“Goiânia perdeu o seu protagonismo e vive um momento muito difícil”

0
1722
Luiz Bittencourt (PTB)

Pré-candidato a prefeito de Goiânia pelo PTB, o ex-deputado federal Luiz Bittencourt declara nesta entrevista exclusiva à Tribuna do Planalto que já levou ao conhecimento da população, do meio político e dos segmentos organizados seu projeto político-eleitoral para a capital. Afirma ter o maior apoiador de campanha do Estado de Goiás, que é o deputado federal Jovair Arantes, e se propõe a fazer uma gestão moderna e altamente tecnológica. Entre seus projetos de governo está o chamado “Goiânia um milhão de olhos”. Bittencourt garante também que sua candidatura buscará apoio de outros partidos, mas não está na dependência de acordo com legendas da base do governador Marconi Perillo (PSDB) por ser um projeto independente. “O PTB não é um partido subalterno a nenhum outro partido político”, declara. Para ele, os governos do PT e do PMDB fez Goiânia entrar na pior crise de gestão da sua história.

Ronaldo Coelho e
Marcione Barreira

Bittencourt, como estão as articulações neste momento para a sua pré-candidatura a prefeito de Goiânia?
Nós estabelecemos um cronograma dentro do partido dividido em três partes. A primeira era a colocação política da nossa campanha. Eu visitei a Assembleia, a Câmara, conversei com o governador de Goiás, com presidentes de vários partidos políticos, com pré-candidatos a prefeito, com deputados e lideranças. Essa inserção no mundo político nós já fizemos. O segundo passo foi estabelecer um reinicio de relacionamento com a população e a sociedade de uma maneira geral. Nós temos conversado muito com as pessoas que moram em Goiânia e com a imprensa, que também é uma fase de você usar a imprensa como uma ferramenta para divulgar as suas ideias e suas plataformas de trabalho. Em terceiro lugar vem apresentação de propostas que vão compor o nosso plano de trabalho.

No âmbito do PTB, desde o início, foi declarado apoio irrestrito do partido à sua campanha, mas o PTB tem uma chapa completa de vereadores? Que tipo de aliança o partido está trabalhando em torno do seu nome?
Primeiro: nós temos um conjunto de pré-candidatos a vereadores que fará nascer uma chapa completa. Segundo: nós estamos conversando com os outros partidos políticos. É uma eleição diferenciada. Nós vamos ter muitos candidatos pelo que já se pronunciou. Nós estamos vendo aí, o PSDB, PSB, PSD, PT, PMDB, PTB, PR, então quer dizer, há possibilidade de ter aí, pelo menos, 10 candidaturas. Então, num primeiro momento nós estamos conversando para ver as reais condições de aliança com outras legendas, mas a prioridade que o PTB tem dado nesse sentido é justamente buscar uma linha onde nós possamos romper com a estrutura da velha política. Essa política de conchavo, de divisão de cargos, de fatiamento de poder público, de composição eleitoreira. Em fim, nós queremos um projeto essencialmente técnico onde nós iremos procurar as melhores pessoas, as melhores cabeças, as pessoas preparadas para contribuir com a administração municipal.

O PTB tem um diferencial neste momento em relação aos demais candidatos. O PTB de hoje é, digamos assim, responsável por ter resgatado a imagem do partido em função do trabalho lá na Câmara dos Deputados do presidente Jovair Arantes. Isse fato tem contribuído para a sua pré-campanha?
O deputado Jovair é o maior líder do PTB em Goiás, é o presidente do partido e é o líder da bancada de Goiás no Congresso Nacional. Como relator do processo de admissibilidade do impeachment ele se projetou muito junto a sociedade. Isso foi muito positivo para o PTB e para a nossa candidatura. Hoje o PTB tem o melhor apoiador de campanha que é o deputado Jovair Arantes. Pela experiência política que ele tem e depois pela receptividade que o relatório dele teve, esse apoio da população foi fundamental para Jovair, que hoje é referenciado, aplaudido e isso é muito bom para nossa campanha. Vai ser muito importante.

Com essa projeção toda o deputado Jovair Arantes acaba abrindo espaço para buscar novas opções públicas e angariar novos cargos. Fala-se na possibilidade dele se candidatar a presidência da Câmara no final do ano. Como o PTB está trabalhando isso?
Ele já era um forte candidato à presidência da Câmara. Agora ainda mais. Ele é um forte candidato e fortaleceu a sua postulação e também tem a possibilidade de ser ministro num futuro governo que vai ser inaugurado no Brasil. Então, ele tem a possibilidade de ocupar um espaço nacional muito grande, ou como presidente da Câmara ou como uma liderança influente no processo de governança e das decisões do governo federal.

Essa movimentação toda em Brasília em torno do impeachment tem prejudicado as pré-campanhas nos municípios ou não?
Muito. As pessoas só falam na questão nacional. As pessoas querem ver o desenvolvimento dessa questão toda. É amplo o desejo da população no processo do impeachment. Há um retrocesso muito grande, o Brasil está atrasado. Nós precisamos retomar a credibilidade e seguir no caminho do desenvolvimento. Isso só vai acontecer com o fim desse governo e com uma nova política administrativa.

O PTB é um partido que tem luz própria dentre esses partidos que estão hoje na base do governo. O partido teve candidato em 2012 e está lançando agora em 2016, mesmo assim o PTB ainda dependeria de um acordo com a base do governador Mrconi Perillo (PSDB) para manter a pré-candidatura do ou o PTB tem a candidatura independentemente de um acordo com o governador do Estado?
O PTB nesse cenário foi o primeiro partido que apoiou a eleição do governador Marconi Perillo e depois a sua reeleição. O deputado Jovair sempre foi uma liderança de frente no apoio ao PSDB e a sua candidatura para o governo. Com relação a Goiânia o PTB sempre teve sua linha, sempre apresentou candidato, sempre participou ativamente do debate e nós fomos o primeiro partido a apresentar um pré-candidato definido. O PTB reuniu, traçou uma estratégia e nós lançamos a nossa candidatura. O PTB não é um partido subalterno a nenhum outro partido político. Sua ideias e propostas tem a solução concreta para as dificuldades que a população de Goiânia enfrenta e nós somos contra o governo atual e o continuísmo e tem independência em relação aos outros partidos da base aliada. O governo do PT e do PMDB levou Goiânia a essa dificuldade que a cidade vive hoje. Goiânia perdeu o seu protagonismo e vive um momento muito difícil de sua história.

Falando de propostas, o senhor tem ideias inovadoras que já colocou para discussão junto à sociedade. Um dos projetos é denominado “Goiânia um milhão de olhos”. Explica isso melhor para a população.
Essa é uma plataforma tecnológica onde as pessoas vão poder conversar com o poder público através do WhatsApp, Facebook, celular, instagran, e-mail, enfim, de todas as possibilidades nas redes sociais e nas redes tecnológicas. Então, você vai poder tirar a fotografia do buraco de uma rua, a fotografia de uma lâmpada queimada, de um matagal, de um prédio público sendo depredado, de um carro parado em fila dupla, de um bueiro entupido, em fim, você pode conversar com a prefeitura no dia a dia mostrando situações para o poder público interferir e resolver rapidamente. Então, você vai estabelecer um diálogo 24 horas por dia com a prefeitura. O eixo da nossa proposta é “Goiânia 24 horas”. A população vai poder conversar com a prefeitura de com Goiânia 24 horas por dia através da plataforma “Goiânia um milhão de olhos”. Dentro dessa proposta nós temos um conjunto de ideias inovadoras e soluções tecnológicas que podem avançar no processo de aprimoramento administrativo.

A interação é bem maior entre o poder publico e população…
Permanentemente, quer dizer, vamos aproximar a prefeitura de Goiânia do cidadão, olhar a cidade sob outro ângulo. Sob o ângulo do morador da cidade. Em fim, fazer com que a prefeitura dialogue com todos os agentes que fazem a cidade no nosso dia a dia.

Essa proposta, além de inovadora, ela sobrepõe às propostas tradicionais e antigas, por exemplo, de criar sub prefeituras nas regiões da cidade.
Essa proposta de subprefeitura hoje está superada. O mundo digital, tecnológico, deu um avanço muito grande. Você pode conversar e resolver sem ter estrutura física e pela dificuldade que a prefeitura alega estar vivendo nós vamos fazer um trabalho de enxugamento de custos. Então, planejamento, gestão e uma disposição intensa de trabalho. A prefeitura vive 24 horas sem burocracia e com participação efetiva da população.

É uma gestão inteligente. Você faz mais para o povo gastando menos.
Exatamente. Você tem em que usar a tecnologia a favor da administração, a favor da cidade. A inteligência é a ferramenta número um para promover isso.

O senhor fala também na proposta de criar uma Goiânia menos burocrática. Com qual objetivo que o senhor leva esse assunto para o debate?
Ninguém aguenta mais o excesso de burocracia no poder público. Então, a prefeitura vai simplificar os processos internos, vai abolir e simplificar o máximo a relação do cidadão com o órgão publico. Por exemplo, o habite-se, o alvará de demolição, a certidão de funcionamento de uma empresa, o pagamento de uma taxa, uma certidão de diretrizes urbanas. Esses serviços têm que ser prestados imediatamente. Agora, você tem que ter instrumentos de controle efetivos. Onde o cidadão respeita a prefeitura, a prefeitura respeita o cidadão.

Dentro desse processo de simplificação, de desburocratização, o senhor fala em restabelecer uma relação de confiança entre o cidadão e o poder público?
Exato. Existe um conceito que os urbanistas usam muito que é o sentimento de pertencimento. Eu tenho que gostar da minha cidade, eu tenho que me sentir participante da vida comunitária. Eu tenho que ter um sentimento de que pertenço a essa cidade. O espaço público tem que ser agradável, o serviço prestado pela prefeitura tem que ser de qualidade, nós temos que ter saúde adequada, segurança pública adequada, educação com novos métodos, temos que ter lazer, acesso e mobilidade. Nós temos que ter prazer de viver na cidade. A comunidade participando, nós teremos condições de melhorar e muito.


“Tenho mergulhado no dia a dia da cidade”

Estou mais  humilde, mais  tolerante, mais paciente e tenho uma capacidade maior de  entendimento desses  problemas e sei que muitos podemos  resolver com soluções simples”
“Estou mais humilde, mais tolerante, mais paciente e tenho uma capacidade maior de entendimento desses problemas e sei que muitos podemos resolver com soluções simples”

Bitterncourt, o senhor falou que já está começando a discutir a terceira etapa da formação das propostas. Nós falamos de algumas aqui. Tem alguma  que gostaria de lembrar?
Nós temos aqui algumas propostas muito interessantes que eu gostaria de lembrar. Primeiro é a universidade municipal. Nos bairros onde você tem  possibilidade de oferecer educação melhor para as pessoas. Transformar as escolas municipais que vãoi funcionar à noite. Nós vamos fazer parcerias com o Sesc, Senai, com a UFG, a PUC, a UEG, com as empresas, com os segmentos organizados para qualificar essas pessoas em várias áreas, principalmente, nas áreas tecnológicas. Nós podemos treinar essas pessoas à noite com o custo muito baixo e o resultado eficiente. Com isso vamos atrair empresas porque nós vamos aumentar a mão de obra qualificada em Goiânia.

O que seria uma Cidade Interativa?
Tem outro projeto que é o Goiânia estação cidade interativa onde nós vamos ter 12 pólos abrangendo várias regiões. Lá você vai ter toda instrução tecnológica, então você vai ter biblioteca digital, cursos de informática, computadores, redes wi-fi. Isso vai atrair a juventude para que ela possa se desenvolver.

Na área esportiva tem algum projeto já gestado?
Nós temos também o Centro Olímpico Esportivo. Nós pretendemos fazer seis centros com 10 modalidades esportivas. Futebol, futebol de salão, vôlei, basquete, natação, ciclismo, skate, judô, karatê, enfim, o jovem vai ter oportunidade de estimular essa participação esportiva. Esse Centro Olímpico nós já temos inclusive as áreas previamente escolhidas.

Em relação à saúde, qual a sua maior preocupação?
Um outro projeto interessante é o seguinte. Nós temos na rede municipal 145 postos de saúde e 12 Cais. Nós vamos criar dentro dessa rede seis pontos de especialidades, acoplados nos Cais. Vamos desenvolver um projeto moderno que você tenha ali pediatria, obstetrícia, oftalmologia, cardiologia e cardiopatia, além do clinico geral. Ali você atende mas de 80% da necessidade.

A segurança pública é uma das grandes preocupações da população. Como olhar esta questão?
Nós vamos também neste sentindo aumentar o investimento na Guarda Municipal com equipamentos e criando uma central de inteligência para atuar com as polícias Civil e Militar. Então, esses projetos têm uma conotação de muita gestão, planejamento, eficiência e acompanhamento direto da população através da plataforma Goiânia um milhão de olhos.

O senhor fala em reduzir as despesas e aumentar a a eficiência dos serviços prestados. Como fazer isto?
Outro aspecto também decisivo no processo administrativo que nós vamos levar para a prefeitura de Goiânia é enxugar a despesa. Nós vamos reduzir o número de secretarias para seis secretarias e seis órgãos auxiliares. Eles será responsáveis por toda a administração municipal. Com isso, nós vamos economizar recursos e vamos poder investir na cidade. Outro aspecto fundamental, é o trânsito e o transporte coletivo. Nós vamos fazer uma gerência dura no sentido de obrigar o cumprimento de horários, número de veículos adequados para transporta a população.

Como é que o senhor feito para levar essas propostas citadas aqui ao conhecimento da sociedade?
Nós temos utilizado de todos os instrumentos, principalmente, das redes sociais. Conversar com segmentos organizados, com os movimentos de bairro, com empresários, com pessoas que se dedicam a estudar a nossa cidade e, de uma maneira geral, fazendo reuniões com segmentos organizados. Eu tenho andado muito. Tenho mergulhado no dia a dia da cidade para me inteirar mais dos problemas e encontrar soluções.

O senhor já foi deputado federal três vezes, já disputou a prefeitura de Goiânia duas vezes, com essa é a terceira. Com tudo isso o senhor acha que já é um homem preparado para ser prefeito de Goiânia?
Veja bem, eu fui presidente do Conseho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea), deputado estadual duas vezes, presidente da Assembleia, Secretário de Ciência e Tecnologia, deputado federal três vezes, participei de praticamente todas as comissões na Câmara e de várias comissões no Congresso Nacional e aprendi muito na minha vida pública. Na minha vida profissional como engenheiro e exercendo o meu mandato e trabalhando na iniciativa privada sempre estive numa linha de planejamento, de gestão, de eficiência, de inovação tecnológica e como engenheiro eu tenho obrigação de ter uma visão diferenciada. O maior desafio da vida urbana é morar bem na cidade e eu, como estudioso, tenho uma visão muito crítica desse tema. Esse afastamento que tive nos últimos 10 anos me permitiu ter uma visão ainda mais apurada porque eu continuei viajando, vendo outras cidades, aperfeiçoando os meus conhecimentos. Hoje eu estou mais humilde, mais tolerante, mais paciente e tenho uma capacidade maior de entendimento desses problemas e sei que muitos desses problemas nós podemos resolver com soluções simples.

Está pronto para ser prefeito?
Eu me sinto preparado para a execução de todas essas funções.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here