Maternidade N. Sra. de Lourdes tem novo perfil de atendimento

0
911
Maternidade Nossa Senhora de Lourdes. Foto Divulgação

A Secretaria da Saúde de Goiás está redefinindo o perfil de assistência e atendimento dos hospitais da rede pública, para a adequação das estruturas hospitalares ao volume e tipo de pacientes atendidos. A Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL) e do Hospital Materno Infantil (HMI), ambos em Goiânia, são complementares.

A maternidade é retaguarda do hospital e passa a ser dedicada ao atendimento de parturientes de baixo risco, com parto humanizado e voltado para a redução das cesarianas, favorecendo o parto normal. Já o Materno Infantil ficará reservado para os casos de gestação de alto risco, cujos recém-nascidos necessitam de internação em UTI neonatal com mais frequência e as mães, de retaguarda para possível internação em UTI materna.

Serviços
Alguns serviços ofertados na Maternidade Nossa Senhora de Lourdes, como a prevenção do câncer cervical e o planejamento familiar, não necessitam de estrutura hospitalar para sua prestação, nem de profissionais de saúde especializados em casos de média e alta complexidades. Podem e devem ser prestados pela Rede de Atenção Básica Municipal, como postos de saúde, Cais e Ciams, conforme determina a rede de saúde SUS.

Sendo assim, a Nossa Senhora de Lourdes está adequando o seu perfil assistencial, com foco no parto normal e humanizado, atendendo as diretrizes da Rede Cegonha. Essa adequação implicará no aprimoramento da qualidade assistencial e não significa redução de serviço. A diretora técnica das duas unidades de saúde, Sara Gardênia, informa que, com a adequação, a maternidade vai ampliar a oferta de vários serviços, como o incentivo à formação e à assistência por doulas, a analgesia de parto e a enfermagem obstétrica.

Prioridade da Maternidade Nossa Senhora de Lourdes será o parto humanizado e normal.

Prioridade da Maternidade Nossa Senhora de Lourdes será o parto humanizado e normal.

Atendimentos
Ainda sobre o atendimento, a diretora explica que a MNSL sempre teve, e permanece tendo, pediatra 24 horas, para atender aos bebês que nascem na unidade, mas que isso não significa que o atendimento ambulatorial será ininterrupto. “A maternidade tem que ter pediatra 24 horas, afinal vai trabalhar com parto normal. Agora, o mesmo não se aplica ao atendimento ambulatorial”, esclarece.

Com a adequação do perfil, a maternidade funcionará como retaguarda do Materno Infantil na atenção as gestantes de risco habitual (baixo risco) e o quadro de RH será organizado e distribuído dentro do perfil proposto. A adequação não prevê redução no atendimento, nem do quadro de servidores e trabalhadores. O único serviço que deixou de ser prestado pela maternidade foi o agendamento de consultas de pacientes do serviço de mastologia para 2017. Segundo a diretora Sara Gardênia, com a adequação do perfil, o serviço será prestado pela rede assistencial de Goiânia e, portanto, seria incoerente agendar atendimentos na Nossa Senhora de Lourdes.

Como a maternidade possui mais de 40 anos e é uma referência no atendimento de gestantes e bebês na Região Leste de Goiânia, a adequação do perfil foi tema de uma reunião entre a Secretaria da Saúde de Goiânia e a Secretaria da Saúde de Goiás, para definição da regulação de pacientes. Consultoria da SES na MNSL constatou que a média de consultas é de 3 por dia e a diretora Sara Gardênia está certa de que a rede da SMS Goiânia não terá dificuldade em absorver essa demanda.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here