Projeto de alunos de Rubiataba faz sucesso na Costa Rica

0
3107
Secretária de Educação, Cultura e Esporte, Raquel Teixeira, recebeu no Aeroporto Internacional de Goiânia dois alunos e um professor do colégio estadual de Tempo Integral Levindo Borba, de Rubiataba

Estudantes expuseram na cidade de San José o estudo “Avaliação da Aceitabilidade Cultural de uma Forma Alternativa Alimentar com Base em Insetos”

A secretária de Educação, Cultura e Esporte, Raquel Teixeira, recebeu no Aeroporto Internacional de Goiânia dois alunos e um professor do colégio estadual de Tempo Integral Levindo Borba, de Rubiataba. Selecionados para apresentar projeto de entomofagia, que é o consumo de insetos por seres humanos, em exposição na Costa Rica, eles viajaram com o apoio da Seduce e representaram a turma da disciplina Iniciação Científica. Gabriel Lemos (8º ano) e Lucas Lincoln (9º ano), ambos de 14 anos, expuseram na cidade de San José o estudo Avaliação da Aceitabilidade Cultural de uma Forma Alternativa Alimentar com Base em Insetos.
“Foi uma experiência única”, disse o professor de Iniciação Científica, Matheus Fernando da Silva, o orientador do projeto, que viajou junto com os alunos. A equipe retornou na segunda-feira, dia 14.
Segundo o orientador, o mais importante foi expandir ao pensamento dos estudantes e dos que estão lá na escola mandando mensagens empolgadas para a gente continuar desenvolvendo projetos desse tipo. Eles tiveram a oportunidade de conhecer um mundo novo, conhecer um novo país, aprender a falar uma nova língua e voltaram, acredito eu, diferentes”, completou.
A iniciativa dos alunos da rede pública estadual de Goiás foi a única selecionada do Centro-Oeste para participar da Expo Ingeniería, Costa Rica. O estande dos goianos atraiu as atenções e os garotos impressionaram a organização do evento por apresentar o projeto em espanhol. Aspirante a cientista, a turma garantiu vaga para demonstrar o estudo em outro renomado evento internacional, o London International Youth Science Forum, realizado na Inglaterra. Aguarda apenas a chegada do convite oficial. O objetivo do grupo agora é produzir o alimento alternativo em quantidade suficiente para doar à comunidade.
De acordo com Matheus, o estudo sobre a inclusão de insetos na alimentação surgiu por causa de uma região carente de Rubiataba.
“Fizemos questionários socioeconômicos e descobrimos que a maioria das famílias consome carne três vezes por semana. Então estamos tentando criar uma alternativa mais econômica para suprir o fornecimento de proteínas”, disse Matheus.
Muito comum em alguns países da Ásia e da África, a entomofagia está sendo estudada na escola do interior de Goiás desde o começo do ano. Uma sala foi reservada para a criação de insetos das espécies Tenebrio molitor sp. e Zophobas morio sp.
“Acompanhamos toda a sua evolução: primeiro ovo, depois larva, pupa e besouro. O caso mais indicado para alimentação é a larva, que pode conter até 70% a mais de proteína que o frango, por exemplo”.
Os alunos Gabriel e Lucas, junto a outros colegas de turma, são responsáveis pela manutenção do criadouro. Periodicamente eles verificam se há comida (batata, aveia e trigo) suficiente para as larvas, entre outras atividades. Os bichos ficam armazenados dentro de caixas de plástico ou papelão. Quando atinge a condição de larva, a iguaria geralmente é consumida viva ou assada. Também acompanha os mais diversos pratos doces ou salgados.
O professor Matheus disse que a produção dos insetos já é um sucesso. O próximo passo agora é trabalhar na ruptura cultural das pessoas, fazendo com que a entomofagia seja encarada com naturalidade.
“A aceitação dos adultos ainda é baixa. Já entre as crianças, especialmente os alunos do colégio, é quase 100%. Os estudantes vivem atrás de mim querendo comer”, explicou.

Expo Ingeniería
A Expo Ingeniería existe desde 2008 e é uma iniciativa do Ministério da Ciência e Tecnologia da Costa Rica. O evento reúne estudantes da América do Sul e América Central e tem como objetivo promover o desenvolvimento de habilidades e despertar o interesse dos adolescentes e jovens por estudos e pesquisas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here