Marconi é reeleito presidente do Consórcio Brasil Central

0
1615
Governador Marconi Perillo diz que recebeu a reeleição para o Consórcio com alegria e honra

Governadores têm trabalhado para a construção de uma agenda positiva que privilegia, por exemplo, a renegociação da dívida dos estados

O governador Marconi Perillo foi reeleito oficialmente, na sexta-feira, dia 2, presidente do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central (BrC), o fórum de governadores que reúne representantes de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Tocantins e o Distrito Federal. A eleição, confirmando decisão já tomada pela unanimidade dos governadores desde a reunião passada, em Porto Velho, se deu durante assembleia do conselho de governadores na abertura do 12º Fórum de Governadores do Brasil Central, o sexto deste ano, na residência oficial do governo do Distrito Federal, em Águas Claras.
Marconi Perillo, disse ter recebido a reeleição com alegria e honra.
“Nossa equipe será a mesma. Vamos continuar o nosso trabalho. O Consórcio foi uma experiência muito interessante para o País. Ele serviu de inspiração para a criação do Fórum de Governadores do Brasil, um conjunto de governadores que está sendo viabilizado para a defesa de interesses comuns”, declarou.
Ele reafirmou que o Consórcio está concluindo um acordo com o Ministério da Fazenda que trata da repartição das multas decorrentes da repatriação de recursos do exterior no ano de 2017. Outra pauta defendida pelo conjunto de governadores é a concretização do mercado comum do Brasil Central, ideia surgida na última reunião, em Porto Velho (RO).
O assunto tem sido discutido no âmbito das secretarias de Fazenda dos estados. Os governadores ainda não dispõem de um modelo final. Segundo o governador Marconi Perillo, no próximo dia 8, quando ocorrerá em Palmas, capital do Tocantins, a última reunião do ano do Confaz, os secretários de Fazenda deverão apresentar uma proposta consensual definindo as regras do mercado comum.
Na última reunião do Consórcio, realizada em Porto Velho (RO), os governadores deliberaram que seria realizado um estudo sobre o perfil das compras que cada estado fará de seus parceiros.
“Isso nos dá um potencial enorme no sentido de melhorarmos as nossas compras, incentivando a produção regional e gerando economia aos estados”, salientou o governador do DF, Rodrigo Rollemberg.
Marconi disse que os governadores têm trabalhado para a construção de uma agenda positiva que vai da renegociação da dívida dos estados em discussão no Congresso Nacional a proposta de emenda à constituição que foi aprovada na Câmara Federal permitindo a utilização dos depósitos judiciais privados para pagamento de precatórios, assim como na adoção de medidas de austeridade que visam diminuir os gastos permitindo a retomada da capacidade de investimentos para incentivar o desenvolvimento econômico.
Respaldando a determinação dos governadores em cortar gastos para gerar recursos destinados a investimentos, o governador Marconi informou que os estados estão concluindo os trâmites legais para que os governadores assinem uma carta se comprometendo a enviar medidas de ajustes às assembleias legislativas. A medida é condição sine qua non estabelecida pelo governo federal para que os estados possam apresentar novos pleitos de empréstimos ou operações de crédito a partir de janeiro próximo.
Sobre a questão, ele anunciou que Goiás está finalizando os termos de uma PEC e alguns projetos de Lei a serem encaminhados à Assembleia Legislativa no dia 9 que “são até muito mais ousados do que aqueles que estão sendo discutidos entre os governadores e o ministro da Fazenda Henrique Meirelles”. No dia 8, o governador deverá reunir a bancada da base aliada para detalhar a PEC e os projetos.
“Todos nós temos a responsabilidade de encaminhar medidas estruturantes para os nossos estados. Sabemos que se não colocarmos limites nos gastos nós não fecharemos as contas”.

Carta a Temer
Em reconhecimento à importância do Fórum de Governadores do Brasil Central no estabelecimento de políticas públicas em defesa dos estados da região, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, aceitou o convite feito em cima da hora para que almoçasse com os governadores na residência oficial de Águas Claras.
De acordo com o governador Marconi, o almoço serviu para que os governadores avançassem na discussão do acordo relacionado à repatriação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here