Chegou a hora dos alunos receberem os prêmios

0
1316
Os alunos nessa etapa do concurso serão premiados com bicicletas, medalhas e certificados e vão concorrer à grande final, que acontecerá dia 22 de novembro

Essa semana acontece a entrega dos prêmios para os vencedores que fizeram as melhores redações dessa 17ª edição do concurso, que envolve mais de 82 mil textos
Fabiola Rodrigues

Os estudantes das escolas da rede municipal e particular da Capital descobrirão os classificados da etapa regional do concurso de Redação Goiânia na Ponta do Lápis, em sua 17ª edição este ano lançado no mês de junho com o tema “Educação alimentar: em busca de uma vida saudável”. Mais de 82 mil textos foram produzidos e entregues na Tribuna do Planalto. No dia oito de novembro as melhores produções textuais elaboradas por categoria serão divulgadas durante evento no Centro Cultural Goiânia Ouro, na Rua 3, esquina com rua 9, n 1.016, Galeria Ouro, no Centro de Goiânia.
As cinco unidades municipais regionais de educação da Capital, Maria Helena Batista Bretas, Brasil di Ramos Caiado, Maria Thomé Neto, Jarbas Jayme e Central, serão representadas por estudantes classificados nas categorias A, B e C, já  as escolas particulares serão representadas por estudantes da catetoria D e E. Os alunos nessa etapa do concurso serão premiados com bicicletas, medalhas e certificados e vão concorrer à grande final, que acontecerá no mesmo local no dia 22 de novembro.

Nessa edição, os alunos descobriram tudo sobre educação alimentar e o que faz bem ou mal para a saúde. É o que conta a professora de Português Doraney Oliveira, que orientou seus alunos a realizarem pesquisas aprofundadas sobre o tema.
“O Goiânia na Ponta do Lápis proporciona ao aluno debates enriquecedores que contribuem para o desenvolvimento do senso crítico. Falar sobre alimentação correta e incorreta em sala de aula é fundamental, pois as pessoas comem cada vez mais de forma errada. Talvez a criança não receba orientação dos pais nesse sentido”, diz a professora.
Para Doraney Oliveira, a motivação para os alunos escreverem sobre o assunto foi positiva. Ela lembra que o certame ajudou a enriquecer a carreira estudantil dos alunos e com o trabalho de revisões e correções textuais eles conseguiram desenvolver por meio da escrita a língua portuguesa.
“Eles gostam muito do concurso. Fazem e refazem textos sempre melhores e esse é o objetivo. Através da reescrita têm a oportunidade de aprimorar as redações. Oriento alunos desde 2004 e as classificações em 1º lugar confirmam que o acompanhamento está dando certo”, diz a professora.
Os estudantes da Escola Municipal Dalisia Doles, localizada no Setor Goiânia 2, receberam de Doraney Oliveira total empenho para pesquisar e escrever tudo sobre o que é alimentação de qualidade e assim eles se sentem esperançosos para serem premiados.
“O professor tem o papel de incentivar o estudante a participar de competições saudáveis como o Goiânia na Ponta do Lápis. Estou tranquila e tenho consciência de que nossos alunos têm a capacidade estar entre os premiados e vencedores dessa edição”, afirma.

Mudança de hábitos
A aluna Tainara Gomes, da Escola Municipal Virginia Gomes Pereira, localizada no Setor Santo Hilário, participa pela primeira vez do concurso e compartilhou suas experiências com a Tribuna do Planalto. Ela conta que mudou para melhor a maneira de se alimentar depois de escrever sobre o tema do concurso.
“Acredito que participar ajudou a melhorar minha escrita e alimentação. Já sei trocar o refrigerante por um suco natural, evito frituras e doces. Passei a comer mais frutas e legumes. Aprendi que preciso cuidar da saúde do meu corpo desde nova”, diz.
Tainara Gomes tem 13 anos de idade e considera que as pesquisas realizadas contribuíram muito para ajudar na mudança da alimentação. Ela mora com os tios e a avó, que não têm bons hábitos alimentares, mas vem conseguindo corrigir sua própria maneira de alimentar.
“Gostei de participar da primeira fase do concurso e espero ganhar prêmios, porém já venci somente pelo fato da minha mudança no cardápio. Agora me alimento melhor e mais corretamente, mesmo que minha tia faça aquelas comidas cheias de gorduras eu evito resolvi acreditar que será melhor para meu corpo no futuro”, relata a estudante.
A secretária Municipal de Educação, Neyde Aparecida, diz que a Tribuna do Planalto através do concurso contribui com o desenvolvimento educacional e leva os alunos a debaterem assuntos que fazem a diferença e estimula o aprendizado na escrita e na esfera pessoal.
“Esse concurso é essencial para que o estudante desenvolva talentos e competências ao escrever e no conhecimento em geral. Percebo que ao longo dos anos essa disputa pelos prêmios engrandece a educação, que é nosso alvo principal”, diz a secretária.
Neyde Aparecida ressalta que o ambiente escolar precisa receber estímulos, como o certame oferece. Além de motivar os estudantes aprimorar a escrita, as premiações são incentivos que marcam a vida do aluno a ponto de ele jamais esquecer até mesmo a medalha que recebeu por ter apresentado um bom trabalho.


Conheça  categorias do certame

Gerente de Projetos da Tribuna, Enoel Júnior: “Vamos premiar todos os estudantes vencedores”
Gerente de Projetos da Tribuna, Enoel Júnior: “Vamos premiar todos os estudantes vencedores”

Os alunos vencedores da fase final do concurso Goiânia nas Ponta do Lápis receberão prêmios comonotebooks, smartphones, TVs, medalhas de ouro, prata e bronze, além dos certificados. Cada estudante concorrerá de acordo com sua categoria de ensino, definida de acordo com o ano que o aluno está cursando e outros critérios.
Na categoria A estão os alunos do 4º ao 6º ano da rede municipal; categoria B, estudantes do 7º ao 9º ano da rede municipal; categoria C, alunos da Educação de Adolescentes, Jovens e Adultos (Eaja) da rede municipal. Categoria D, estudantes do 4º ao 9º ano da rede particular; e categoria E, alunos do Ensino Médio da rede particular. A premiação final do concurso de redação será dia 22 de novembro, no Centro Cultural Goiânia Ouro, no Centro de Goiânia.
O gerente de Projetos da Tribuna do Planalto, Enoel Júnior, diz que o concurso chega em sua 17ª edição cumprindo sua missão fundamental, que é ajudar o aluno a desenvolver a escrita e aprender mais sobre vários assuntos, que são muito relevantes para a sociedade. Enoel fala também que os prêmios são uma maneira de estimular a participação máxima do aluno no certame.
“Conseguimos alcançar todas as regionais da Capital com quase 90 mil redações inscritas. Esse número é expressivo e ao mesmo tempo uma resposta de que alunos estão melhorando a maneira de escrever e desenvolvendo o senso cognitivo. O prêmio entregue ao estudante é somente uma forma de continuar incentivando ele, uma maneira de dizer que estudar vale a pena”, conclui o gerente de Projetos da Tribuna.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here