Para encher os olhos

0
2888
Festival de Arte/Educação recebeu 1550 alunos nas primeiras ações

Festival de Arte/Educação inicia a temporada 2016 com exposição de artes visuais e produções audiovisuais

Roseneide Ramalho

Formas de expressão visuais e recursos audiovisuais foram destaque no mês de maio com as duas primeiras etapas do Festival de Arte/Educação da Secretaria Municipal de Educação e Esporte (SME). Com um formato de apresentação que busca incentivar as produções artísticas e oferecer estrutura adequada para dar visibilidade aos trabalhos, as ações iniciais ocorreram no Centro Cultural Oscar Niemeyer e Cine UFG.
Os dois primeiros eventos reuniram um total de 1550 alunos de todas as faixas etárias. Voltado para múltiplas linguagens artísticas, o Festival objetiva incentivar o acesso à cultura ao possibilitar oportunidades de apreciação das produções culturais feitas pelos próprios alunos com auxílio de seus professores. A próxima etapa do projeto apresentará dança, música e teatro nos próximos dias 07, 08 e 09.

Artes Visuais

Alunos participaram desde o roteiro até edição de curtas exibidos no CineUFG
Alunos participaram desde o roteiro até edição de curtas exibidos no CineUFG

Uma galeria com obras de artes feitas pelos próprios alunos da rede municipal foi montada no Museu de Arte Contemporânea, no Centro Cultural Oscar Niemeyer. Ao todo, 16 unidades educacionais participaram da primeira etapa do projeto realizada nos dias 03 e 04 de maio. As produções artísticas contemplaram desenhos, pinturas, fotografias e assemblage, que é uma composição artística realizada com recortes de papel, retalhos de tecido e objetos que seriam descartados.
O Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Jardim América foi uma das instituições que participou da exposição e levou as crianças foram visitar as obras. “É uma oportunidade ímpar. Eles vibraram quando viram o quadro que fizeram exposto aqui. Então, é uma experiência muito legal! Acredito que vá somar muito tanto para as crianças, quanto para nós, profissionais que podemos ver o quanto eles se envolvem e aprendem desde pequenininhos”, afirmou a diretora do Cmei, Alcione Araújo da Silva.
Para Flávia Fabiana Leite, apoio pedagógico da SME, a primeira etapa do Festival foi bastante positiva. “Os trabalhos expostos estão cada vez melhores. As professoras estão se empenhando muito na estética e variedade e, por isso, temos ótimos resultados expostos. Quando os alunos veem visitar, eles ficam encantados e se enchem de orgulho ao verem o que fizeram em exposição. É um trabalho de aprendizado e autoestima”, declarou.

Audiovisual
Os curtas produzidos pelos alunos ganharam a programação do Cine UFG, no Câmpus Samambaia da Universidade Federal de Goiás. Com sessões nos dias 16 e 17, a segunda etapa do Festival de Arte/Educação exibiu nove produções de curta-metragem, em gêneros da sétima arte: ficção, documentário e técnicas de animação.
Flávia Fabiana explica que, para muitos educandos, a primeira experiência com o cinema ocorre por meio da escola. “Temos educadores que levam esse universo do cinema como uma forma de arte a ser apreciada, mas vão além, usam a linguagem audiovisual como recurso de conhecimento e experimentação. Nossos alunos estão deixando de ser meros expectadores para adentrar neste universo”, comentou.

Etapa de Artes Visuais expôs trabalhos dos alunos no Centro Cultural Oscar Niemeyer
Etapa de Artes Visuais expôs trabalhos dos alunos no Centro Cultural Oscar Niemeyer

A Escola Municipal Rotary Goiânia Oeste é uma das participantes. A instituição fez uma animação com a técnica pixalation, com a participação de 56 alunos. “Fizemos fotos interpretando a letra da música Cidadão, de Zé Ramalho”, explicou a coordenadora pedagógica, Beatriz Machado. O resultado foi conferido pelos alunos no Cine UFG. “Os meninos amaram se ver na tela do cinema”, relatou.
A Escola Municipal Professora Amélia Fernandes Martins apresentou duas produções: o documentário “O racismo no Brasil” e, com técnica stop motion, “Drogas: Prevenção é a Palavra”. Já a Escola Mônica de Castro Carneiro produziu um documentário sobre a horta da instituição, intitulado “A hortinha da escola”. A Escola Municipal Paulo Teixeira de Mendonça apostou no documentário “Sustentabilidade”.
A Educação Infantil foi representada pelos Cmei Parque Amazônia e Cmei Cecília Meireles que exibem as ficções “Os três porquinhos” e “Pregados no banco”, respectivamente. Para completar a programação, o Festival de Arte/Educação apresentou a ficção “Chiquelete e Omelete vão ao Cinema”, filme educativo que dá dicas de como se portar no cinema e o filme convidado, “Ilhado”, da Mantra Filmes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here