Orgulho e medalha no peito

0
1723

Aluna da rede municipal de Goiânia conquista medalha de bronze na Olimpíada Brasileira de Língua Portuguesa promovida pelo Ministério da Educação

Lívia Máximo

De volta para Goiânia com medalha de bronze e certificado de participação a aluna Michelly Alves Fernandes, 15 anos, foi recebida com orgulho pelos colegas e professores da Escola Municipal Lions Clube Bandeirantes, localizada no Bairro Goiá, após participar da semifinal da Olimpíada Brasileira de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro, em Porto Alegre (RS).
Incentivada e orientada pela professora de Língua Portuguesa, Lílian Sussuarana Pereira, que também recebeu a premiação, Michelly foi autora de uma crônica classificada entre as 125 melhores crônicas do Brasil. No total foram cinco milhões de textos inscritos na olimpíada em diversas categorias.
“Eu defini tudo isso em realização profissional. Poder trabalhar como professora, incentivar alunos a escrever e conseguir chegar a uma semifinal nacional foi muito bom e gratificante. Com certeza isso é só início de outras várias participações e premiações”, comemorou a professora.
Além de medalha, certificado e curso de formação as duas ganharam voucher no valor de 350 reais para a aluna, e 150 reais para a professora, válidos para compra de livros na 62ª Bienal do Livro de Porto Alegre, cidade que visitaram pela primeira vez.
“Foi uma experiência muito legal. O prêmio, a viagem, as amizades e os passeios que fizemos vou levar para a vida toda. Além de tudo foi um incentivo muito grande para minha vida. Fiquei muito feliz por tudo”, declarou Michelly.

A estudante Michelly Alves Fernandes, 15 anos (à dir.), foi recebida com orgulho pelos colegas e professores da Escola Municipal Lions Clube Bandeirantes
A estudante Michelly Alves Fernandes, 15 anos (à dir.), foi recebida com orgulho pelos colegas e professores da Escola Municipal Lions Clube Bandeirantes

Quem também ficou feliz com o sucesso da aluna, foi a mãe, Rosimeire Oliveira Alves. Orgulhosa, ela contou que engravidou aos 15 anos e batalha muito como costureira para dar o melhor para Michelly e suas duas irmãs mais novas.
“Acredito que a parceria entre a escola e a família é muito importante. Eu sempre fiz questão de acompanhar de perto o desenvolvimento das meninas na escola e estou muito orgulhosa pelo resultado da Michelly nessa olimpíada. Espero que ela siga um caminho de estudo, gostaria que fizesse Direito ou Pedagogia, mas ela ainda está muito nova e vai descobrir o que é melhor para ela”, afirmou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here