Aprendizado in loco

0
1092
Parque Carmo Bernardes é um dos espaços utilizados no projeto

Projetos de Educação Ambiental realizados em parques de Goiânia ensinam o quanto é importante preservar e cuidar da natureza

Lívia Máximo e Daniela Rezende

“Educação Ambiental nos Parques: Eu cuido!”. Este é o nome de mais um projeto de Educação Ambiental idealizado pela Prefeitura de Goiânia, por meio da parceria entre a Secretaria Municipal de Educação Esporte (SME), Guarda Civil Metropolitana (GCM) e as agências municipais de Turismo, Eventos e Lazer (Agetul) e do Meio Ambiente (Amma).
O principal objetivo do projeto é difundir, entre os alunos e visitantes, conhecimentos que motivem mudanças nas atitudes em relação ao uso dos parques e a preservação de nascentes e mananciais. Neste ano, em sua quarta edição, alunos das escolas municipais vão até o Parque Carmo Bernardes, localizado no Parque Atheneu, para participação em atividades como palestras sobre a importância da preservação do meio ambiente e a sustentabilidade, trilha pedagógica, oficinas, jogos educativos e plantio de mudas do cerrado.
“Quanto antes o cidadão tem a oportunidade de adquirir conhecimentos básicos em Educação Ambiental, mais rápida será sua ‘transformação’. Ele sai da condição de ser que meramente contempla e passa a ter a postura de um cidadão”, ressalta a coordenadora pedagógica da Equipe de Educação Ambiental do Zoológico, Sônia Regina de Farias.
A Escola Municipal Maria Araújo de Freitas, no Parque Atheneu, foi uma das participantes do projeto na última semana. A professora Maria Luziele Craveiro Curado acompanhou as crianças durante o passeio no parque e se encantou com a dinâmica utilizada. “Os alunos foram divididos em grupo e cada um fazia uma atividade diferente. As educadoras explicaram sobre a importância dos parques para a cidade”, relatou.
A professora falou ainda sobre a importância da Educação Ambiental para a formação dos alunos em bons cidadãos. “Só assim vamos conseguir reverter esse quadro atual de tantos problemas na natureza. É fundamental que os alunos aprendam tudo isso ainda na infância, pois se tornarão homens e mulheres mais conscientes”, completou.
A aluna Ana Beatriz Ferreira Lopes, 8 anos, participou da ação do projeto no parque e contou tudo o que aprendeu por lá: “Muita coisa legal! Participei de várias brincadeiras e aprendi o quanto é importante cuidar dos parques da nossa cidade”. Já a colega de sala, Laura Mafla Fonseca, 9 anos, contou que na casa dela todo mundo já cuida do meio ambiente. “Não podemos jogar lixo na rua, arrancar as árvores e temos que cuidar bem dos animais”, disse.


Surpresa e emoção nas Trilhas Educacionais

A cada passo uma novidade. Os alunos se encantam com as Trilhas Educacionais, uma das modalidades dos Jogos Educacionais da Rede Municipal de Educação. Realizadas na Vila Ambiental, no Parque Areião, as trilhas deste ano abordaram o tema “Responsabilidade com o planeta Terra”.
Com a participação de mais de 136 instituições educacionais, a atividades foram ministradas pela equipe de educadores ambientais da Vila e da Agência Municipal de Meio Ambiente (Amma), que monitoraram e orientaram a caminhada, com cerca de 3 horas de duração. Pelo caminho, as crianças são surpreendidas por figuras folclóricas, como curupira, macaco prego, além de um personagem que interpreta o mosquito Aedes Aegypti. As Trilhas contaram ainda com a presença do professor Alexandre Rocha Sales e as personagens Chiquelete e Omelete, que, durante apresentação, alertaram as crianças na preocupação e cuidado com o ambiente natural.

Alunos participam de várias atividades
Alunos participam de várias atividades

Adriana Silveira, diretora da Escola Municipal Padre Pelágio, no Setor São José, afirmou que as Trilhas são uma oportunidade para as crianças aprenderem fora do ambiente escolar. “A Vila Ambiental permite que as crianças reflitam sobre o meio ambiente em contato direto com ele. Além de promoverem a socialização com outras instituições e entre os próprios educandos”, destacou.
Maria Eduarda Amorim Gomes de Lima, 5 anos, ficou encantada com a Vila Ambiental. “Aqui tem parquinho, rio e muitos bichos. Temos que cuidar de tudo que está aqui”, falou. O coleguinha Pedro Arthur Cândido Rodrigues, também de 5 anos, encontrou o curupira no meio da mata e descobriu que ele é o protetor das florestas. “Aprendi com o curupira que não devemos jogar lixo no chão e não podemos destruir as árvores e a natureza”, explicou a criança.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here