PT de João Gomes tenta frear Roberto do Órion em Anápolis

0
1273
João Gomes (PT) viu crise do PT prejudicar candidatura

À exceção de Ernani de Paula (PSDC), que se manteve neutro, todos os demais candidatos derrotados declararam apoio à candidatura do petebista neste segundo turno

Daniela Martins

O professor e empresário Roberto do Órion, candidato do PTB à Prefeitura de Anápolis, deve coroar sua ascenção meteórica nesta sua primeira empreitada eleitoral com uma vitória no próximo dia 30, data da votação do segundo turno.
Ao menos é o que apontam pesquisas dos Institutos Serpes e Veritá, divulgadas na semana passada. O Serpes mostra Roberto do Órion com 56,1% dos pontos válidos contra 31,3% alcançados pelo atual prefeito do PT, João Gomes, que é candidato à reeleição e até o final do primeiro turno, liderava a disputa.
O Instituto Veritá mostra um cenário semelhante. Roberto aparece com 57,6% dos votos válidos, enquanto João Gomes tem 42,4%. Já a pesquisa do Instituto Vegas, na espontânea, João Gomes mantém a frente, com 39,7%, e Roberto vem colado, com 36,2%.

Roberto do Órion (PTB) teve crescimento meteórico
Roberto do Órion (PTB) teve crescimento meteórico

Para ser ter ideia do crescimento vertiginoso da candidatura de Roberto do Órion é preciso recordar os números do início da campanha. Ele começou a corrida pela Prefeitura em quinto lugar, com 0,8% das intenções de votos. Em 3 de outubro, passou para o segundo turno ao obter 21,56% dos votos, deixando fora da disputa Pedro Canedo (DEM), Valeriano (PSC), Carlos Antonio (PSDB), José de Lima (PV) e Ernani de Paula (PSDC), nomes conhecidos da política anapolina.
À exceção de Ernani de Paula (PSDC), que se manteve neutro, todos os demais candidatos derrotados declararam apoio à candidatura de Órion neste segundo turno. Estão unidos contra o PT de João Gomes.
Os votos dos derrotados parecem também ter migrado para o PTB. Assim veio a virada apontada pelo Serpes e Veritá, e tão temida pelo grupo petista.
Na tentativa de frear o crescimento de Roberto do Órion, a equipe de João Gomes lançou mão da figura do ex-prefeito Antônio Gomide (PT), muito bem avaliado pela população de Anápolis. Como cabo eleitoral, Gomide começou a tecer críticas ao opositor de João Gomes nos programas eleitorais gratuitos da televisão.
Em uma das pílulas, Gomide chega a dizer que há um “grupo político que manipula esse robô”, referindo-se a Roberto. O empresário, que é do PTB, tem em sua coligação também PSD, Solidareidade, PMB, PROS, Rede, PRB, PPS e PTN.
A expectativa do PT, cuja coligação reúne também PP, PRP, PMDB, PSB, PDT, PMN, PPL, PC do B, PR e PT do B, é conseguir desconstruir a ideia de “novo” que levou o empresário Roberto do Órion a um crescimento rápido na disputa em Anápolis, segundo maior colégio eleitoral do Estado.
Mas pelo que parece, o prefeito João Gomes demorou muito para se preocupar com a candidatura de Órion. Deixou o adversário crescer e viu a crise nacional de imagem do PT chegar e influenciar negativamente a sua reeleição em Anápolis.
Do outro lado, Roberto do Órion reforça o discurso de que não é integrante do que chama de “velha política”. “Não sou político como esses que estão aí”, declara em seu programa eleitoral na televisão.
Entre os especialistas da área política, há quem acredite numa vitória iminente de Roberto do Órion, assim como alguns defendem que o jogo não acabou. E que a expectativa é que o PT reaja, utilizando a máquina para ganhar espaço. Fato é que nas próximas semanas, o clima deve esquentar também em Anápolis, assim como vem ocorrendo em Goiânia, com ataques e contra-ataques entre os candidatos Iris Rezende (PMDB) e Vanderlan Cardoso (PTB).

Pesquisas
A pesquisa do Instituto Serpes ouviu 501 eleitores em Anápolis entre os dias 11 e 13 de outubro, foi encomendada pelo Grupo Jaime Câmara e está registrada no TSE sob o protocolo GO-04599/2016. Tem margem de erro de 4,37 pontos percentuais para mais ou para menos, com um nível de confiança de 95%.
A pesquisa do Instituto Veritá foi realizada entre os dias 5 e 9 de outubro, entrevistou 802 eleitores e foi divulgada pelo site Goiás 247. A margem de erro é 3,5 pontos percentuais para mais ou menos. O levantamento está registrado no TRE Goiás com o protocolo GO-09775/2016.
A pesquisa do Instituto Vega, divulgada pelo jornal A Voz de Anápolis, ouviu 1 mil eleitores, o nível de confiança: 95%. Margem é de 3,5 pontos percentuais para mais ou para menos. Foi registrada no TSE com o número GO-03445/2016.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here