Audiência pública debate violência contra a mulher no Estdo de Goiás

0
2268
Deputada Delegada Adriana Accorsi (PT)

A Assembleia Legislativa, através Comissão de Segurança Pública, presidida pela deputada Delegada Adriana Accorsi (PT), realiza na próxima quinta-feira, 27, audiência pública intitulada “Violência contra a Mulher em Goiás”. Segundo Adriana Accorsi, o Estado apresenta alto índice de mortes de mulheres e de casos de feminicídio, sendo que 11 municípios goianos estão entre os 100 com maiores taxas. Na primeira quinzena de outubro, cinco mulheres foram assassinadas pelos companheiros em Goiás.O objetivo do encontro é debater o feminicídio e a violência contra mulheres em Goiás. Para a audiência foram convidadas várias autoridades e personalidades que defendem e lutam pelos seus direitos: a senadora Lúcia Vânia (PSB); Ana Elisa Gomes Martins, delegada titular da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM); Dolly (CEVAM); Dr. Leonardo Faria (IML-GO) e Tereza Cristina Sousa, da Secretaria Municipal de Politicas Públicas da Mulher.O evento será no Auditório Solon Amaral da Casa de Leis, a partir das 8 horas. Em abriu do ano passado, a deputada apresentou na Assembleia projeto de Lei instituindo a Política Estadual para o Sistema Integrado de Informações de Violência Contra a Mulher no Estado de Goiás, denominado Observatório Estadual da Violência Contra a Mulher. Esta matéria foi aprovada em setembro do mesmo anoe tem a finalidade deimplantar um Sistema Integrado de Informações entre as organizações públicas estatais para o enfrentamento eficaz da violência contra a mulher, através da padronização na coleta e sistematização de dados no Estado de Goiás.


“Convém reiterar que a Polícia Legislativa exerce suas atividades dentro do que preceitua a Constituição, as normas legais e o regulamento administrativo do Senado Federal”

Presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) divulga nota à imprensa afirmando que a Polícia Legislativa do Senado atua dentro da lei e que as varreduras solicitadas por senadores se restringem a detecção de grampos ilegais.


Reajuste salarial
Ao entregar viaturas para a Polícia Militar na tarde de quinta-feira, dia 20, o governador Marconi Perillo confirmou o aumento salarial de 12,6% para os servidores da área. Ele explicou que este reajuste acontece no momento em que mais de 15 estados atrasam salários ou estão com dificuldades para quitar o pagamento. “Goiás fez o ajuste fiscal e hoje consegue honrar os compromissos firmados e valorizar os servidores”, afirmou Marconi no Twitter.

Tradição mantida
Entramos na última semana de campanha e, novamente, uma tradição política está se confirmando em Goiânia. O candidato que fica na frente no primeiro sempre vence também no segundo turno. Desde o início da campanha Iris Rezende (PMDB) aparece como líder em todas as pesquisas. Até quando alguns institutos mostraram empate técnico entre ele e Vanderlan Cardoso (PSB), ele aparece na frente.


Representação
Presidente do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar do Senado, João Alberto Souza (PMDB-MA), recebeu na quinta-feira, dia 20, petição do Partido dos Trabalhadores (PT) em desfavor do senador Ronaldo Caiado (DEM) pelas ofensas públicas que teria lançado contra o colega Lindberg Farias (PT-RJ) durante o processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff.

Embasamento
A petição foi encaminhada à Advocacia do Senado Federal. O senador João Alberto quer estar “bem embasado para tomar a decisão de aceitar ou não essa representação”. Caiado, como se sabe, é um dos principais desafetos políticos do PT e do governo da ex-presidente Dilma Rousseff, sendo referência nacional pela oposição que sempre fez aos petistas.

Censura judicial?
O site Goiás Real foi retirado do ar na semana passada por decisão da juíza eleitoral Rozana Fernandes Camapum, atendendo a pedido feito pela coligação do candidato a prefeito de Goiânia Vanderlan Cardoso (PSB). A alegação da Justiça Eleitoral para congelar o domínio do site foi a divulgação reiterada de notícias consideradas ofensivas e inverídicas relacionadas a Vanderlan Cardoso. Como se sabe, o Goiás Real é ligado ao PMDB no Estado e está trabalhando a favor da candidatura de Iris Rezende em Goiânia.

Pois é!
O site Goiás Real, de fato, faz crítica severas ao governo de Marconi Perillo e à candidatura de Vanderlan Cardoso. Mas tem site outro aí que tem a mesma linha editorial contra o PMDB e a campanha de Iris Rezende. E não sofreu punição.

Derrota política
A base do governador Marconi Perillo (PSDB) pode ser a grande derrotada na sucessão municipal em Goiânia este ano. Ficou fragmentada, apoiou candidato que lhe fazia oposição em detrimento de um nome aliado e ainda pode ver o maior adversário, Iris Rezende (PMDB), vencê-los todos juntos no segundo turno.

É demais
Um importante portal de notícia de Goiás republicou na sexta-feira, dia 21, pesquisa divulgada pela TV Record em que mostra Iris Rezende com 46,5% das intenções de voto e Vanderlan Cardoso, com 39,9%. Uma diferença de 6,6 pontos percentuais. Até aí tudo bem, mas dizer que a diferença de 6,6 pontos percentuais é empate técnico entre os dois candidatos numa margem de erro de 3,5 pontos percentuais me parece distorção ou manipulação do resultado da pesquisa. É preciso ter mais cuidado na hora de (des) informar o povo.

Brigão
O vereador Clécio Alves (PMDB) continua brigão e mal-educado. E ele repetiu esse seu comportamento na manhã de sexta-feira ao receber o prefeito Paulo Garcia (PT) na Câmara Municipal para a sessão da Comissão Mista de Prestação de contas do segundo quadrimestre do ano de 2016.  Ao ser atacado pelo vereador, o prefeito abandonou o local e foi embora com cara de poucos amigos.

Troca de farpas
Clécio, na ocasião, acusou Paulo Garcia de ser traidor por ter rompido politicamentecom Iris Rezende (PMDB) e ainda disse que o prefeito não seria eleito nem para suplente de vereador. Segundo ele, a baixa votação de Adriana Accorsi (PT) se deve à“desaprovação do governo municipal” do petista. Garcia se defendeu dizendo que não traiu Iris e relembrou que apoiou Clécio para aPresidência da Câmara. “Você não era aceito por muitos líderes do seu partido”, respondeu o prefeito.

Dizer tudo
Ao responder à declaração de Iris Rezende de que o novo contrato entre a prefeitura de Goiânia e a Saneago foi fruto de negociata feita na calada da noite, o prefeito Paulo Garcia se mostrou visivelmente irritado. “Não acho correto ele dizer que eu faço negociata. Eu não faço negociata. E a ofensa não foi só a mim, mas também a Câmara. Se foi crime, negociata, que ele abra uma ação contra mim que eu estou disposto a dizer tudo o que eu sei na Justiça”, deixando a entender que Iris Rezende pode ter feito uma administração pouco republicana entre 2004 e 2010.


Rápidas

O Feriado do Dia do Servidor Público, comemorado no dia 28 de outubro, foi antecipado para o dia 25, terça-feira, para os servidores do Estado.
Como em Goiânia é feriado nesta segunda-feira, dia 24, por causa das comemorações do aniversário da capital, virou feriadão para os funcionários públicos que trabalham na cidade.
A Assembleia Legislativa assumiu, semana passada, compromisso de realizar novo concurso público para preencher 42 cargos efetivos, com edital a ser publicado até o dia 31 de março de 2017.
Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) foi firmado pelo presidente da Casa, deputado Helio de Sousa, com o Ministério Público de Goiás (MP-GO), na pessoa da promotora Villis Marra.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here