A disciplina da PM a serviço da educação

0
8975
FOTOS: paulo jose

Boa estrutura e disciplina são ingrendientes principais que tornam os colégios da Polícia Militar ilhas de qualidade na rede pública de educação

Yago Sales

“Se cheguei mais longe é porque me apoiei sobre os ombros de gigantes”. A frase, eleita pela turma do 3º ano do Colégio da Polícia Militar de Goiás Polivalente Vasco dos Reis, no Setor Oeste, em Goiânia, estampa a camiseta da estudante Letícia Lemes Scalabrini, de 17 anos. Para ela, gigantes são seus professores.
“Sem eles não teríamos chegado até aqui, porque se preocupam com o nosso futuro e fazem o possível para que tudo dê certo”, considera Letícia, que chegou à escola há 7 anos. Para cursar Direito em uma boa universidade, diz ela, bons educadores fazem a diferença. “Tenho os melhores professores da rede estadual de ensino”, disse.
Em uma sala de aula no Polivalente, sem dificuldades para explicar matemática à turma do 3º ano do ensino médio, a professora Márcia Gonçalves se orgulha do ambiente em que trabalha. “O interesse de nosso aluno, aliado à harmonia, salas climatizadas, respaldo de materiais, coordenadores presentes, fazem de nosso ensino um diferencial”, enumera a professora.
Outra característica que difere os colégios da Polícia Militar das outras escolas estaduais é o calendário de provas. “Ele é estabelecido para evitar desorganização da agenda do estudante e para nos organizarmos melhor”, explica Márcia.
A professora de Sociologia e Filosofia Vanessa Maia confirma que a instituição condiciona o professor à qualidade de ensino. “Nossa escola nos dá condições para sermos professores. Sem estrutura, é impossível ser professor”, defende. Maia, inclusive, é aluna especial do Mestrado em sociologia na área de educação.
A respeito das críticas às rotinas dos colégios militares — com disciplina rígida, por exemplo — a professora é enfática: “O colégio militar não é a solução, é a opção de que poderá dar certo”.
Enquanto a reportagem da Tribuna do Planalto percorria o colégio da Polícia Militar de Goiás Polivalente Vasco dos Reis, Larissa Siqueira Vidal, de 18 anos, entrou na sala dos professores para agradecê-los. Por meio do Programa Universidade para Todos (Prouni), ela conseguiu uma bolsa integral para cursar Enfermagem na Pontifícia Universidade Católica de Goiás.
“Não sei o que seria de mim sem esta escola. Aprendi os valores e um deles é  cuidar das pessoas. Por isso decidi ser enfermeira”, conta ao lado do amigo, Lucas Freitas, de 18 anos, com quem estudou na unidade.
Lucas cursa o 2º período de Direito na Universidade Federal de Goiás (UFG) e aceitou o convite da amiga para repartir com os professores a conquista de uma vaga na universidade pública. “O Polivalente é um lugar de oportunidades. Um ambiente de teoria e prática. Quem quer consegue”, completa.


“O que nos diferencia é a gestão”ess

O comandante do Colégio da PM Polivalente Vasco dos Reis, tenente-coronel Thelio Alexandre Araújo Amorim, reitera a importância do compromisso firmado entre a Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária e a Secretaria de Educação, Cultura e Esportes (Seduce). Para ele, o pilar dos bons resultados dos estudantes “é essa parceria que une o investimento e a disciplina”. Segundo o comandante, o papel dos militares é organizar a estrutura oferecida pela Seduce, a fim de promover um espaço adequado à educação e ao aprimoramento da qualidade do ensino.
Os colégios da Polícia Militar de Goiás fazem parte do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) e todos os livros são ofertados pelo Estado, como nas demais unidades escolares públicas. “O que nos diferencia é a gestão. Aqui, por exemplo, não falta professor”, garante Amorim.”Falta de professor é danoso”, defende.
Nas escolas geridas pela PM, o ambiente escolar fica mais adequado ao ensino, diz Amorim. Por exemplo, quando evita que professores se preocupem com a falta de tinta no toner, falta de papel, de xerox, de giz ou mesmo com a indisciplina do aluno. As escolas contam com assistência social.
Amorim ressalta a boa estrutura da unidade e o quadro de funcionários, o que contribui para a boa fruição do ensino. “Organizamos o ambiente, apaziguamos a sala de aula, a relação entre os alunos e os educadores. Trabalhamos o valor da família, do civismo, da cidadania”, diz o comandante.
A missão, ainda segundo ele, é ensinar os estudantes a se tornarem “cidadãos que respeitem as diferenças, as autoridades, os símbolos nacionais”. Ele não se esqueceu de destacar a importância da equipe pedagógica, que contribui para transformar o ambiente educacional em um espaço favorável à qualidade do ensino.

Disciplina
A disciplina é um fator determinante no ambiente de sala de aula dos colégios da PM. Em tempos de desrespeito ao professor, sem esse pré-requisito, a qualidade do ensino estaria comprometida. A indisciplina prejudica o andamento do ensino-aprendizagem. Uma sala de aula barulhenta, desrespeitosa, gera nos professores total desestímulo.
As 27 unidades dos colégios da Polícia Militar compõem a rede estadual de ensino, mas são administradas por militares e, claro, seguem suas regras. Uma marca é o uniforme impecável e a obediência a um preceito que não deveria ser exceção em qualquer instituição de ensino: o respeito ao professor.
Os meninos precisam, ainda, cortar o cabelo com a máquina 2 e frequentar o cabeleireiro a cada 15 dias. Não pode ter barba a fazer, usar brinco ou piercing. As meninas precisam estar alinhadas, com o cabelo devidamente amarrado. As unhas devem ser pintadas com cores discretas.


Ideb atesta qualidade do ensino em Goiás

A disciplina é considerada fundamental para o desempenho escolar das unidades. Em 2012, entre as 30 melhores escolas públicas do país, dez eram administradas por militares. Em 2012, o Colégio da Polícia Militar de Anápolis, a melhor de Goiás e uma das melhores do Brasil, obteve a média 6,7 no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, o Ideb.
Na edição de 2013, o Ideb apontou o Colégio da PM Hugo de Carvalho Ramos como o melhor escola pública de Goiânia, com a nota 6.3. Na terceira posição apareceu o Colégio da PM Polivalente Modelo Vasco dos Reis, com 5.7.
“Nosso ingrediente secreto é a participação de todos. Juntos, alunos, pais, o poder público, construímos um ambiente favorável à educação”, diz o coronel Anésio Barbosa da Cruz Júnior, à frente do comando das 27 colégios da PM de Goiás desde abril.
Para o coronel, o aluno é o protagonista. “O que fazemos é favorecer o desenvolvimento do estudante. Contribuindo para ele se tornar o ator principal”. Para ele, a disciplina é o instrumento potencializador do processo ensino- aprendizagem.
“Os resultados, portanto, não são vistos apenas em sala de aula, mas também em atividades complementares, de esporte à cultura. Damos condição para que o aluno tenha sucesso”, observa Anésio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here