Projeto pretende vedar a apreensão de veículos com IPVA atrasado em Goiás

0
1010

Na Bahia, por decisão liminar da Justiça, é proibido ao Detran, desde 2014, apreender veículos que estiverem com o IPVA atrasado. Em Goiás, alguns advogados já entraram com representações na Justiça com o mesmo fim. A juíza baiana que proferiu a sentença explicou: “Apreender veículo nas ruas por conta de débito de IPVA, seria o mesmo que expulsar, sem qualquer prévio aviso, o cidadão de seu lar em caso de não efetuar o pagamento do IPTU da sua residência.” No embalo dessa onda aprovada pelos proprietários de veículos, o deputado estadual Henrique Arantes (PTB) apresentou na Assembleia Legislativa projeto de lei que pretende vedar a apreensão de veículos em caso de atraso no pagamento do IPVA, em Goiás. Henrique Arantes considera que por ser um imposto anual, o IPVA deveria ter um prazo mínimo para pagamento de até um ano. “O objetivo é garantir que o contribuinte tenha seus direitos resguardados, tendo um prazo de adequação financeira para que não tenha seu veículo apreendido”. O parlamentar também compara o imposto veicular com o imposto dos imóveis, o IPTU. “Muitas pessoas usam o carro para trabalhar. E quando chega o mês de pagar o IPVA, o impacto no bolso é enorme para muitos cidadãos. Muitas famílias nem sempre conseguem se preparar para este impacto e acabam piorando sua situação financeira. Se perdem o veículo tudo isso desmorona”, ressaltou o deputado. Henrique Arantes também é autor da proposta (em tramitação na Assembleia Legislativa) que viabilizaria o parcelamento do IPVA em até 12 meses. Hoje o imposto pode ser parcelado em apenas três vezes se não estiver atrasado.


“É só fazer a conta: estamos no início de agosto, ela vai ser instalada na terceira semana. É só fazer a conta para ver que é impossível, é muito difícil, mesmo que a gente quisesse, ter essa matéria pronta para votação na comissão antes das eleições municipais”

Presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) considera “impossível” que a proposta de emenda à Constituição (PEC) que limita os gastos públicos do governo federal seja votada antes das eleições municipais de outubro.


Vai e vem
O senador Ronaldo Caiado, presidente regional do DEM, tirou o partido da base do prefeito Maguito Vilela (PMDB) em Aparecida de Goiânia na noite de quinta-feira, dia 4. Tudo por conta da escolha de Veter Martins (SD) como vice de Gustavo Mendanha, candidato a prefeito pelo PMDB. O DEM tentou emplacar o nome do vereador Manoel Nascimento. Mas depois de uma longa conversa com o prefeito Maguito Vilela em sua casa, em Goiânia, Caiado resolveu manter o DEM na base do prefeito apoiando a candidatura de Gustavo Mendanha (PMDB)

Aposentadoria?
Iris Rezende anunciou aposentadoria política, mas não tirou férias, nem viajou para alguma de suas fazendas. Permaneceu em Goiânia fazendo reuniões diárias em seu escritório e articulando o PMDB na capital.

Salvador da pátria
Mesmo “aposentado” Iris Rezende pressionava o PMDB para ter candidato próprio em Goiânia já sabendo que o partido não tinha outro nome a apresentar a não ser o seu. Os cinco pré-candidatos que surgiram nos últimos dis seriam fiasco eleitoral e Iris foi aclamado pelos correligionários a voltar. Ou seja, fez o que fez e ainda voltou como o salvador da pátria. Deu tudo certo.

Pois é!
Agora ninguém pode dizer que Iris Rezende não deu oportunidade para novas lideranças. Ele anunciou aposentadoria e o PMDB ficou batendo cabeça, sem rumo e, principalmente, sem nomes competitivos para apresentar à sociedade goianiense.

Que coisa
Na manhã de quinta-feira o noticiário político da capital ficou enlouquecido com a movimentação do PSDB e de parte do PMDB que costuravam aliança entre o governador Marconi Perillo e o ex-prefeito Iris Rezende para apoiar o peemedebista na capital. Soou estranho, mas houve a discussão, que não avançou.

Veto de Daniel
Presidente regional do PMDB, o deputado Daniel Vilela (foto) se enfureceu com a articulação até porque ele não sabia direito o que estava acontecendo. “No Twitter ele postou: “Sabemos que essas conversas estão ocorrendo em Goiânia, num estágio avançado. É um erro o PMDB se aliar a este governo falido!” Para ele, é impensável essa possibilidade.  “É inadmissível o PMDB em Goiânia deixar uma candidatura a prefeito ser conduzida pelo seu algoz. Não precisamos disto para ganhar eleição”. E acrescentou: “Não compactuamos com conchavo político com o governador e quem está articulando isto deve explicações ao PMDB e aos eleitores”. Depois, à tarde, Daniel Vilela leu carta apoiando o nome der Iris para prefeito de Goiânia.

Chance zero
Esposa de Iris Rezende, as ex-deputada Iris Araújo também não aceitava a possibilidade aventada de um acordo entre Iris e Marconi na capital. “A quem interessar possa: a possibilidade de um encontro entre Iris e Marconi para tratar de acordo de qualquer natureza é zero!!”, afirmou ele no Twitter. “Cada qual que cuide de sua campanha e seus candidatos. Melhor do que ficar tentando inventar a roda”, acrescentou.

Prejudicados
Delegado Waldir (PR) e Vanderlan Cardoso (PSB), o primeiro e o segundo colocados nas pesquisas depois da falsa aposentadoria de Iris Rezende, foram os mais prejudicados com o retorno do cacique peemedebista. “Minha aliança é com o povo, as demais são indiferentes. Não existe reviravolta. Já havíamos previsto que isso iria acontecer, ou alguém duvidava disso?”, disse o Delegado Waldir.
Visitas ao escritório
É bom lembrar que o Delegado Waldir era visto quase que diariamente no escritório de Iris Rezende depois que ele anunciou seu afastamento da política.

Voltas da política
A reviravolta provocada por Iris Rezende mexeu com a sensibilidade dos políticos e gerou muitos comentários. Com a aposentadoria do ex-prefeito, Vanderlan Cardoso (PSB) chegou a ser a bola a vez para ser apoiado pelo PMDB na capital. Com a volta do velho cacique, ele teve que ir a público dizer que não aceitaria ser vice de Iris de forma alguma.

Apoio dos marconistas
Mas foi justamente Vanderlan Cardoso que saiu beneficiado nessa história. Não com o retorno de Iris, mas com a saída de Giuseppe Vecci (PSDB) da corrida sucessória em Goiânia. Sem opções viáveis, já que Francisco Júnior (PSD) e Luiz Bittencourt (PTB), a exemplo de Vecci, também não empolgavam o eleitorado, os tucanos, orientados pelo governador Marconi Perillo, resolveram apoiar Vanderlan para prefeito e indicaram o vereador Thiago Albernaz, neto do ex-prefeito Nion Albernaz, como o vice.

PSD e PTB mantém projeto
As cúpulas do PSD e PTB, siglas lideradas em Goiás por Vilmar Rocha e Jovair Arantes, decidiram na tarde de sexta-feira, dia 5, apoiar a candidatura do deputado estadual Francisco Jr (PSD) como candidato à prefeitura de Goiânia. A homologação aconteceu em convenção conjunta das legendas. O vice ainda será indicado pelo PTB já que Luiz Bittencourt  não aceitou ocupar o posto.
Base dividida
A base marconista não conseguiu a tão sonhada unidade em Aparecida de Goiânia. Acabou se dividindo em três palanques no município. O PSDB e o PP bancam as candidaturas do Professor Alcides e do coronel Sílvio Benedito, a prefeito e vice. O PSB e o PTB montaram palanque para Marlúcio Pereira e William Ludovico, candidatos a prefeito e vice. Já o PSD de Ademir e Max Menezes, estão apoiando Gustavo Mendanha, candidato a prefeito pelo PMDB.

Desolados
A saída de Giuseppe Vecci (PSDB) da disputa de Goiânia deixou muitas lideranças políticas e militantes desolados. Essas lideranças avaliam que quem mais perdeu foi o PSDB, que não lança um candidato próprio desde 2000, e a população goianiense. O parlamentar continua recebendo muitas manifestações de apoio e compreensão.

Apoio a Iris
O diretório do DEM de Goiânia oficializou sexta-feira, dia 5, apoio à candidatura de Iris Rezende (PMDB) à prefeitura da capital. Presidente regional do partido, o senador Ronaldo Caiado afirmou que agora o grupo de oposição que se uniu em 2014 tem chapa competitiva tendo à frente um nome de grande densidade eleitoral.

De olho em 2018
Ronaldo Caiado fez um intervalo na convenção do DEM para prestigiar o discurso que Iris Rezende fazia em frente ao diretório do PMDB.  No seu discurso, Caiado deixou claro que os arranjos de hoje já visam 2018. “Iris tem uma torcida apaixonada igual a da seleção brasileira. Ele será o grande timoneiro do processo eleitoral deste ano e também de 2018. Juntos faremos um grande arrastão pelas ruas de Goiânia”, declarou.

Goianésia
Em Goianésia, o PMDB homologou em convenção o nome do deputado estadual Renato Castro como candidato a prefeito e de Carlos Passos (DEM) como seu vice. É a Coligação Goianésia Merece Mais

Catalão
O PMDB de Catalão homologou o nome do deputdo estadual Adib Elias para prefeito, tendo como vice Rodrigão Carvello (SD), que é o atual vice-prefeito, mas deixou a base de Jardel Sebba (PSDB). Jardel, por sua vez,  vai para a reeleição tendo como vice Luciano Tampa (PSB).

Anápolis
Jovair Arantes, Vilmar Rocha e Alexandre Baldy, presidentes regionais do PTB, PSD e  PTN abandonaram a candidatura de Carlos Antônio (PSDB) e resolveram bancar a candidatura de Roberto Naves a prefeito de Anápolis pelo PTB. O vice será o pastor Márcio Cândido (PSD). Carlos Antônio terá como vice o pastor Elismar Veiga (PHS). Já o prefeito João Gomes (PT) vai disputar a reeleição tendo como vice o vereador Eli Rosa (PMDB).

Trindade
Candidatos a prefeito e vice confirmados em Trindade até o fechamento desta edição: Alexandre Compleite (DEM) e Leidiane Costa (DEM), Antônio Carlos (PR) e Marcelo Curicas (PRB), Jânio Darrot (PSDB) e Gleysson Cabriny (PSDB), Ricardo Fortunato (PMDB) e vice indefinido.

Venda da Celg
Leilão de venda da Celg, marcado para o dia 19 de agosto, tem ao menos cinco empresas interessadas em comprar a companhia. Elas são da Espanha, Brasil, China e Itália.

Inauguração
Apesar de ter sido probida pelo juiz Ricardo Prata, da 2ª Vara da Fazenda Pública Estadual, a Agência Goiana de Transportes e Obras Públicas (Agetop) manteve para esta segunda-feira, dia 8, às 10 horas, a inauguração do novo Estádio Olímpico. A assessoria da Agetop informou na tarde de sexta-feira, dia 5, que a Agência não foi notificada da decisão judicial e manteve  a inauguração do Centro de Excelência do Esporte para a mesma data e horário previamente agendados. O juiz exige que a Agetop troque as cores do Estádio de zul e amarelo por azul e branco. O azul e amarelo são as mesmas cores do PSDB, o partido do governador Marconi Perillo.

Cidade de Goiás
A convenção do PSL na Cidade de Goiás confirmou o nome do arquiteto e urbanista Joaquim Craveiro Curado (foto) como candidato do partido à Prefeitura. Antônio Ubiratan (PSL), ex-prefeito da Vila Boa, será seu vice. Como gestor público, Craveiro já esteve à frente da Companhia de Urbanização de Goiânia (1986/1987), presidiu a Companhia de Iluminação de Goiânia (Comluz) e a Companhia de Obras de Goiânia (Comob), além de ter sido secretário municipal de Obras e Serviços Públicos da Prefeitura de Goiânia.


Rápidas

O juiz Ricardo Prata, da 2ª Vara da Fazenda Pública Estadual, determinou mais uma vez ao Estado de Goiás que convoque e nomeie candidatos aprovados no cadastro de reserva no concurso para soldado e cadete da Polícia Militar no importe mínimo de R$ 858.081,90.
Esse valor refere-se à diferença entre o valor gasto com os subsídios do Serviço de Interesse Militar Voluntário Estadual (Simve) no mês de maio de 2015 (data da decisão judicial) e os subsídios pagos aos PMs convocados em maio deste ano para ocupar as vagas do extinto Simve.
Segundo o Ministério Público, o valor do subsídio pago ao soldado 2ª classe em março deste ano foi de R$ 4.092,32 e o do cadete, de R$ 5.427,42. Desta forma, a estimativa é que, pelo valor definido pelo juiz, seria possível nomear pouco mais de 10 cadetes e cerca de 180 soldados.
A decisão do juiz Ricardo Prata atende a pedido do promotor de Justiça Fernando Krebs. O prazo para cumprimento dessa nova decisão judicial é de 30 dias, devendo ser comprovado o valor gasto com as convocações dos policiais no mesmo período

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here