Governador diz compreender, pela experiência que tem, a importância de estabelecer relações convergentes, maduras, inteligentes, para contribuir com o futuro da capital

O fortalecimento da relação institucional entre o Governo do Estado e a Prefeitura de Goiânia e a celebração de novas parcerias mobilizaram, na sexta-feira passada, o governador Marconi Perillo e o prefeito Iris Rezende que, por 1 hora e 20 minutos, conversassem sobre prioridades administrativas e o encaminhamento de algumas ações e parcerias em prol da Capital. O governador disse que o governo estadual vai colaborar com Iris em tudo aquilo que o prefeito precisar.
“O senhor tem autorização minha para convocar os meus secretários, para debater e dialogar sobre os mais importantes assuntos relativos à nossa Capital e aos nossos cidadãos”, afirmou.
Marconi disse que não poderia ser diferente a recepção a Iris Rezende, pela história política que ele representa. Para receber o prefeito, no 10º andar do Palácio Pedro Ludovico Teixeira, o governador convocou todo o secretariado. Iris estava acompanhado de seu chefe de gabinete, Paulo Ortegal. É o primeiro encontro entre os dois chefes de governo, depois de conhecidos os resultados das últimas eleições municipais.
O prefeito levou dois pedidos ao governador e foi prontamente atendido: disponibilização, por parte do Estado, dos programas do Sistema Eletrônico de Protocolo (Sepnet), Modelo de Gestão do Plano Plurianual e Execução Orçamentária e Financeira (Siofnet), desenvolvidos pela Secretaria de Gestão e Planejamento (Segplan).
O governador colocou também à disposição de Iris toda a equipe estadual da área de Meio Ambiente e Cidades, para discussão do novo Plano Metropolitano, além de todas as informações a respeito de projetos de saneamento básico em Goiânia.
“Compreendemos pela experiência que temos, pelo nível de maturidade que temos, a importância de estabelecermos relações convergentes, maduras, inteligentes, que possam efetivamente contribuir com o futuro da cidade”, reiterou.
O Estado deve prorrogar a disposição dos técnicos que foram cedidos ao município. Segundo o governador, o desenvolvimento dos softwares vai permitir economia de R$ 10 milhões para os cofres do município.
Logo após a reunião, o governador afirmou, em entrevista coletiva, que Iris Rezende é um “prefeito diferenciado, não é qualquer pessoa”, referindo-se à experiência administrativa de quem foi prefeito de Goiânia, agora já no quarto mandato, deputado estadual mais votado, presidente da Assembleia Legislativa, governador de Estado por duas vezes, senador da República, ministro de Estado, “um líder muito importante na história de Goiás e do Brasil”. Explicou que a convocação de todo o secretariado foi uma demonstração de “respeito pessoal” à figura da Iris Rezende.
Sobre o debate envolvendo a prorrogação do contrato de concessão do Município Goiânia com a Saneago, o governador disse que esse assunto será discutido entre ele e Iris “tecnicamente”, no mais alto nível. Para o governador, não há porque fugir a esse debate, mesmo porque a Saneago realizou obras muito importantes em Goiânia nos últimos anos, só na região Noroeste foram construídos, segundo ele, 600 quilômetros de rede de esgoto e a capital será servida agora com o abastecimento de água do Sistema Produtor Mauro Borges, da Barragem do João Leite.
“Não haverá nenhum obstáculo maior na relação minha com o prefeito Iris”, arrematou.

Iris: “Foi um gesto de apreço, um momento marcante”

Recebido pelo governador Marconi Perillo para a primeira audiência oficial, onde foram discutidas as demandas administrativas de Goiânia, o prefeito Iris Rezende (PMDB) disse que foi “surpreendido” pela iniciativa do governador de convocar todo o secretariado, que na sua avaliação foi um “gesto de apreço” para com ele e com na cidade, “um momento marcante” na história política de Goiás.
“Vamos administrar Goiânia de mãos dadas com o governo estadual, buscando soluções dos problemas, que não são poucos”, disse o prefeito.
“A nossa intenção é desenvolver um trabalho em conjunto, em benefício da nossa cidade. Eu li algo que o governador anunciava que iria à Prefeitura. Pensei, ‘não. Existe uma hierarquia’. E eu, imediatamente, pedi uma audiência, justamente em sinal de respeito e de consideração”, assinalou.
Iris observou que é a primeira vez que se vê na história política de Goiás, entre governador e prefeito, um gesto desse: “O governador convocando todo o secretariado para ouvir o prefeito”.
Segundo o prefeito, todos sabem que vivemos um dos momentos mais críticos da vida política do País, dos estados e dos municípios. “Ninguém poderia imaginar que se chegasse a essa situação, quando praticamente todas as prefeituras, todos os governos estaduais – e o governo federal também não nega – vivem uma dificuldade muito grande. Isso nos leva a encarar o poder público com mais preocupação e com profunda responsabilidade”, afirmou.
Disse também que assim que tomou conhecimento, pela imprensa, de que o governador faria, primeiro, uma visita a ele no Paço Municipal, pensou na precedência e na hierarquia. “Eu logo então pedi para, como prefeito de Goiânia, vir manifestar ao governador o nosso respeito, a nossa consideração e o nosso interesse de realizar nessa cidade um trabalho conjunto”, reafirmou.
O prefeito disse ainda saber que o governo estadual é dirigido com “espírito público” e o objetivo da administração municipal é “servir à população”. Foi fundamentado nisso, explicou, que levou alguns pedidos ao governador, de ordem burocrática, administrativa, e também manifestou a Marconi o interesse de realizar um “trabalho conjunto”.
Ele lembrou que Goiânia é uma cidade que cresce muito, tem de haver vigilância para não ser “tomada de favelas”. Também a capital é uma cidade que recebe pessoas de todos os recantos do País em busca de Saúde: “Então, a questão da Saúde de Goiânia é uma preocupação – e o governador já manifestou isso com a construção de uma infraestrutura de hospitais e outras ações na área da Saúde”.
Na Educação, assinalou que embora o ensino infantil e o fundamental sejam de competência da Prefeitura e o Ensino Médio, do Estado, isso não impede a realização de um trabalho conjunto de valorização das crianças, dos adolescentes e de jovens de uma maneira geral.
Na avaliação do prefeito, se existem divergências em época de eleição, “elas não podem nunca influenciar a ação de governantes movidos pelo espírito público, pelo sentimento de pátria, pela responsabilidade administrativa”. Afirmou ter sentido que ele e o governador vão realizar um trabalho conjunto em Goiânia e dar exemplo aos prefeitos das capitais e governadores dos outros estados.
“Trouxe dois pedidos ao governador, que foram imediatamente autorizados. Na área da informática, dois projetos que têm o governo do Estado, tanto na área tributária, quanto na área de recursos humanos. Isso vai facilitar enormemente a prefeitura de Goiânia, em uma área que está praticamente zerada. Seria um projeto que custaria muito, se fosse para a Prefeitura licitar”, arrematou Iris.
Sobre o debate envolvendo o contrato do município de Goiânia com a Saneago, afirmou que o governador já abriu a discussão do processo e que o próprio Marconi garantiu que o assunto será avaliado de “tecnicamente”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here