Amor pela pátria e resgatado

0
1034
Alunos ensaiaram durante meses para realizar as apresentações de dança

Alunos produz trabalhos artísticos no ambiente escolar para estimular o respeito ao próximo

Fabiola Rodrigues

Ao pesquisarem sobre a história da origem dos brasileiros, estudantes da Escola Municipal Professora Dalisia Doles, localizada no Setor Goiânia 2, na capital, desenvolveram trabalhos artísticos e culturais. O resultado da pesquisa foi apresentado no dia 24 de setembro, na 3ª edição do Dalicultura, festival anual realizado na escola. Os alunos mergulharam nos fatos históricos do País, e foram incentivados a não praticar o racismo e a respeitar o próximo.
O professor de artes Cleber Dabreu, que orientou as turmas do 6º ao 9º ano, diz que a matéria que ele ministra é fundamental para desenvolver no aluno o senso crítico e lembra que o professor é o mediador para ensinar sobre cultura aos estudantes.
“Estudar artes não é apenas pintar. É dever do professor estimular no aluno descobertas de fatos históricos e trabalhar isso com eles. Dessa pesquisa sobre as origens da nação brasileira, durante os últimos quatros meses resultaram ótimos trabalhos”, diz Cleber Dabreu.
O professor observa que na 3ª edição do evento cultural realizado na escola, viu a necessidade de levar os alunos a conhecer sobre as etnias negra, branca e indígena. Para ele as experiências que os estudantes partilharam nas aulas desenvolveram respeito ao colega.
“O ambiente escolar precisa instigar e promover a reflexão sobre diversos assuntos. O trabalho cultural que realizamos é para suprir essa coluna. Vivemos na era do consumismo e tecnologia, resgatar os valores da nossa origem é uma democracia”, diz o professor.
Os estudantes também pesquisaram sobre a vida e obras de Djavan, Tom Jobim, Oscar Niemeyer, Glauber Rocha, Tom Zé entre outros personagens que se destacaram no cenário cultural do País. Os trabalhos resultaram em contos sobre a vida deles expostos no mural da escola como se fosse um museu de artes.
“Precisamos construir uma nova sociedade, que realmente respeite o próximo e devemos começar pelas crianças. A arte é um meio fértil que proporciona isso. Investir na cultura é o óbvio para transformar pensamentos”, comenta.
O estudante Marcos Santos, de 14 anos, participou desde o início das pesquisas realizadas em maio e diz que conseguiu compreender melhor por que existem diferentes etnias. E descobriu que variados personagens contribuíram para o desenvolvimento cultural do Brasil.
“A experiência de aprender sobre a história de Oscar Niemeyer, por exemplo é fantástica ajudei até construir uma caixa de enfeite que representava um pequeno museu sobre a vida dele. Foi muito bom”, conta Marcos Santos.
A apresentação cultural realizada durante uma tarde reuniu até mesmo ex-alunos que já participaram de edições anteriores do Dalicultura. Ao voltarem no ambiente escolar, demonstraram respeito e gratidão pelos trabalhos que realizaram em anos anteriores. O estudante Ejório Neto, de 15 anos, que atualmente estuda em outro colégio, foi prestigiar as pesquisas, obras e apresentações culturais produzidas pelos alunos.
“No último ano estava estudando na escola e pesquisei sobre o cerrado e preservação da natureza. Sou mais consciente, preservo mais o meio ambiente após as pesquisas. Voltei para visitar e aprender”, diz o estudante.


Professores se emocionam com resultados do dia festivo

A diretora da escola, Solange Mendes, diz que o dia das apresentações dos trabalhos é o resultado de projetos realizados há meses por todo o ambiente escolar. O intuito dessa edição do Dalicultura foi resgatar no aluno o sentimento de amor pela pátria ao serem levados a estudar tudo sobre a descoberta do Brasil e seus descendentes.
“Desde de janeiro estávamos planejando sobre o dia festivo, preparemos barracas com comidas típicas, danças, capoeira tudo para despertar no aluno o desejo de saber mais informações sobre o País, onde ele vive. Os trabalhos foram realizados de acordo com o nível de aprendizado de cada turma”, diz.
Os professores de Artes e Português foram estimulados por Solange Mendes a realizar com os alunos pesquisas sobre as características da nação brasileira, com ensaios de danças, produções de textos e envolvimento dos educadores e alunos.
“Quando planejamos o nosso projeto, buscamos proporcionar ao aluno entretenimento educativo, além do conhecimento”, observa.
A diretora lembra que os estudantes precisam estar em comunhão uns com os outros para aprenderem a respeitar o próximo. E ressalta que instituir a cultura bem explorada é um caminho de socialização sadia.
A professora de português Doraney Oliveira passou trabalhos de pesquisas sobre a vida e obra de autores brasileiros e diz que se surpreendeu com os resultados.
“Aprender a valorizar a verdadeira cultura é fundamental. Atualmente vemos muita informação que nem sempre resulta em aprendizagem. Por isso devemos pautar o aluno para que ele saiba aproveitar a tecnologia a seu favor. Fiquei vislumbrada com os textos e histórias contadas pelos estudantes”, diz a professora.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here