Saneamento Básico e Resíduos Sólidos são discutidos em reunião do COEMA em Palmas

0
1229
Cerca de 30 representantes de instituições ligadas ao Meio Ambiente e à indústria dos estados da Amazônia Legal e região Centro e Norte estão reunidos na sede da Federação das Indústrias do Estado do Tocantins (FIETO) nesta sexta-feira, 06/05, durante a 21ª Reunião Ordinária do Conselho de Meio Ambiente e Sustentabilidade – COEMA Centro/Norte. O tema central desta reunião é Saneamento Básico e Gerenciamento de Resíduos Sólidos.
O Conselho é formado por representantes de federações de indústrias dos estados e a Confederação Nacional da Indústria (CNI). Tem como missão formular diretrizes e estratégias que embasem o processo decisório e posicionamento político, econômico e social da CNI na área de meio ambiente. Além disso, busca novos negócios para as indústrias na área de meio ambiente e defende que os marcos regulatórios não criem mais custos e dificuldades ao desenvolvimento do segmento.
Esta ação conjunta entre os estados, CNI e órgãos ligados ao meio ambiente tem alcançado resultados positivos ao desenvolvimento sustentável como conta o secretário executivo do COEMA Regional Centro Norte e gerente executivo de Meio Ambiente e Sustentabilidade da CNI, Shelley Carneiro.
“Uma série de coisas que falamos saem como propostas fortíssimas apoiadas pelo COEMA. Grande parte da proposta de modificação da lei de licenciamento ambiental, algo em torno de 70 a 80%, atualmente no Congresso Nacional, por exemplo, veio da integração de todos os COEMAs que levaram a discussão de demandas dos empresários para a Câmara”, explicou.
O evento foi aberto pelo vice-presidente da FIETO, Sérgio Tavares, no início da manhã e segue com painéis temáticos que reúnem especialistas nacionais, do município e estado e de empresas que atuam com resíduos e saneamento. As práticas da capital Palmas com relação ao tema foram demonstradas em visitas técnicas ao Aterro Sanitário e a Estação de Tratamento de Esgoto de Palmas, na última quinta-feira, 05/05, e voltam a ser abordadas na reunião de hoje por técnicos do município.
O município é uma exceção à estatística nacional e do próprio estado, como explica o gerente da Unidade de Defesa dos Interesses Industrias da FIETO, José Roberto Fernandes. “Apenas 49% de todo o esgoto brasileiro é tratado. No Tocantins só 17% é tratado, mas tem uma exceção nesse cenário. Palmas já trata 82% do esgoto produzido e destina para o aterro cerca de 98% do lixo. É um exemplo de boa gestão pública”, diz.
“Estamos discutindo isso para entender melhor o tema e enxergar no tratamento do lixo e esgoto negócios para a indústria. Os aterros, por exemplo, são grandes produtores de metano e poderiam servir como fonte energética numa hora em que o Brasil procura diversificar a matriz”, complementa Fernandes ainda sobre a atuação do COEMA.
Também participam da reunião o secretário nacional de Saneamento Ambiental do Ministério das Cidades, Paulo Ferreira, a secretária de estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Luzimeire Carreira, o vice-presidente do Naturatins, Edson Cabral, a representante do Instituto de Planejamento Urbano de Palmas, Rariany Monteiro, o gerente de projetos da Fundação Municipal do Meio Ambiente, Dieverson Reis, especialistas do Instituto Trata Brasil, Odebrecht Ambiental/Saneatins, Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais e conselheiros das federações dos estados.(Do Site Agora-TO)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here