Caminhada contra o câncer infantil

0
1614

Caminhada “Passos que Salvam” ganha corpo em Goiás e ajuda a conscientizar a população sobre os sintomas do câncer infantojuvenil. este ano Goiás está mais engajado na ação

Fabiola Rodrigues

Uma das doenças mais desafiantes para a medicina, o câncer vem atacando cada vez mais cedo crianças e adolescentes. No sentido de ajudar os pais, educadores, agentes de saúde e a população em geral a identificar sintomas dessa doença ainda na infância, a cidade de Goiânia participará este ano pela primeira vez da caminhada em combate ao câncer infantojuvenil “Passos que Salvam”. As escolas das redes estadual e municipal do estado de Goiás estarão envolvidas e engajadas nessa ação.
A caminhada surgiu no ano de 2012 em São Paulo, através do Hospital do Câncer de Barretos e atualmente acontece anualmente em muitos cidades do País. A coordenadora de campanhas e marketing, Naima Khatib, visita os estados e municípios convidando e mobilizando educadores a participarem do evento em combate ao câncer infantojuvenil. Em visita a Goiânia a coordenadora da campanha concedeu uma entrevista exclusiva à Tribuna do Planalto na qual fala sobre o movimento e a importância do envolvimento da população no projeto.
A ideia da caminhada “Passos que Salvam” é fazer com que toda sociedade esteja unida, no mesmo dia e horário e mobilizar a cidade no alerta ao câncer infanto-juvenil diz a coordenadora da campanha. O movimento começou tímido em dois estados e 22 cidades. Agora já são mais de 370 cidades envolvidas em 14 estados.
No total 30 cidades do estado de Goiás participaram da caminhada anual nos últimos três anos. Este ano, mais 20 municípios participarão da ação pela primeira vez, incluindo Goiânia, conta Naima Khatib.
A coordenadora da campanha lembra que pais, professores e médicos têm certa dificuldade para descobrir ou diagnosticar o câncer em crianças ou adolescentes. Com isso, mesmo aparecendo os sintomas da doença, a criança vem recebendo tratamento incorreto.
“Temos o intuito de despertar a população e de divulgar aos médicos, pais e professores quais são os sintomas e sinais do câncer infantil, já que eles são facilmente confundidos com outras doenças menos graves”, explica a coordenadora da campanha.

Além da caminhada que acontecerá em todo território nacional no dia 27 de novembro, palestras e orientações sobre como detectar o câncer em crianças serão oferecidas por Naima Khatib para os professores das redes estadual e municipal do estado. O objetivo é melhor prepará-los a identificar os sintomas da doença de maneira correta.
“São os professores que estão descobrindo que as crianças estão com câncer. Na maioria das vezes. Porque a criança fica mais tempo na escola. Por isso estamos preparando e orientando os educadores também”, diz Naime Khatib.
A coordenadora da campanha lembra que o projeto foi copiado dos Estados Unidos e trazido para o Brasil. Os americanos passaram a ter menor índice de crianças mortas pelo câncer infantil quando descobriram que precisavam alertar a população sobre os sintomas da doença.
“De cada 100 crianças ou adolescentes com a doença nos Estados Unidos 90 são curadas por descobrirem o câncer logo no início. Isso graças à conscientização dos pais, professores e a sociedade em geral. No nosso País hoje a realidade não é a mesma ainda. De 100, no máximo 60 crianças têm a chance de cura; mas chegaremos lá”, diz.
Goiás está entrando este ano com mais força na campanha. Naime Khatib esteve em reunião com o governador Marconi Perillo, que garantiu que a educação do estado vai receber apoio para que o movimento alcance o maior número de escolas, pais e professores. O governador e a primeira-dama, Valéria Perillo, hipotecaram total apoio à causa.
Cadastre sua cidade
A coordenadora da campanha orienta como deve cadastrar uma cidade para que a população participe da 4ª caminhada em combate ao câncer infantil “Passos que Salvam”. Lideranças políticos, educadores, professores, pais podem se unir e entrar em contato com o Hospital do Câncer de Barretos, pelo e-mail: passosquesalvam@hcancerbarretos.com.br ou ligar no telefone: 017 3321-6600.
Os responsáveis pelo projeto passarão todas as informações e darão o suporte necessário para realização da ação na cidade interessada. Após o contato com o hospital, será preciso marcar uma reunião para definir os membros do comitê organizador. Naima Khatib diz que o grupo será responsável pela organização da campanha no município e deve ser formado por um presidente, um tesoureiro e um secretário. Todos os municípios envolvidos devem participar da caminhada no dia e horário estipulado pelo Hospital do Câncer de Barretos.


Falta informação para detecção precoce

Naima Khatib Coordenadora da Campanha: o câncer infantojuvenil precisa ser tratado o mais cedo possível para a criança ter maior chance de ser curada
Naima Khatib Coordenadora da Campanha: o câncer infantojuvenil precisa ser tratado o mais cedo possível para a criança ter maior chance de ser curada

O câncer infantojuvenil precisa ser tratado o mais cedo possível. A coordenadora de campanhas do Hospital do Câncer de Barretos, Naima Khatib, diz que muitas crianças e adolescentes chegam com a doença muito avançada nos centros especializados de tratamento. Isso ocorro por diversos fatores, principalmente desinformação dos pais ou médicos. O resultado é trágico: muitas crianças acabam morrendo.
Portanto, é primordial reconhecer os sintomas e encaminhar a criança rapidamente para tratamento adequado em centros especializados, lembra Naima Khatib. Por esse motivo existe a real necessidade de campanhas e alertas para a descoberta dos sinais da doença na criança.

O governador Marconi Perillo, garantiu que a educação do estado vai receber apoio para que o movimento “Passos que Salvam” alcance o maior número de escolas, pais e professores
O governador Marconi Perillo, garantiu que a educação do estado vai receber apoio para que o movimento “Passos que Salvam” alcance o maior número de escolas, pais e professores

A coordenadora da campanha lembra alguns sintomas causados pelo câncer infantojuvenil: dores de cabeça pela manhã e vômito, caroços no pescoço, nas axilas e na virilha, ínguas que não se resolvem. Dores nas pernas que não passam e atrapalham as atividades físicas, manchas roxeadas na pele, como hematomas ou pintinhas vermelhas. O aumento do tamanho da barriga ou até mesmo brilho branco nos olhos quando a criança ou adolescente sai em fotografias com flash também são indicativos da doença.
Os tumores mais frequentes na infância são leucemias, tumores do sistema nervoso central, linfoma, neuroblastoma, tumor de wilms, sarcomas de partes moles, tumores ósseos, retinoblastroma e doença de hodgkin. Naima Khatib ressalta que essas doenças precisam ser mais conhecidas por toda a população, para, assim, assegurar maior chance de tratar a doença na criança.
Durante as palestras e cursos que a coordenadora da campanha realiza por todo o País, ela lembra que a leucemia é o câncer mais comum na infância. É caracterizado pela produção excessiva de células brancas anormais. A doença provoca infecções, palidez, sangramentos, dor nos ossos e articulações, fadiga, fraqueza, febre e perda de peso. Esses sintomas podem ser confundidos com outras doenças, por isso precisam de atenção redobrada.
A coordenadora lembra que já entre os adolescentes são mais frequentes os tumoSmar de dores nos ossos que não passam, principalmente incômodos de dor que ficam acima ou abaixo do joelho. A pele fica vermelha e quente com frequência.
“Sempre estou dando palestras e orientados pais, professores e organizadores da campanha a ficarem atentos aos sinais simples que a princípio podem não parecer nada de tão grave e são tratados com normalidade, mas faço o apelo aos pais, educadores e polução que quando verem esses sinais nas crianças deem mais atenção. Pode ser algo mais grave”, diz Naima Khatib

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here