Rede estadual prepara estudantes para o Enem

0
1104
Superintendente de Ensino Médio Wisley Pereira: aulas extras serão oferecidas com conteúdo especialmente voltado para o Enem

Em busca de uma boa pontuação no Enem, estudantes se apoiam em aulões e simulados com conteúdo especialmente voltado para a avaliação anual

Fabiola Rodrigues

Mais de 55 mil estudantes das escolas públicas de Goiás se inscreveram para a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano, que será aplicada nos dias 5 e 6 de novembro. São 10 mil inscritos a mais que o ano passado. A grande maioria está em busca de uma boa nota para garantir uma vaga num bom curso superior. No período que antecede a prova os estudantes das escolas estaduais intensificam os estudos com aulas extras oferecidas com conteúdo especialmente voltadas para o Enem.
A recepção aos alunos do 3º ano do ensino médio neste segundo semestre está bem diferente. Para aqueles que desejam uma boa pontuação na prova esse é o momento de concentrar nos estudos. O superintendente de Ensino Médio da Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce), Wisley Pereira, diz que provas e simulados serão aplicados como testes.
“Os professores da rede estão orientados a aplicar simulados semelhantes aos da prova do Enem. É hora de redobrar a dedicação no estudo e resolver muitos exercícios. Os educadores vão envolver as turmas tentando manter os alunos focados através de aulões, testes e simulados desde o mês de agosto”, conta o superintendente.
O Enem Express, que são aulas de revisão de avaliações, será oferecido para os estudantes que estão cursando regularmente o último ano do ensino médio e que vão fazer a prova em novembro. As aulas de revisão acontecerão na capital e em algumas cidades do interior do estado. A lista com data e locais das revisões ainda será divulgada pela Seduce.
“Nesse momento é muito importante motivar ainda mais o estudante. Os dois dias de provas são muito cansativos. Toda preparação deve ser bem feita, inclusive trabalhando a questão motivacional. O preparo psicológico do aluno precisa estar bom também. Quanto mais capacitado ele se sentir, melhor serão os resultados”, lembra Wisley Pereira.
No final do mês de julho os educadores da rede estadual separaram alguns dias para se dedicar a pesquisas de materiais de apoio apoio nas revisões e conteúdos aplicados em sala de aula.
“Desde o começo do segundo semestre do ano letivo, os professores vêm aplicando exercícios para dar mais preparo aos alunos, para não se sentirem pressionados ao se depararem com a prova”, comenta o superintendente.
O superintendente destaca que este ano os estudantes podem usar o aplicativo MECflix, que pode ser baixado no celular. Basta o aluno fazer a senha e login para ter acesso às provas anteriores do Enem, como também corrigir exercícios. Quem estiver conectado, todos os dias, às 18 horas, poderá conferir videoaulas ao vivo com professores tratando sobre temas de provas e explicando o conteúdo.
Wisley Pereira lembra que esta plataforma foi criada para dar chance a mais para os estudantes que não têm condições de pagar um cursinho. Através do acesso à internet, este ano, alunos poderão desde já se preparar melhor.


Correção individual ajuda a melhorar texto

Estudantes estão recebendo aula de reforço de redação em sala de aula
Estudantes estão recebendo aula de reforço de redação em sala de aula

Os alunos da Escola Estadual Pedro Gomes, localizada no Setor Campinas em Goiânia, estão recebendo aula de reforço de redação em sala de aula. A professora de português Ludmyla Gomes está fazendo um trabalho diferente no ambiente escolar em que ela leciona.
“É muito importante realizar boa redação em uma prova dessa grandeza. Não adianta saber outras áreas do conhecimento sem tirar boas notas nas redações. Ela é decisiva para o aluno sair na frente”, comenta a professora.
Ludmyla Gomes está aplicando temas de redações que podem ser os mesmos do próximo Enem. Ao corrigi-las, não está apenas entregando para os alunos, ela chama cada um em sua mesa e refaz a correção com o estudante para ele saber onde estão suas maiores dificuldades e os motiva a melhorar.
“Estou trabalhando dessa maneira para capacitá-los ainda mais. Tratar a dificuldade do aluno de forma particular faz ele crescer muito. A devolutiva para ele é essencial”, diz Ludmyla Gomes.
Para os estudantes terem sucesso, a professora sugere que quando eles forem realizar a prova do Enem façam um rascunho da redação. E, no final, devem tirar pelo menos 50 minutos para revisar o texto e reescrevê-lo.
No mês de outubro os alunos terão duas semanas intensivas de orientações e de revisão. Mas antes farão simulados para saber explorar melhor as matérias que têm mais dificuldade.
“Estamos com ótimos materiais de conteúdo. Vamos saber melhor o que trabalhar nas duas semanas intensivas após o resultado do simulado”, lembra a professora.


Estudante Nagida Silva: “Meu preparo é para tirar a melhor nota possível na prova”
Estudante Nagida Silva: “Meu preparo é para tirar a melhor nota possível na prova”

 

O superintendente de Ensino Médio da Seduce, Wisley Pereira, observa que intensificar a jornada de estudos não é algo simples. Por isso dá algumas dicas que podem ser fáceis de serem aplicadas nos poucos meses que antecedem a prova do Enem.
“Dormir bem, alimentar bem, evitar o uso exagerado das redes sociais são dicas importantes para o bom rendimento do estudante. Se ele começar a mexer no WhatsApp ou Facebook, o tempo de estudo não rende. Separar durante a semana um período de estudos é importante. Começar primeiro a rever as matérias que o aluno tem mais dificuldades deve ser uma prioridade”, orienta Wisley Pereira.
O superintendente lembra que o apoio dos pais é essencial para que os alunos se dediquem a jornadas mais longas de estudos. Com o incentivo da família, a trajetória se torna menos sobrecarregada.
A estudante Nagida da Silva, de 18 anos, é uma das candidatas que prestarão o Enem pela primeira vez este ano. A aluna estuda numa escola estadual de Senador Canedo e está se dedicando ao máximo para se sair bem nas provas, pois sabe que os familiares não têm condições de ajudá-la a pagar uma faculdade.
“Estou motivada e estudando bastante. Na escola tenho aproveitado todas as oportunidades. Meu preparo é para tirar a melhor nota possível. As dificuldades financeiras atualmente não me possibilitam pagar um faculdade particular. Preciso me sair bem”, conta a estudante.
Nagida Silva vem recebendo acompanhamento dos professores. Ela diz que as chances de atingir boas notas existem. Por isso está se preparando muito, estudando em casa mesmo, com orientação dos professores e ajuda da internet.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here