Denunciado em Delação Premiada, Eduardo Siqueira nega recebimento de propina

0
1215
Na foto entrevista Eduardo Siqueira Campos Crédito: Renan Accioly Data:05/06/13

A imprensa nacional e estadual publicaram noticias de denuncia envolvendo o deputado Eduardo Siqueira Campos. Eduardo foi citado em Delação Premiada em investigação da Policia Federal.

A operação teve início em 2014 e dela resultou encaminhamento ao Ministério Público Federal e ao Superior Tribunal de Justiça, onde foi instaurada a denúncia contra os citados pela Polícia Federal e pelo MPF.

O STJ determinou sigilo no andamento do processo e acesso aos autos somente às partes envolvidas, mas ouve “vazamento” e a divulgação destas informações.

Veja a Nota

Em virtude de reportagem exibida pelos telejornais da TV Anhanguera nesta terça-feira, 7, o deputado Eduardo Siqueira Campos, através desta Assessoria de Imprensa,  informa que:

– A partir da informação publicada em nota do Jornal O Estadão, colocou-se à disposição da imprensa para esclarecer o que fosse possível, ainda que sem a peça acusatória em mãos, um vez que ela é objeto de sigilo determinado pelo Superior Tribunal de Justiça. Ainda nesta segunda-feira, 6, o deputado buscou acesso a mesma peça junto ao STJ, porém por não ser investigado, indiciado ou réu, não obteve autorização para ter o acesso . Ainda assim o mesmo afirmou que se os órgãos de imprensa que dispusessem da peça, ainda que obtida de maneira ilegal, o permitissem a leitura, se pronunciaria sobre os fatos concretos nela existentes, mas também não logrou êxito. O deputado Eduardo Siqueira Campos vem recebendo apenas a informação de que funcionários teriam recebido a suposta vantagem e não tem como responder por atos de terceiros, que não se sabem verdadeiros, reais tais como afirmado.

– Importante destacar que a operação teve início em 2014 e dela resultou encaminhamento ao Ministério Público Federal e ao Superior Tribunal de Justiça, onde foi instaurada a denúncia contra os citados pela Polícia Federal e pelo MPF. Vale ressaltar, que o deputado Eduardo Siqueira Campos não tem seu nome entre os investigados ou acusados, portanto, não consta como réu no processo.

– O STJ determinou sigilo no andamento do processo e acesso aos autos somente às partes envolvidas, portanto, “vazamento” e a divulgação destas informações em que há a determinação legal de sigilo, configuram desobediência de determinação. Obviamente, a obtenção da delação por quem não é parte do processo não se deu por vias legais.

– Mesmo não sendo investigado no processo, mas por ter sido citado na referida delação e tendo havido divulgação na imprensa nacional e local, o deputado Eduardo Siqueira Campos já requereu junto ao STJ o acesso aos autos para que possa tomar real e completo conhecimento da delação e apresentar sua defesa, seja esfera judicial e para a opinião pública, único âmbito em que se encontra uma acusação contra o parlamentar. O deputado Eduardo Siqueira Campos reitera o desejo de agilidade na apuração dos fatos, que comprovará sua total inocência e improcedência de tais acusações.

– Por fim, o fato verdadeiro e inarredável é a certeza de que o deputado Eduardo Siqueira Campos jamais recebeu qualquer vantagem nesse ou em qualquer outro episódio e não necessita desqualificar seja delação, investigação ou processo, ao contrário, eles trarão a verdade à tona. (Do Site Agora-TO)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here