Música contra as drogas

0
1221
Música contra as drogas

Programa do Governo estadual aposta na linguagem descontraída do rock como forma de aproximação com os adolescentes e, assim, estabelecer uma confiança no diálogo

Fabiola Rodrigues

Por meio da música e apresentações culturais, estudantes das escolas públicas em Goiás estão aprendendo a dizer não às drogas. O projeto “VemSer”, desenvolvido pelo Grupo Executivo de Enfrentamento às Drogas (Geed), do Governo estadual, leva o rock para o ambiente escolar, com o objetivo de chamar a atenção dos os alunos para buscar um estilo de vida saudável.
O projeto começou no mês de junho. A banda de rock EX4 anima os estudantes e entoando letras que incentivam a cidadania, a paz, o amor ao próximo, o respeito, os músicos lembram sempre os alunos sobre os malefícios trazidos pelas drogas.
O objetivo é alcançar até dezembro 18 mil estudantes de 23 escolas da rede estadual localizadas nos 15 bairros de Goiânia com maiores índices de criminalidade. O baterista da banda, Robson Caffé, ressalta a importância de levar a conscientização para os alunos através da música.
“Fazemos uma palestra musical contra a violência, o preconceito e as drogas. Quando um policial chega fardado nas escolas, existe uma certa resistência para os estudantes receberem essas informações. Até veem como se fosse uma afronta. Acredito que estamos no caminho certo”, diz o baterista.
A banda de rock é do estado de São Paulo e lá teve treinamento da Polícia Militar através do Programa Educacional de Resistências às Drogas e Violência (Proed). O treinamento serviu para capacitar os músicos a orientar os estudantes da maneira correta.
“Não damos depoimentos de ex-dependentes químicos para deixar os estudantes comovidos. Incentivamos a prevenção do uso das drogas lícitas ou ilícitas. Trabalhamos com o conceito de cidadania e de resgate. Isso ficou claro pra banda”, observa Robson Caffé.
A Escola Estadual Joaquim Edson de Camargo, localizada no Jardim Novo Mundo, em Goiânia, foi a terceira e receber a ação preventiva. O primeiro contato com os estudantes é para que eles tenham a aceitação das mensagens. Depois de algum tempo vem a continuação do trabalho através das oficias realizadas pela banda de rock e grupo de street dance e breakdance.
A diretora da escola, Rosângela do Carmo, diz que realizar esse trabalho de conscientização através da arte é fundamental.
“Quando o estudante recebe empenho ele muda totalmente. Vamos conseguir resgatar muitos alunos. As oficinas que serão realizadas com os grupos que vieram fazer as apresentações serão outro grande passo para a prevenção do uso das drogas”, diz a diretora.
Oferecer lazer na escola por meio da música dá a oportunidade de o estudante receber as informações de maneira positiva. Rosângela do Carmo elogia a nova maneira de levar a conscientização para o ambiente escolar.

Diretora Rosângela do Carmo:  “Através da cultura conseguiremos tratar assuntos polêmicos”
Diretora Rosângela do Carmo:
“Através da cultura conseguiremos tratar assuntos polêmicos”

“Existem várias formas de se comunicar com os jovens. Através da cultura conseguiremos tratar sobre assuntos que para eles são polêmicos e até mesmo resgatar valores que deveriam ser construídos pela família”, observa.
Na escola a apresentação musical realizada no último dia 16 deu abertura para alguns estudantes do colégio apresentarem um trabalho musical de percussão feito com materiais recicláveis.
“Incentivar os alunos por meio dos ritmos musicais traz o envolvimento deles com o ambiente escolar e afasta eles das ruas. Além de não deixá-los vulneráveis para criminalidade”, ressalta a diretora.
A estudante Izabela Santos, que faz parte da banda escolar de percussão, diz se sentir privilegiada em receber na escola um movimento de conscientização por uma banda de rock.
“Estou surpresa e feliz com a apresentação que recebemos. Faz grande diferença para nós aprendermos a praticar condutas corretas de vida, como amar o próximo e principalmente não envolver com drogas”, comenta, motivada, a estudante.
O Projeto VemSer nas escolas públicas leva aos alunos propostas e depoimentos de superação para jovens, motivando-os a buscarem realizações dos seus sonhos dentro do esporte, música e dança. Nenhum dos integrantes da banda foi usuário de drogas. A intenção é apoiar os estudantes de forma preventiva.
“Queremos provar que é possível viver bem sem fazer o uso de qualquer substância que causa dependência química. O evento é uma surpresa justamente para evitar a evasão escolar. Porque geralmente os alunos que mais precisam nos ouvir, se ficarem sabendo não vão para a escola no dia”, ressalta o baterista.

Oficinas
A coordenadora do Geed, Joelma Fernandes, diz que as oficinas ainda não começaram nas escolas que já receberam as apresentações culturais, porém ainda este mês a programação será divulgada com a lista dos colégios contemplados.
“Estamos montando as agendas e em breve faremos a segunda parte do trabalho. Nossa intenção não é apenas fazer uma apresentação preventiva, mas acompanhar de perto a vida do estudante e proporcionar a ele uma convivência saudável, longe de qualquer tipo de vício”, observa.

A apresentação musical deu abertura para alguns estudantes do colégio  apresentarem um trabalho de percussão feito com materiais recicláveis
A apresentação musical deu abertura para alguns estudantes do colégio
apresentarem um trabalho de percussão feito com materiais recicláveis

Trabalho preventivo será levado a todo o estado

Responsável pela coordenação e operacionalização das políticas de combate às drogas em Goiás, o Grupo Executivo de Enfrentamento às Drogas (Geed) é constituído por sete órgãos do Estado: secretarias da Educação, Cidadã, Planejamento, Segurança Pública, Saúde e Casa Civil e Fundação de Amparo à Pesquisa (Fapeg). Desde sua criação, em 2013, o grupo atua na prevenção, reinserção social e em cuidar daqueles que buscam por uma oportunidade de recomeço livre do uso de drogas.
O projeto VemSer é um dos realizados pelo Geed, que também desenvolve os projetos Caravana Anjos Urbanos, Comunidades Terapêuticas de Apoio e Farol. Todos buscam dar oportunidades para o dependente químico se reinserir na sociedade. Até o início do mês de setembro serão realizados dois dias de palestras e workshop, com a presença do governador Marconi Perillo, para estreitar ainda mais o apoio institucional aos órgãos envolvidos.
“Vamos otimizar o trabalho de combate às drogas nas escolas em Goiás. O governador autorizou continuarmos o VemSer em 2017 e vamos reforçar as equipes envolvidas”, comenta a coordenadora do Geed.
O Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proed) continua apoiando o ambiente escolar, com o Geed, para os alunos ficarem cada vez mais longe dos caminhos que levam aos vícios.
“A ideia central é conscientizar cada vez mais rápido as crianças e adolescentes de todas as escolas a dizer não para qualquer tipo de droga. Queremos fazer um trabalho preventivo permanente em todos os colégios, sejam eles municipais, estaduais ou particulares”, diz Joelma Fernandes.

Coordenadora do Geed Joelma Fernandes: “Vamos otimizar o trabalho de combate às drogas nas escolas”
Coordenadora do Geed Joelma Fernandes: “Vamos otimizar o trabalho de combate às drogas nas escolas”

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here