Estudantes de Rio Verde estão confiantes

0
915
Concurso tem atraído os estudantes da região Sudoeste do estado, que estão com os materiais quase prontos para ser entregues à subsecretaria da cidade. Durante a produção dos trabalhos, os alunos têm desoberto novas maneiras de colocar o conhecimento em prática e , ao mesmo tempo, aprendem à combater o Aedes

Alunos das escolas municipais de Rio Verde contam com o empenho dos educadores para disputar as primeiras colocações no certame. Com trabalhos prontos, a expectativa dos estudantes é receber os melhores prêmios

Fabiola Rodrigues

Os estudantes das escolas municipais do interior do estado estão motivados a participar do Concurso Goiás na Ponta do Lápis. Os educadores da rede municipal têm contribuído de forma decisiva para que os trabalhos sejam elaborados com qualidade e, assim, ajudam os alunos a disputar as primeiras colocações com os estudantes das redes estadual e particular nas diversas categorias.
Em Rio Verde, o secretário da Escola Municipal Maria Brigida, Fabio Santos, diz que os alunos do 2º ao 5º ano estão totalmente envolvidos na dinâmica da produção dos trabalhos. Com o tema “Historias reais de combate ao Aedes”, o concurso tem atraído os estudantes da região Sudoeste do estado, que estão com os materiais quase prontos para serem entregues à subsecretaria da cidade.
“Combater o mosquito virou tarefa rotineira dos nossos alunos. Eles agora fazem patrulha de limpeza na escola e em suas residências também. E têm facilidade de praticar aquilo que ensinamos para eles”, diz o secretário.
O concurso desta vez traz novidades no formato de apresentação dos materiais produzidos. Além das redações, a criatividade pode ser demonstrada por meio de desenhos, fotografias e vídeos. Segundo Fabio Santos com as inovações os alunos estão aprendendo e se divertindo muito. Os educandos ao produzir desenhos e fotografias descobrem que existem várias maneiras de aprender sobre um determinado assunto.
“O combate ao Aedes é um tema importante para ser debatido com as crianças. Eles colocam em prática mesmo. Os estudantes estão adorando desenhar e fotografar, para eles essas categorias do concurso vieram com um bom presente”, conta Fabio Santos.
Os alunos estão fazendo votação em sala de aula para decidir quais os trabalhos são os melhores para serem apresentados na secretaria da escola. O estudante apresenta pelo menos dois trabalhos feitos por ele e a turma vota em qual material ficou melhor para ser entregue na coordenação.

Secretário Fabio Santos: com as novidades do concurso os alunos estão mais motivados nessa edição
Secretário Fabio Santos: com as novidades do concurso os alunos estão mais motivados nessa edição

Segundo o secretário os alunos estão mais unidos para elaborar os materiais dessa edição do concurso. Ele lembra que toda novidade principalmente positiva ajuda a engrandecer o processo de ensino e aprendizado do estudante. Como os estudantes têm a oportunidade na categoria deles de produzir outros formatos aproveitam e dão liberdade a criatividade.
“Empenho é o que não está faltando em nosso meio. Acredito que alunos do nosso município serão premiados. Cada trabalho está sendo construído com um toque de amor e experiência própria”, comenta o secretário.
Os estudantes da escola estão fazendo o uso do celular e de câmeras fotográficas ,já que a categoria dos alunos permite. Fabio Santos observa que essa inovação serve para atrair mais educandos para a participar do certame. Usar a tecnologia como uns dos recursos para produzir o material é mais uma forma de incentivo.


Inscrições prorrogadas pra ninguém ficar de fora

O prazo de encerramento das inscrições para o Concurso Goiás na Ponta do Lápis foi prorrogado para até dia 15 de junho. Fabio Santos afirma que com essa nova chance nenhum estudante da escola que ele coordena ficará de fora do certame.
“Eu ajudei os alunos a se inscreverem. Foi um trabalho de formiguinha, mas tem dado certo. Quem havia ficado de fora por não ter feito as inscrições até a primeira data de encerramento agora não vai ficar mais. Todos os meus alunos vão participar”, diz o secretário.
Realizado pela Tribuna do Planalto em parceria com a Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esporte e Secretaria de Saúde (SES), o concurso pretende envolver todos os estudantes dos 246 municípios nessa edição. O gerente de Projetos da Tribuna, Enoel Júnior, diz que mais de um milhão de alunos já se inscreveram e este número deve aumentar.
“Devido ao prazo para fazer a inscrição ter sido prorrogado, a expectativa é de que a quantidade de inscrições aumente significativamente. O envolvimento do estudante nessa edição cheia de novidades está engrandecendo a educação e contribuindo para diminuir a proliferação do Aedes aegypti em nosso estado”, diz o gerente de Projetos.
Para o aluno que ainda não realizou sua inscrição, basta entrar no site www.tribunadoplanalto.com.br/concurso e preencher o cadastro solicitado. Podem ser inscritos todos os estudantes regularmente matriculados nas escolas da rede estadual, municipal e particular de ensino. Sem a inscrição, não tem como validar a participação do estudante no concurso.


Pais estão envolvidos na produção dos trabalhos

Valdirene Silva: “O envolvimento dos pais ao ajudar os estudantes faz a família ficar mais unida”
Valdirene Silva: “O envolvimento dos pais ao ajudar os estudantes faz a família ficar mais unida”

O Concurso Goiás na Ponta do Lápis envolve educadores e professores por todo o estado em uma jornada de conhecimento que contribui para enriquecer a vida estudantil. Este ano os pais dos estudantes da Escola Municipal Vila Renovação, na cidade de Rio Verde, estão participando na produção dos trabalhos junto com os filhos.
A coordenadora da escola, Valdirene da Silva, criou um e-mail e através dele pais e alunos podem dar sugestões de como pode ser feito o combate ao mosquito Aedes aegypti. Assim as ideias podem se tonar realidade e serem contadas por meio de redações, desenhos, fotografias ou vídeos.
“Contar histórias a partir dos momentos vividos é uma ótima oportunidade para os alunos aprenderem mais. Como as crianças são a maioria dos nossos estudantes, envolver os pais na produção dos trabalhos para o concurso é muito importante”, diz a coordenadora.
Os alunos estão recebendo as orientações e produzindo os materiais. Valdirene Silva lembra que os pais também estão participando da edição, mas não diretamente, porém a contribuição deles está sendo fundamental. Têm alunos que já fizeram a entrega dos trabalhos na coordenação da escola.
“Alguns não quiseram esperar muito. Em casa mesmo fizeram os trabalhos. Os pais ajudaram e o resultado foi material entregue com antecedência”, conta a coordenadora.
Os 190 alunos da escola municipal vêm recebendo a colaboração dos pais desde o início dessa 12ª edição. Valdirene Silva afirma que a participação efetiva dos pais tem sido engrandecedora para todo o ambiente escolar.
Assim que o e-mail foi criado chegavam poucas sugestões – diz a coordenadora, mas, quando as crianças começaram a informar os pais, foram surgindo várias mensagens com ideias para os alunos combaterem o mosquito.
Segundo Valdirene Silva, a interação com os pais que surgiu no ambiente escolar através do concurso deixa a criança mais perto da família de alguma maneira. Os estudantes que não finalizaram os trabalhos na escola estão dando os toques finais.
“Estou orgulhosa dos nossos alunos eles estão fazendo tudo bem certinho. Eles estão ouvindo os professores e os pais. O resultado será premiações para nossa escola. Não vai ter erro”, diz, confiante, a coordenadora.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here