Vereadores de Goiânia aprovam cobrança adicional do IPTU

0
2384
Antonio Uchoa, Carlos Soares, Deivison Costa, Denício Trindade, Zander Fábio, Divino Rodrigues, Bernardo do Cais, Edson Automóveis, Eudes Vigor, Richard Nixon, Fábio Caixeta, Felizberto Tavares, Jorge do Hugo, Paulo da Farmácia, Mizair Lemes Júnior

Na sessão de quinta-feira, dia 30 de junho, da Câmara Municipal de Goiânia, por 16 votos a 13, a base de apoio do prefeito Paulo Garcia, do PT, rejeitou  o decreto legislativo, de autoria do vereador Elias Vaz, do PSB, que propunha a suspensão da cobrança do adicional do IPTU deste ano. A situação repetiu a mesma votação, da última terça-feira, dia 28, quando foi aprovado o pedido de vista do líder do prefeito na Casa, Carlos Soares. Para aprovar o decreto, seriam necessários 18 votos favoráveis, em votação única.
Oito vereadores da oposição ocuparam a tribuna para criticar o Paço Municipal, com pesadas restrições à administração de Paulo Garcia. A maioria enfatizou que a cobrança é ilegal, além de constituir-se uma injustiça.
Clécio Alves, do PMDB, por exemplo, “esse governo é um desastre total. Esse adicional é um desastre, um absurdo, um assalto ao contribuinte”. Célia Valadão, também do PMDB, disse acreditar que “a população está sendo lesada com esse acréscimo no imposto. Vamos repetir, é uma aberração. Estou apenas atendendo os clamores da população ao me posicionar contra esse absurdo”.
Por sua vez, o autor do decreto, Elias Vaz, afirmou que “sua proposta visa apenas impedir essa ação de ilegalidade. Abri uma guerra contra o Paço por causa, por se tratar de uma cobrança injusta. Quero lamentar o resultado da votação igualmente. Esse Poder está submisso ao Prefeito. Uma parcela aqui só saber atender a vontade do Paulo Garcia. Uma péssima postura, pois aprovar uma arbitrariedade contra o contribuinte”.
Outros vereadores da oposição que ocuparam a tribuna para criticar o adicional do IPTU foram Geovani Antônio, Thiago Albernaz e Cristina Lopes, do PSDB, Djalma Araújo, Rede, Pedro Azulinho Jr, do PSB.
Ao final, nenhum vereador da base do Prefeito ocupou a tribuna para falar sobre o assunto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here