É hora de aproveitar o 13º salário para quitar dívidas

0
350

O pagamento do 13º salário injetará R$ 197 bilhões na economia brasileira de acordo com o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Os trabalhadores já fazem planos com o dinheiro extra, pois a primeira parcela deve ser liberada até esta quarta-feira, dia 30, e o prazo final para o depósito da segunda parcela é 20 de dezembro.

O gerente de Pesquisa e Cálculo do Procon Goiás, Gleidson Tomaz, explica que essa é uma boa oportunidade para quitar dívidas e sair do vermelho porque, geralmente, no final do ano, as empresas oferecem melhores condições para negociação como desconto sobre os juros e multas.

O primeiro passo, segundo ele, é recorrer ao auxílio do órgão de defesa do consumidor que vai analisar se a proposta é favorável ao bolso do devedor, não comprometendo seu orçamento. “Primeiro porque o Procon vai fazer o cálculo previamente para que ele tenha noção de quanto está a dívida atualizada de acordo com a legislação vigente e a partir desse cálculo em mãos ele poderá avaliar se a proposta do banco ou outra empresa tem algum tipo de vantagem ou não. Muitas vezes os atendentes orientam os consumidores aguardarem outra ocasião”, orienta.

Os cálculos podem ser solicitados nas agências do Vapt Vupt ou no Núcleo de Renegociação de Dívidas na sede do Procon Goiás e ficam prontos em até três dias. Nos municípios onde não há atendimento do Procon, os interessados podem acessar o site do órgão e solicitar a realização dos cálculos por meio da plataforma Procon Web. Somente as negociações devem ser feitas presencialmente.

Gleidson recomenda que seja dada preferência às dívidas com as maiores taxas de juros, como é o caso do cartão de crédito e cheque especial. Em outubro de 2016, o Núcleo de Renegociação de Dívidas atingiu 82% acordos, ao realizar a mediação entre consumidores e credores. É importante honrar esse compromisso até o fim, já que o acordo é quebrado se uma das parcelas não for paga. Cinco dias após o pagamento da primeira parcela o nome do consumidor deve ser excluído do cadastro dos órgãos de proteção ao crédito. No entanto, lembra Gleidson, apesar de prescrever a dívida passado o período de cinco anos, ela ainda permanece ativa internamente nas instituições e ainda deve ser paga.

Gerente de Pesquisa e Cálculo do Procon, Gleidson Tomaz. Foto: Rita Antunes
Gerente de Pesquisa e Cálculo do Procon, Gleidson Tomaz.
Foto: Rita Antunes

Despesas de início de ano
Já aqueles que pretendem usar o 13º nas compras de fim de ano devem agir com cautela para não caírem na inadimplência. Vale a pena economizar uma parte desse dinheiro para pagar as despesas habituais de início de ano. “Os pais que têm filhos nas escolas têm que se preocupar com a compra do material escolar e dependendo da data vai terão que pagar IPVA, IPTU e por isso é melhor reservar parte desses recursos para evitar empréstimos, o que pode complicar a situação financeira”, diz.

Liquidação antecipada
O consumidor pode fazer a simulação da liquidação antecipada de alguma dívida como empréstimo ou financiamento junto ao Procon para avaliar se compensa ou não amortizá-la parcialmente com o dinheiro extra do 13º. O Código de Defesa do Consumidor (CDC) prevê que não há obrigatoriedade da quitação. Os juros serão amortizados proporcionalmente, considerando o número de parcelas que faltam. Essa modalidade foi a campeã de requerimentos em outubro, superando os cálculos relacionados a dívidas contraídas com cartões de crédito.

O Procon possui postos de atendimento nas unidades de Vapt Vupt; na sede do órgão, na Rua 8, nº 242, Edifício Torres, no Centro de Goiânia, além dos canais de atendimento Disque Denúncia 151 e o Procon Web.

Salário extra vai injetar R$ 197 bi na economia nacional. Foto: Rita Antunes
Salário extra vai injetar R$ 197 bi na economia nacional.
Foto: Rita Antunes

Perfil do consumidor
De janeiro a agosto deste ano, o Procon atendeu 119.865 consumidores em seus diversos postos e canais de atendimento, sendo que:
– 51,10% dos consumidores atendidos são homens
– 48,90% dos consumidores atendidos são mulheres

De acordo com o levantamento consumidores de 21 a 50 anos representam a maioria dos atendimentos realizados. Observa-se que:
– 24,73% dos consumidores têm entre 31 e 40 anos
– 20,63% dos consumidores têm entre 41 e 50 anos
– 18,51% dos consumidores têm entre 21 e 30 anos

Ainda sobre líderes de ranking, os assuntos mais reclamados são:

– 20,32% telefonia celular
– 9,18% telefonia fixa
– 8,49% cartão de crédito

De acordo com o perfil analisado pelos índices do Procon Goiás, os assuntos mais reclamados divididos entre homens e mulheres aparecem da seguinte forma:
Telefonia celular
– 56,40% são homens
– 43,60% são mulheres

Telefonia fixa
– 52,90% são mulheres
– 47,10% são homens

Cartão de Crédito
– 54,50% são mulheres
– 45,50% são homens

Já em relação aos problemas mais reclamados pelos consumidores goianos, os líderes do ranking são:
– 36,98% problemas com cobrança
– 32,23% problemas com contrato
– 6,86% problemas com SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor)

DEIXE UMA RESPOSTA