Jornalismo contra a violência

0
1227

Durante quatro meses os repórteres Yago Sales e Daniela Martins se empenharam para esclarecer um fato que teria passado despercebido: uma chocante agressão dentro do terminal Isidória, em Goiânia, no mês de novembro do ano passado. Era uma fagulha, inacessível para quem não tem olhos de repórter, para uma grande investigação jornalística.

O agressor Daniel Batista de Moraes, que se apresenta como pastor, não podia imaginar que um repórter estava à espreita e flagrava a covardia contra um homem, quando nenhum passageiro apareceu para ajudar a vítima daquela ação truculenta. Munido de uma câmera, o repórter Yago Sales registrou a cena.
Mas era pouco. O dever do jornalismo é apurar e, por conseguinte, denunciar para a sociedade as incoerências sociais. A partir de então, os repórteres apuraram com afinco e descobriram que o agressor mantém uma casa de recuperação em Aparecida de Goiânia. O espanto, contudo, em uma das reuniões de pauta no jornal, chegou quando a apuração dos repórteres descobriu a identidade completa do agressor: ele é um foragido da justiça por assassinato.
Além dessa descoberta, a reportagem buscou novos relatos de agressões sofridas na casa mantida por Daniel. Dentro da entidade, acompanhada de perto pela Tribuna do Planalto, uma série de denúncias.
De delegacia em delegacia, fóruns, Tribunal de Justiça, ônibus e onde as agressões ocorriam, como na Instituição Resgatando Vidas, a reportagem, com ética e comprometimento com a verdade, produz um documento sobre uma prática que passa despercebida pela Rede Metropolitana de Transportes Coletivos (RMTC). A venda é proibida dentro do transporte coletivo, como prevê o regulamento operacional da Rede Metropolitana de Transportes Coletivos da região metropolitana de Goiânia, mesmo assim, pouco ou nada tem sido feito para fiscalizar esta ação. Pelo visto, a RMTC não tem se importado muito com essa tendência que dá luxo à picaretagem e explora a mão de obra de usuários.
A Tribuna do Planalto traz ao leitor nesta edição reportagem de fôlego que ressalta a importância de um jornalismo feito com ousadia, veracidade e, sobretudo, apuração. O trabalho publicado nas páginas 6 e 7 é uma grande oportunidade para reafirmar o compromisso do Jornalismo da Tribuna, voltado para o combate às injustiças. Nos 30 anos de sua história, o jornal busca contribuir com a manutenção da liberdade de imprensa, combate às mazelas sociais e influenciar mudanças positivas na sociedade.

Manoel Messias – Editor Executivo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here