Estudantes avaliam alimentos à base de soja

0
939
A soja produzida não provoca amargo nos alimentos e pode ser incluída no cardápio das crianças

A soja é um alimento rico em nutrientes, mas de difícil aceitação no cardápio alimentar por, normalmente, apresentar gosto amargo

Alimentos à base de soja foram oferecidos na merenda escolar para os alunos da Escola Municipal Antônio Fernandes no fim do mês de agosto, em Goianésia. Na ocasião, os alunos do 4º e 5º anos do ensino fundamental experimentaram algumas receitas preparadas com soja como arroz-doce, pão e leite e um questionário foi aplicado aos estudantes para verificar a aceitação do produto.
Inseri-la cardápio da merenda escolar e difundir uma nova variedade do grão. Trabalho nesse sentido está sendo desenvolvido pela Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater) para divulgar as variedades da soja BSRGO 8061, lançada neste ano, desenvolvida pela Emater, o Centro Tecnológico para Pesquisa Agropecuária (CTPA) e a Embrapa.
A soja é um alimento rico em nutrientes, mas de difícil aceitação no cardápio alimentar por, normalmente, apresentar gosto amargo. Como a soja não possui a enzima lipoxigenase, que provoca o amargor, a Emater entende que ela pode ser incluída na alimentação das crianças no ambiente escolar com facilidade com facilidade.


Alunos responderam questionário

A pesquisa, realizada com cerca de 50 alunos, teve como objetivo a validação da soja na alimentação humana. A respeito da aceitação do produto, a extensionista social Janete Rocha destacou que um curso de processamento foi realizado com três agricultoras familiares e três merendeiras. A partir de então, foram produzidos alguns pratos culinários contendo soja como ingrediente básico para suas receitas.
A respeito da inclusão desses alimentos nas receitas da merenda escolar, Janete destacou que “as crianças aceitaram bem os produtos”. Além disto, a extensionista completou que o produto é uma novidade em um momento onde as pessoas estão buscando cada dia mais fazer uma alimentação natural, por meio da inclusão de grãos na dieta. A primeira etapa de validação foi realizada entre os dias 23 e 26 de agosto pelo trabalho conjunto das áreas Social e de Pesquisa Agropecuária da Emater.
A escola do município de Goianésia foi selecionada para a validação porque lá, muitos agricultores familiares plantam soja, e a escolha foi realizada para difundir o produto, destacou a extensionista. Ainda segundo ela, o aspecto social também foi levado em consideração na escolha.
Outra etapa da validação também será realizada nas propriedades rurais, onde serão distribuídas amostras de soja para o produtor. Um novo receituário vai ser desenvolvido para a agricultura familiar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here