Marcelo Miranda recebe diretor da Fundação Black Jaguar

0
1818
O projeto Corredor de Biodiversidade do Araguaia foi apresentado pelo diretor da Fundação Black Jaguar, Lambertus Josephus Valks, ao governador do Tocantins, Marcelo Miranda

A BJF pretende estabelecer parcerias com os produtores e para isso vai apoiá-los na regeneração de passivos ambientais, , definidos por lei, e na criação de novas áreas florestadas

A implantação do Corredor de Biodiversidade do Araguaia foi o tema da audiência do governador Marcelo Miranda e o diretor da Black Jaguar Foundation (BJF), Lambertus Josephus Valks, na manhã desta sexta-feira, 24, em Palmas. O diretor da empresa holandesa veio ao Palácio Araguaia apresentar ao governador as ações que serão desenvolvidas pelo projeto e uma possível parceria da Fundação com o Governo do Estado. Segundo Marcelo Miranda, há uma preocupação do seu governo com as questões ambientais. “Hoje o mundo se discute as questões ambientais e aqui no Tocantins não é diferente. Estamos preocupados com a preservação e recuperação das nascentes dos nossos rios. Por isso estamos abertos para discutir projetos alternativos e sustentáveis para o estado. Esse projeto chega num momento oportuno”, enfatizou o governador. Considerando a reunião positiva, Lambertus Josephus Valks contou que foi possível perceber a preocupação do governador tocantinense com as questões ambientais. “A reunião foi fantástica. Reunião com pessoas como o governador são importantes, porque percebemos que é possível realizar o sonho de implantar o projeto”, declarou. A secretária de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Meire Carreira, que também participou da reunião, disse que o Estado pode ser um grande colaborador, principalmente para subsidiar a fundação com informações para o mapeamento do rio Araguaia, bem como, na mobilização dos produtores da região para aderirem ao projeto. Visita Durante o encontro, o diretor da Black Jaguar Foundation (BJF) apresentou um vídeo com ações de um projeto piloto que já vem sendo realizado na região, e convidou o governador para visitar a sede da Fundação, em Amsterdam, na Holanda. Segundo ele, está prevista para agosto a visita de patrocinadores holandeses do projeto ao Tocantins.

O corredor
O Corredor de Biodiversidade do Araguaia constitui o maior projeto dessa natureza do mundo, com 2.600 km de extensão e até 40 km de largura, ao longo dos rios Tocantins e Araguaia. A área total compreendida pelo projeto contempla 10,4 milhões de hectares. O corredor implicará no replantio de milhões de árvores nativas em vários estados brasileiros, incluindo o Estado do Tocantins.
O corredor começa no Parque Nacional das Emas, em Goiás, e se estende até a foz do rio Tocantins, em Belém (PA).
Piloto Um projeto piloto da BJF já está em curso no município de Caseara, com a Fundação financiando a restauração florestal e adequação ambiental de duas propriedades rurais, num total de 1.300 hectares.

A Fundação
A BJF foi fundada em Amsterdam, Holanda, em 2009 e é composta por uma equipe de profissionais, fornecedores e embaixadores, que partilham de uma grande preocupação e compromisso com o meio ambiente mundial. Essas pessoas são empenhadas em fazer a sua parte para restaurar o equilíbrio entre a natureza e a humanidade, em estreita cooperação com parceiros de renome mundial. O BJF é uma organização sem fins lucrativos.


Assembleia

Aprovada lei que transforma Unitins em Universidade

P7-3
Comunidade acadêmica apoia integralmente a transformação

Foi aprovado por unanimidade na quinta-feira, dia 23, o Projeto de Lei nº 26, de 13 de junho de 2016, do Governo do Estado, que transforma a Unitins em autarquia, com a denominação de Universidade Estadual do Tocantins. A medida confere à nova universidade todas as prerrogativas de pessoa jurídica de direito público, integrante da administração indireta do Estado, vinculada a Secretaria da Educação, Juventude e Esportes (Seduc). De acordo com o Projeto de Lei, as referências a emprego público, empregado público, salário e Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), constantes das leis 2.892 e 2.893, ambas de 19 de março de 2014, se convertem em cargo público, servidor público, vencimento e Estatuto dos Servidores Públicos. Na justificativa, o governo garante que a proposta se reveste de inteira positividade e que a transformação deve conferir a Unitins tratamento de Fazenda Pública, significando dizer que desfrutará dos privilégios processuais próprios das pessoas jurídicas de direito público.
A reitora Elizângela Glória Cardoso, avalia que será um novo momento na vida da Unitins. “A aprovação deste projeto representa um grande avanço para a Unitins, mas também para a sociedade tocantinense. Quero agradecer, de público, a coragem do nosso governador Marcelo Miranda de priorizar a educação, porque investir em educação é investir no ser humano”, disse a reitora, entusiasmada com o apoio que a universidade vem recebendo do governo, dos deputados e da sociedade. A reitora aproveitou para agradecer a compreensão da comunidade acadêmica que apoia integralmente as transformações que, segundo ela, representa o inicio de um novo tempo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here