Comissão de Auditoria e Assemp têm proposta para manutenção de planos de saúde

0
2102

Novas regras foram estabelecidas para os membros da Associação dos Servidores Municipais de Palmas (Assemp), que utilizam o plano de Saúde Unimed, após conclusão da auditoria realizada para averiguar as particularidades do convênio.

Após minucioso trabalho ficou determinado que somente servidores efetivos, aposentados e pensionista do PreviPalmas e que sejam associados podem utilizar o plano de saúde Unimed Palmas. Também foi decidido que a partir de 1° de julho de 2016, todos os servidores efetivos, aposentados e pensionista do PreviPalmas, que ingressarem no plano só poderão fazê-lo na modalidade integral e ficou suspenso, de imediato, o servidor em atraso com o plano de saúde, funcionários à disposição, com ônus para o órgão requisitantee funcionários em licença por interesse particular

Também ficou determinado que o servidor que possui o plano de saúde na modalidade coparticipação, quando da utilização de algum procedimento que supere a sua remuneração, solicite autorização na Assemp, pois conforme contrato com a prestadora de serviços, esses procedimentos serão divididos somente em três parcelas, não ficando a cargo da Associação, nenhum valor acima da capacidade de pagamento de cada associado.

Todas essas decisões entraram em vigor a partir da assembleia, retroagindo seus efeitos a 1° de julho de 2016”, explicou o então presidente da comissão de Auditoria, Antônio Edson Gomes de Souza.

Entendendo o caso

A auditoria no plano de saúde Assemp/Unimed foi instaurada após a suspensão dos serviços por conta de uma dívida da Associação com a prestadora de serviços. Segundo análises e conclusão da Comissão de Auditoria a dívida foi gerada por uma cadeia de responsabilidades, envolvendo a Prefeitura de Palmas a Unimed e a própria Assemp.

Segundo o relatório, não houve desvio de recursos por parte da atual diretoria da Assemp. “A dívida foi causada por fatores diversos, sendo os principais: servidores comissionados e/ou contratados que se desligaram e não foi informado a Assemp e a Unimed, para que fosse dado baixa no Plano, o mesmo acontecendo com servidores em licença de interesse particular ou cedidos com ônus para o órgão requisitante”, esclareceu.

O presidente Antônio Edson ainda falou sobre a modalidade de coparticipação, em que servidores utilizaram serviços que ultrapassaram sua capacidade de pagamento e mesmo assim a Unimed encaminhou o débito total. “Segundo o contrato entre a Assemp e a Unimed esses descontos deveriam ser parcelados em até três vezes e só após terem sido autorizados pela Assemp”

Para que a Unimed continue a atender os servidores usuários do Plano de Saúde por meio da Assemp, além do reajuste já previsto de 13,55%, ainda será acrescido 5%, para criação de um fundo de reserva e mais 16, 45%, para rateio da dívida entre todo os associados. “Após quitação da dívida, estes 16,45% deixarão de ser cobrados”, explicou Antônio Edson.

O presidente da Assemp, Jordeon Gama disse sentir-se satisfeito por ter sido comprovada, por meio da auditoria, a lisura de sua gestão, junto com os demais membros da Diretoria da Assemp. “Assim ficou provado que não houve desvio de qualquer natureza, nem apropriação indébita de nossa parte, como muitos insinuaram”, avaliou.

Jordeon Gama considerou também que as decisões tomadas pela maioria dos servidores presentes, de quitar a dívida com a Unimed deverá ser acatada. “Agradeço a os servidores presentes, em especial aos que trabalharam na auditoria. É importante frisar que assembleia é soberana, e a maioria decidiu pelo adicional sugerido pela comissão de auditoria para pagar a dívida do plano de saúde, então é esta proposta que levaremos a Unimed”, finalizou. (Do Site Agora-TO)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here