas para a sua reeleição são as melhores possíveis. “Trabalhamos firmes durante esses três anos e três meses, mostrei para a população meu trabalho e conseguimos formar um grande grupo, aglutinar muitos partidos dentro deste projeto. E estamos trabalhando, esperando chegar as eleições”, enfatiza.
Quando chegar a hora do embate eleitoral, Paulinho pretende mostrar as ações que fez à frente da Prefeitura. Para o futuro, numa possível segunda gestão, o projeto seria “continuar trabalhando pelo município, buscando melhorias a cada dia e dar continuidade ao nosso trabalho”.
A seu favor tem a boa avaliação da gestão. Paulinho foi considerado o terceiro prefeito mais influente em cidades com menos de 100 mil habitantes em Goiás, em ranking elaborado pela agência Contato Comunicação no início deste ano. “De mês em mês, eu entrego uma obra ou um benefício para a comunidade”, observa o prefeito, que cita algumas: asfalto e redes pluvias em três bairros, reforma de escolas, travessia da Distrito Mendonça, que liga o Centro ao Morado do Sol.

OPOSIÇÃO
Na outra ponta está o empresário Bruno do Posto (PSB), antigo aliado do prefeito que agora lidera a oposição. “Trabalhei para aquele infeliz, nós rompemos. A gente não combinou, e no primeiro dia que ele entrou lá (na Prefeitura), a gente rompeu”.
Figura despojada no jeito de falar, Bruno é dono de um posto de combustível na cidade e garante que “a melhor coisa vai ser enfrentá-lo” (ao prefeito), mas admite ainda não ter um discurso viabilizado para isso. “Estou conversando com o meu marqueteiro, mas que eu quero enfrentar ele, eu quero”.
Natural de Sertânia, no Pernambuco, Bruno do Posto está em Hidrolândia desde 1990. Veio de Pernambuco, onde sua família já vivencia a política, seu pai foi vereador, prefeito e é atualmente vice-prefeito na cidade pernambucana.

TERCEIRA VIA
É na construção da terceira via que parece estar a maior novidade na política de Hidrolândia. Nesse grupo estão quatro pré-candidatos – José Délio Júnior, Germano Augusto, Casimiro Neto e Fernando Nazaré –, que ao final devem entrar em um acordo para a formação da chapa única com os candidatos a prefeito e vice sendo escolhidos entre eles.
O mais jovem vereador eleito na Câmara de Hidrolândia, José Délio Júnior (PTN), 27 anos, é um destes entusiastas. Advogado, funcionário municipal da Prefeitura licenciado, José Délio defende uma política “nova, jovem e dinâmica”. É dele a bandeira da geração de emprego e renda através da industrialização do município.
O vereador destaca que Hidrolândia está em franco crescimento populacional e propõe transformações na economia que beneficiem seu desenvolvimento. “Temos que tentar industrializar o município de maneira adequada e ordenada, para garantir uma arrecadação boa”, argumenta o pré-candidato, justificando a proposta com o que chama de “situação privilegiada”. “Estamos na Região Metropolitana, às margens da BR-153, temos toda a logística para receber grandes empresas que podem trazer empregos e gerar renda para a cidade”.
Engenheiro ambiental e empresário, Germano Augusto de Oliveira é o nome do PSC, partido do qual é também presidente municipal. Nas últimas eleições para a Prefeitura de Hidrolândia foi candidato a vice na chapa que ficou em segundo lugar, alcançando 4.100 votos. Já ocupou cargo de chefia no Departamento do Meio Ambiente por três anos, em gestão anterior.
Sobre o grupo dos quatro pré-candidatos, Germano mantém o discurso de José Délio. “Vamos lançar a candidatura já pensando nesse pleito de agora, em obter êxito. São todos cabeças pensantes, profissionais, cada um em sua área, que vai dispor da sua atividade para dedicar um pouco de seu tempo a essas ações sociais e administrar o dinheiro público”, salienta.
Na proposta de uma possível candidatura está o objetivo de trabalhar pelo social e pelo desenvolvimento econômico de Hidrolândia. “Vamos fortalecer a questão de saúde, educação, melhorar a infraestrutura do município, reverter tudo aquilo que a gente julga hoje, e que por isso estamos caminhando para uma terceira via”, explica.
Nesse momento de pré-campanha, em que cada um dos quatro pré-candidatos da terceira via realiza um trabalho independente, Germano enfatiza mais uma diferenciação do grupo. “Hoje tem dois pré-candidatos (fora da terceira via), um é o prefeito e o outro se julga de oposição, mas não traz nada de novo. Um trabalhando com a máquina, outro trabalhando ainda naquela questão de conquistar o eleitor, o simpatizante, através do dinheiro ou do interesse pessoal. Nós não, nós estamos pensando numa linha diferente, queremos arrecadar e reverter todo dinheiro arrecadado em benefícios para a comunidade”, afirma.
Para Casimiro Neto, Hidrolândia é a bola da vez da Região Metropolitana de Goiânia. Funcionário de carreira da Receita Federal e advogado por formação, Casimiro Neto é pré-candidato pelo PV. Seu avô, Casimiro Lino já foi prefeito da cidade. Ele, por sua vez, entrou para a política agora. “Alguns amigos me incentivaram a colocar nosso nome à disposição do partido e iniciar este trabalho. É o início e estamos bastante satisfeitos com o andamento”, sintetiza.
Nome forte para encabeçar a chapa da terceira via, Casimiro Neto também levanta a bandeira de uma nova política, de mudanças. “A gente vem de uma formação, tanto familiar quanto da carreira, de bastante honestidade e transparência nas coisas que a gente faz, e a nossa bandeira é essa de mudança e seriedade na política. Que não só a nossa cidade, mas o nosso país está procurando”, enfatiza.
Nesse primeiro momento, Casimiro garante que o foco é o fortalecimento da pré-candidatura. “É hora de apresentar nossas propostas e nossos projetos”. Na sequência, virá o  embate. “Num segundo momento, vamos mostrar para a população tanto desacertos quanto acertos da administração, sempre tentando fazer uma política diferente, sem levar as coisas pro lado pessoal, que é o que a gente acaba vendo acontecer, principalmente numa cidade do interior”, diz.
A surpresa do grupo é o nome do atual vice-prefeito Fernando Guedes Pereira, o Fernando Nazaré (PPS). Questionado sobre se está ou não na base do atual prefeito e se é ou não pré-candidato, Fernando contemporiza. “Na verdade, estamos juntos, temos um mandato até 31 de dezembro”, explica sobre seu cargo como gestor. E complementa a respeito do grupo: “Estamos conversando sobre uma terceira via, o que os seis partidos, quatro pré-candidatos decidirem, nós vamos seguir”.
Reforçada a pergunta sobre sua pré-candidatura, Fernando é taxativo: “Sou o único que não quer, não é pacífica essa ideia”. Mas o vice-prefeito, integrante do grupo que constrói a terceira via, também tem seu discurso na ponta da língua como pré-candidato e está bastante alinhado com o restante do grupo.
“Acredito que as mudanças vêm da juventude, de grupos novos, tivemos aí no passado os Caras Pintadas, o Movimento Diretas Já, Movimento Vem pra Rua… tudo vem dos jovens, e essa terceira via tem esse pensamento. São quatro pré-candidatos jovens, pessoas independentes de política, com potencial e comprometimento com o município e com ideias novas. Sem falar mal de ninguém, vamos apresentar uma proposta”, pondera.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here