Atentado em Itumbiara leva Helio de Sousa a assumir governo de Goiás por dois dias

0
1710
presidente da Assembleia Legislativa Helio de Sousa.

O presidente da Assembleia Legislativa, Helio de Sousa, foi governador de Goiás por dois dias na semana passada. Ele assumiu a função na noite de quarta-feira, dia 28, após o atentado à bala sofrido por José Eliton. O vice-governador substituía Marconi Perillo, que estava em missão comercial nos Estados Unidos. Como governador, Helio de Sousa foi ao velório de José Gomes na quinta-feira, dia 29, e recebeu o ministro da Justiça, Alexandre de Morais, que veio a Goiânia visitar José Eliton no Hugol. Na sexta-feira, dia 30, com a chegada de Marconi Perillo, ele reassumiu seu cargo de presidente da Assembleia Legislativa, que fora ocupado interinamente pelo deputado Nédio Leite (PSDB). Todo político sonha em ser governador, mesmo que por poucos dias, mas assumir o cargo nesta situação não agarrada a ninguém. Foi assim com Helio de Sousa, que afirmou ter recebido com indignação a notícia dos fatos ocorridos no município de Itumbiara. De acordo com ele, os atos de violência são lamentáveis e traduzem o momento melindroso pelo qual atravessa o contexto político brasileiro.  “José Gomes da Rocha foi meu colega de Assembleia Legislativa em 2003, quando deixou o cargo de deputado para assumir a Prefeitura de Itumbiara, em 2005. Presto minha solidariedade às famílias das vítimas e ao restabelecimento integral da saúde dos feridos. Esperamos que as circunstâncias desse crime brutal sejam apuradas e que as investigações possam esclarecer as reais motivações do ocorrido”, afirmou Helio de Sousa.


“Nesta eleição, sem doação de pessoa jurídica, apenas com doação de pessoa física, temos, até agora – e os candidatos ainda têm três dias para contabilização – R$ 2,1 bilhões”.

Presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Gilmar Mendes, informa no domingo, dia 2, que os candidatos a prefeito e a vereador na eleição municipal deste ano gastaram um terço das despesas informadas em 2012, quando o montante chegou a R$ 6,24 bilhões.


Democracia forte
O governador Marconi Perillo votou na 3ª seção do Colégio Militar de Palmeiras de Goiás (Antigo Colégio Estadual), no Centro da cidade, onde chegou por volta das 11h50 acompanhado de seu pai, senhor Marconi Ferreira Perillo, e do prefeito da cidade, Alberane Marques. “O voto fortalece a democracia”, disse ele ao deixar o local.

Serenidade
Antes de ir ao local de votação, Marconi Perillo usou as redes sociais para incentivar o eleitor a participar do pleito. “Torcemos e esperamos por um domingo de pleno exercício da democracia, sem qualquer tipo de ocorrência em Goiás”, disse o governador no Twitter. “Desejo aos goianos um dia de votação tranquilo e que possam fazer suas escolhas com serenidade”, acrescentou.

Sujões
Ruas de Goiânia e, principalmente de Aparecida de Goiânia, amanheceram tomadas de lixo eleitoral na manhã desse domingo, dia 2. Os candidatos sujões voltaram a atacar novamente, demonstrando total falta de consciência ambiental, e derramaram santinhos nas proximidades dos locais de votação. A pena para esse tipo de atitude varia entre seis meses a um ano de cadeia, além de multa de R$ 5 mil a R$ 16 mil, mas parece que não incomoda os políticos sujões. Jogar lixo nas ruas é uma vergonha.

Renovação na política
Assessor especial do presidente Michel Temer, o ex-deputado Sandro Mabel parece mesmo decidido em não mais disputar cargo eleitoral. Ele disse que ao deixar a Câmara Federal depois de seis mandatos de deputado, colaborou para a renovação política, citando como exemplo a eleição de Daniel Vilela, seu colega de PMDB, a deputado federal. Mabel disse que é preciso “dar vez aos mais novos”.

Mudança de horário
O presidente Michel Temer (PMDB) foi o primeiro a votar em sua sessão na manhã deste domingo, dia 2. Ele chegou de carro às 7h52 à sede da PUC, na Zona Oeste de São Paulo, e subiu até sua seção de elevador. A votação de Michel Temer estava marcada para às 11 horas, mas para evitar constrangimentos,  já que está com a popularidade em baixa, o presidente adiantou o horário do voto e evitou contato com eleitores e imprensa.
Investigação
A Polícia Civil já descobriu que o assassino de José Gomes da Rocha (PTB), Gilberto Ferreira do Amaral, conversou pelo menos 15 vezes com o candidato a vereador Rogério Rezende (PR), casado com uma sobrinha do deputado Álvaro Guimarães, também do PR. O candidato a vereador teria conversado com o autor do crime duas horas antes do evento e depois do crime teria deixado a cidade. A Polícia Civil afirmou também que o ex-prefeito não se envolveu em confusão com o atirador Gilberto Ferreira no mesmo dia do atentado

Repercussão
O escritório regional para América do Sul do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (Acnudh) condenou na sexta-feira, dia 30, o ataque a tiros que causou a morte de José Gomes da Rocha e feriu o vice-governador e secretário de Segurança Pública, José Eliton. “Condenamos a morte do candidato e confiamos em uma rápida apuração, por parte das autoridades, dos motivos e as responsabilidades por trás do ataque”, disse Amerigo Incalcaterra, representante do Acnudh.

Eliton confirma voto em Vanderlan
Mesmo em recuperação, o vice-governador José Eliton foi na manhã de domingo, dia 2, à urna eleitoral votar para prefeito de Goiânia. “Agradeço a Deus por me permitir mais esse momento especial, oportunidade em que pude exercer plenamente a minha cidadania”. No Twitter, José Eliton revelou o seu voto. “Fiz questão de votar nestas eleições municipais e fazendo a opção pelo candidato Vanderlan Cardoso”.

Idoneidade
Nota divulgada pelo Ministério Público de Goiás na sexta-feira, dia 30, diz que o órgão não concede atestado de idoneidade para nenhum político ou candidato. “Aos membros do MP-GO cabe tão somente apurar e investigar fatos que possam estar em desacordo com a legislação”, diz a nota, uma clara resposta a Iris Rezende (PMDB), que havia afirmado numa pílula na TV que o MP lhe conferiu um atestado de idoneidade na vida pública.

Rápidas

Trabalhadores da UFG, IFG e IF Goiano anunciaram greve para o dia 22 de outubro. Os trabalhadores são contra medidas anunciadas por Michel Temer, dentre elas a PEC 241, que congela por 20 anos os gastos da União.

A categoria também é contrária à reforma previdenciária e do Ensino Médio, e ao Projeto de Lei da Câmara (PLC) 54/16, que prevê corte de verbas, congelamento de salários, terceirização e privatização no serviço público.

Goiânia e Aparecida registraram, juntas, 17 homicídios apenas na quinta e sexta-feira, dias 29 e 30 de setembro. As duas cidades tiveram, só em setembro, 39 homicídios dolosos, situação que deixa as autoridades e a população alarmados.

Os crimes ocorreram por motivos diversos, que vão desde o envolvimento com drogas, execuções, tentativas de assalto a disputas por ponto de táxi. Dos 17 homicídios registrados em 48 horas, 14 foram em Goiânia em três em Aparecida.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here