Imagens que educam

0
1073
Cerca de 60 educandos participaram das apresentações de três curtas-metragens de variados gêneros

Projeto da Secretaria Municipal de Educação e Esporte de Goiânia valoriza a linguagem cinematográfica dentro do processo pedagógico

Luiz Fernando Nunes Hidalgo

Como inúmeros estudos mostram, existem múltiplas formas de aprender e de ensinar. Neste sentido, o projeto “Cinescola”, idealizado pela Secretaria Municipal de Educação e Esporte de Goiânia (SME), possibilita aos educandos o acesso à arte do cinema, dentro das instituições educacionais. Foi o caso da Escola Municipal Lions Clube Bandeirantes, localizada no Bairro Goiá, que recebeu o projeto no último dia 18 de abril. Cerca de 60 educandos participaram das apresentações de três curtas-metragens de variados gêneros.
“Ter contato com estes filmes amplia nossos conhecimentos, além de falar de coisas muito importantes do nosso cotidiano. Por exemplo, no caso do filme “Intolerância não tem cor”, aparece uma história bem real como a nossa. Hoje, as pessoas estão tentando resolver os problemas por meio de brigas e agressões, mas o filme deixa claro que o diálogo e a tolerância podem ajudar no nosso convívio”, afirma a aluna Eliene Maria Camargo, 39 anos.
O objetivo do projeto é incentivar a apreciação e a produção do audiovisual nas escolas, ao possibilitar acesso a filmes de diversos parceiros e produtores audiovisuais. A projeção é realizada na própria escola com horário agendado junto à SME. Quando é preciso equipamentos para a exibição dos filmes, a Gerência de Projetos Educacionais (Gerpro) disponibiliza toda a logística para o atendimento. O foco é oportunizar acesso à produção audiovisual local, regional, nacional e internacional.
O diretor da escola, Sebastião Ferreira do Carmo, considera a oportunidade fundamental para mobilizar os educandos.
“Eles aprendem mais sobre o audiovisual, que é a linguagem principal dos nossos dias. Eu já fiz um curso de produção de vídeo e isso me ajudou muito no meu trabalho pedagógico dentro da escola. O mundo mudou e a imagem, cada vez mais, faz parte do cotidiano das pessoas”, destaca Sebastião.
De acordo com o diretor pedagógico da SME, Marcos Pedro da Silva, a equipe da Gerpro procura identificar antecipadamente, junto à instituição, quais os filmes são mais compatíveis com a Proposta Político Pedagógica (PPP) da escola.
“Definida a temática, a equipe da SME seleciona, em seu arquivo, filmes focados nas necessidades. Após assistirem ao filme, ocorre o debate entre os alunos e professores com o objetivo de aprofundar no tema e discutir a linguagem cinematográfica”, completa.
Para o aluno Luis Ladino Castanho, 26 anos, os filmes apresentados foram interessantes e importantes.
“O que falou do meio ambiente mostrou que temos que aprender a cuidar da natureza, pois ela está chegando no limite. O documentário sobre uma moradora de rua foi bem curioso, a gente fica querendo saber quem é ela. Já o último filme, fala dos jovens e da violência. Essa realidade faz parte de todos lugares do mundo. Eu vim da Colômbia, de Bogotá, e lá também a violência não é pequena. Acho que este vídeo ajuda os jovens a refletirem melhor sobre suas vidas”, diz.

Linguagem do cinema é utilizada no trabalho pedagógico. O foco é oportunizar acesso à produção audiovisual local, regional, nacional e internacional
Linguagem do cinema é utilizada no trabalho pedagógico. O foco é oportunizar acesso à produção audiovisual local, regional, nacional e internacional

O projeto visita semanalmente escolas municipais durante o todo ano, no período noturno. A expectativa é de que 32 instituições sejam atendidas com a proposta e alcance cerca de 2,5 mil educandos.
“O projeto avalia a compreensão da linguagem do audiovisual, considerando os aspectos técnicos, ambientais, sociais e de mudança cultural que os mesmos provocam. Essas reflexões contribuem para a integração do coletivo escolar e, principalmente, dos alunos no contexto em que estão inseridos”, ressaltou Flávia Fabiana Leite Rodrigues, apoio técnico-pedagógico da Gerpro, que acompanha a execução do projeto nas escolas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here