GOIÁS NA PONTA DO LÁPIS: Concurso ajuda reduzir infestação do Aedes aegypti

0
2713
O envolvimento da comunidade escolar nas ações contra o mosquto resultou em grande queda no número de pessoas infectadas pelos vírus que causam aquelas doenças

O concurso de redação, desenho fotografia e vídeo chega à grande final comemorando resultados positivos nas áreas da saúde e educação do Estado
Fabiola Rodrigues

O concurso Goiás na Ponta do Lápis, que está na reta final de sua 12ª edição, tem ajudado no combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como dengue, chikungunya, zika e febre amarela. O tema deste ano foi “Histórias reais de combate ao Aedes”, escolhido especialmente para envolver os estudantes de todos os 246 municípios goianos na luta contra essas doenças.
Pela primeira vez, o concurso traz, além de redação, a possibilidade de trabalhos no formato de desenho, fotografia e vídeo. Foram mais de 900 trabalhos apresentados em todas as sete categorias. O envolvimento da comunidade escolar nas ações contra o Aedes aegypti resultou em grande queda no número de pessoas infectadas pelos vírus que causam aquelas doenças.
A diretora de Núcleo Pedagógico de Ceres, Sandara Borges, diz que a cidade se tornou mais limpa, após os estudantes desde o início do ano estarem engajados no combate ao mosquito. Segundo dados divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde de Ceres, de 2015 para 2016 houve redução de 90% na incidência de pessoas infectadas, o que é creditado tanto pela iniciativa da criação da Força Tarefa comandada pelo Corpo de Bombeiros Estadual quanto pelas ações externas gerenciadas nas escolas.
“O envolvimento dos estudantes nessa campanha que começou em março provocou neles um sentimento de luta em favor de uma causa: a saúde coletiva. Esse tema foi e está sendo fundamental para melhorar o empenho do aluno em sala, devido ao esforço que precisaram realizar durante as diversas pesquisas”, diz a diretora.
Despertar os alunos para ajudar a comunidade e as famílias a também praticarem ações de combate ao Aedes foi um dos grandes objetivos dessa edição do concurso, que, além de promover a educação escolar, vêm contribuindo para que muitas pessoas deixem de ser vítimas de uma série de doenças causadas pela proliferação do Aedes aegypti.

Não há dúvidas de que a participação dos alunos este ano foi um marco na vida de cada um deles, pelas experiências práticas que tiveram a respeito do tema abordado, que exigiu não apenas estudo e pesquisa, mas vivências partilhadas com moradores, familiares e amigos ao elaborar cada trabalho. A diretora diz que cada aluno aprendeu e compartilhou experiências que serão praticadas para além da sala de aula.
“Com a proposta “Histórias reais de combate ao Aedes” foi possível integrar os alunos às suas comunidades, através de ações de combate, eliminando criadouros do mosquito e conscientizando a população sobre os riscos das doenças. E esses trabalhos não encerrarão ao final do concurso, os estudantes da nossa regional levarão esses ensinamentos para o longo da vida”, conta Sandra Borges.
Em Rio Verde, importante município do Sudoeste goiano, o secretário escolar Fábio Santos, que trabalha na Escola Municipal de Ensino Fundamental Maria Brígida da Fonseca, explica que o concurso despertou nos alunos interesse e cuidado para preservar o meio ambiente e deixá-lo mais limpo.
“Os nossos estudantes se tornaram guardiões contra a dengue. O aprendizado que eles tiveram durante todo o ano sobre como evitar a proliferação do mosquito é praticado atualmente também. Na escola, a patrulha é realizada pelos alunos frequentemente e esse é um dos grandes legados educacionais”, relata o secretário.
A preocupação dos alunos com a limpeza da escola e de suas cidades tornou-se um bom hábito. Fabio Santos diz que observou grande participação dos estudantes durante os meses de trabalho intenso.
“A mobilização na educação para o combate ao Aedes viabilizou a conscientização da população, e se tornou, uma estratégia de ensino continuado dentro das redes escolares”, relata Fabio Santos.
Muitos alunos da capital e do interior do Estado se tornaram dengueiros fiscais após se conscientizarem de que o mosquito pode causar a morte de uma pessoa. O trabalho de conscientização surgiu de cada aula e durante as pesquisas e estudos para a elaboração dos trabalhos para participar do concurso: redações, desenhos, fotografias e vídeos.
“Acompanhei de perto o esforço dos alunos para apresentarem ótimas produções de textos e demais trabalhos. O engajamento de todos os professores e estudantes está trazendo resultados felizes para a saúde da população”, diz o secretário.

Mais de 2 mil alunos premiados
Realizado pela Tribuna do Planalto em parceria com Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce) e este ano também com a Secretaria Estadual de Saúde, o concurso Goiás na Ponta do Lápis está chegando ao final da edição 2016, que inovou permitindo o uso de novos meios para o estudante participar. A etapa regional foi encerrada na última semana. Ao todo, 39 subsecretarias de Educação do Estado foram visitadas durante mais de um mês e 2.035 mil alunos foram premiados. Nesta fase os estudantes ganharam bicicletas, medalhas de ouro, prata e bronze, certificados, além de serem classificados para a grande final, que será realizada dia 14 de dezembro, em Goiânia.
As premiações que serão entregues aos alunos finalistas vencedores são notebooks, tablets, smartphones, medalhas, certificados e bolsas de estudos. Já a premiação na categoria vídeo (primeiro, segundo o terceiro lugares) será dada às escolas, já que foram produzidos coletivamente em cada unidade educacional.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here