Celg: Temer com o PMDB ou com Marconi?

0
3157
Altair Tavares é comentaristas das Rádio Vinha FM e 730 AM, editor do Diário de Goiás

O vice-presidente Michel Temer, que pode assumir o Governo Federal em substituição à presidente Dilma Roussef, está sob uma pressão de dois lados políticos e com a Celg no meio. De um lado, o governador Marconi Perillo (PSDB) que tem interesse na privatização da empresa para ajustar o caixa do governo de Goiás. Do outro, o PMDB e o DEM (leia-se Ronaldo Caiado) com a ruidosa campanha contra venda do “maior patrimônio dos goianos”, dizem. De qual lado estará Temer?
Não é necessário nenhum esforço para exemplificar como o governador Marconi Perillo prioriza o encaminhamento da negociação sobre o destino da Celg. Hoje, o Estado de Goiás detém 49% das ações da empresa enquanto a Eletrobrás é proprietária de 51%. Perillo aguarda a divulgação do edital de leilão da empresa para breve e o fato é confirmado pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico. O ambiente econômico não tem contribuído, mas o processo da privatização está a caminho.
O projeto econômico-financeiro do governo Perillo tem uma haste calçada na privatização da Celg para inclusão dos recursos no equilíbrio das contas do governo e nos investimentos prioritários do projeto de governo dele. Por isso, as viagens a Brasília tem a agenda da Celg como prioridade.
Em outro pólo, estão os peemedebistas de Goiás. O deputado Adib Elias (PMDB) confirmou que o partido busca uma agenda com o vice presidente Michel Temer para breve com o seguinte objetivo: Dizer que o PMDB de Goiás é contra a privatização da Celg e, por consequência, tirar um compromisso dele para impedir a venda da estatal.
O jornal O Globo (29/04/16) divulgou parte do documento em que consta o visão de que o Governo Federal deve “transferir para o setor privado tudo o que for possível em matéria de infraestrutura”. Explicitamente, a Celg não é citada. Mas, a empresa é a primeira da lista do Governo Federal, hoje, com toda buracracia e acordos vencidos.
Em breve, Michel Temer terá que tomar uma decisão: Ou agrada aos peemedebistas de Goiás ou atende ao principal adversário politico do partido dele, Marconi Perillo.  No meio, o interesse maior da União e o projeto de reconstrução que tenta conduzir para o Brasil. O quê vai acontecer? Neste dia, Temer, em nome do projeto nacional, vai vender a Celg.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here