Brasil Central firma acordo para combater crime organizado

0
1309
Governador Marconi Perillo é o presidente do Consórcio Brasil Central, formado hoje por 10 estados brasileiros

Sob a liderança do governador Marconi Perillo, 4º Fórum do Consórcio Brasil Central estabelece medidas para  mapear organizações criminosas que atuam nas fronteiras e divisas

O combate às organizações criminosas que atuam nas fronteiras e divisas dos Estados que compõem o Consórcio Brasil Central, presidido pelo governador Marconi Perillo, foi o principal tema dos debates e medidas do 4º fórum do bloco em 2016, realizado em Bonito 9MS), nasexta-feira, 19. Por sugestão de Marconi, os governadores determinaram que as forças de segurança locais promovam, por meio do Pacto Integrador de Segurança Pública Estadual, o mapeamento da atuação das quadrilhas que atuam na região.
O Fórum de Bonito também foi marcado pelo pedido formal de adesão do Maranhão ao Consórcio Brasil Central. O encontro reuniu os governadores de Goiás, Marconi Perillo, presidente do Consórcio e os governadores Reinado Azambuja (MS), Flávio Dino (MA), Pedro Taques (MS), Marcelo Miranda (TO) e contou com a participação de um representante do governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg.
Na abertura da plenária dos governadores foi apresentado pelo secretário de Segurança Pública de Goiás, o vice-governador José Eliton, um vídeo sobre o Pacto Integrador de Segurança Pública Estadual – ele é coordenador regional das ações. O Pacto conta com comitês de inteligência, análise criminal, planejamento e ações integradas. O objetivo é o combate articulado, inteligente e estratégico das organizações criminosas que atuam dentro e fora do sistema prisional.
Os Estados integrantes do Pacto já estão realizando ações conjuntas na área de inteligência, cadastros de criminosos e operações estratégicas de combate ao crime organizado. Recentemente, houve as policias de Goiás e do Tocantins atuaram em operações de combate ao chamado “novo cangaço” em três municípios dos dois Estados.
Na avaliação dos governadores, o Pacto é estratégico para o enfrentamento à violência nos Estados, principalmente em função da tímida participação da União no custeio da Segurança Pública.  Os governadores de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Distrito Federal, Tocantins e Rondônia aprovaram a Carta de Bonito, que será encaminhada ao presidente Michel Temer, ao presidente do Senado, da Câmara dos Deputados e às autoridades federais de Segurança Pública.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here