Respeito e amor à pessoa idosa

0
1275
Durante a tarde, as crianças e os avós participaram de várias gincanas

Alunos da rede municipal de ensino participam de atividades que ressaltam a importância e a valorização da terceira idade

Lívia Máximo

Colo, abraço, comida, conselho e carinho. Tudo isso vindo de avó e avô parece que é ainda melhor, não é mesmo? No Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Oriente Ville, cerca de 200 crianças mostraram que essa é a mais pura verdade. A instituição promoveu o Chá dos Avós, com uma série de atividades envolvendo as crianças e seus avós, que marcaram presença durante uma tarde especial para comemorar o Dia Internacional do Idoso, celebrando no mês de outubro.
O momento de confraternização foi regado a bate papo, contação de histórias, brincadeiras, apresentações musicais e um lanche da tarde comunitário. Cada avó levou o prato preferido do netinho. Carlota de Ferreira Faria, avó duas crianças atendidas no Cmei, contou que o projeto foi importante para a aproximação da família com a instituição: “Eu gostei muito de participar desse chá aqui no Cmei. Foi muito bom para a nossa integração com as crianças. Quando eu soube do projeto, mais que depressa eu dei um jeito de vir participar e contar histórias que meus netos adoram”, afirmou.
Durante a tarde, as crianças e os avós participaram de brincadeiras, dinâmicas e gincanas como dança do balão e corrida de bebês. A professora Rita Montez, que esteve a frente do projeto desde o começo, explicou como surgiu a ideia. “Os avós acompanham muito de perto o processo de educação das crianças e sempre estão por aqui, trazem, buscam no Cmei. Então, nós resolvemos valorizar a presença deles e os convidamos para diversas atividades aqui. Alguns vieram e ensinaram a fazer pipa, pão de queijo, escovação de dente e diversas outras coisas. O chá foi para finalizar e comemorar o sucesso das ações, que se iniciaram no começo do semestre”, ressaltou.
A atividade integrou o projeto pedagógico da Secretaria Municipal de Educação e Esporte (SME) proposto para as unidades educacionais da rede, que envolve também os conceitos da Rede Nacional de Proteção aos Direitos da Pessoa Idosa de Goiás (RENADI-GO). “Fizemos vários momentos com os avós para ensinar os bons valores e o respeito ao próximo, principalmente à pessoa idosa. A sociedade é carente disso”, afirmou a coordenadora pedagógica do Cmei, Zilda Alves de Oliveira.
Concurso
Também para celebrar o Dia Internacional do Idoso, os alunos do Ensino Fundamental (Ciclos II e III) e da Educação de Adolescentes, Jovens e Adultos (EAJA) da rede municipal de ensino participaram da quinta edição do concurso de redação “Envelhecimento, responsabilidade de todos”, neste ano realizado com o tema “O idoso(a) que eu amo”.
O concurso é promovido pela Renadi-GO, vinculada ao Programa de Gerontologia Social da PUC, e tem a parceria e apoio da Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Educação e Esporte (SME). No total, 26 escolas participaram da ação e receberam material didático do concurso. Das escolas participantes, 12 alunos, com idade entre 11 e 70 anos, foram premiados pela produção de redações.
“Gostei muito de participar deste concurso de redação. Contei um pouco da história do meu pai que foi muito difícil. Aprofundei também sobre os direitos dos idosos na nossa sociedade. Com esta discussão eu e meus colegas aprendemos um pouco mais sobre o que é viver em democracia”, declarou o aluno da Escola Municipal Pedro Ciríaco de Oliveira, Misael Nogueira dos Santos, 26 anos, premiado em primeiro lugar.
Neste ano, a Renadi propôs às escolas que trabalhassem com os educandos na criação e ou reprodução de desenhos, danças, músicas e performances teatrais envolvendo a temática. O objetivo do concurso é desenvolver o pensamento, a pesquisa, a criatividade, a originalidade e o raciocínio de educandos das escolas públicas municipais, valorizando a produção de texto, por meio da reflexão sobre as relações sociais e familiares no processo de envelhecimento. “Eu nunca tinha participado em concurso e eu achei muito legal. Além de ser uma coisa nova na minha vida, ajudou a desenvolver a minha escrita. Outra coisa, eu pude fazer uma homenagem aos idosos com linguagem poética”, concluiu a educanda Fernanda Lopes Araújo, 14 anos, da Escola Municipal Pedro Costa de Medeiros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here