Marconi apresenta proposta de construção do trem Goiânia-Brasília

0
725
Marconi informou que explicou ao presidente a situação da concessão: “Ele ficou muito entusiasmado com o projeto” (Fotos: Wagnas Cabral)

Para o governador, se tudo correr dentro da normalidade, a ferrovia deverá ser inaugurada no máximo em três anos após o início da construção

O governador Marconi Perillo apresentou ao presidente Michel Temer, na tarde da última quinta-feira, dia 9, a proposta de construção do Trem de Passageiros Goiânia-Brasília. Em reunião com Temer no Palácio do Planalto, Marconi detalhou o Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA) do Trem de Passageiros realizado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e entregue ao Governo de Goiás no último dia 15 de fevereiro.
Temer e Marconi conversaram por cerca de 45 minutos e o governador também relatou ao presidente os resultados da Missão Comercial para o Oriente Médio. Outro assunto em pauta no encontro foi o programa de concessões do governo federal. Marconi expressou sua determinação em resolver o impasse envolvendo a concessão do trecho norte da BR-153, tema de audiência anterior com o secretário especial do Programa de Parcerias de Investimentos, Adalberto Santos de Vasconcelos, no quarto do Planalto.
Em suas redes sociais, Marconi fez um resumo da audiência com Temer.
“Vim falar da minha missão ao Oriente Médio, sugerir a ele algumas iniciativas, especialmente no pacote de concessões, mas também vim para falar do trem Goiânia-Brasília”, disse.
“Expliquei ao presidente a situação da concessão e da licitação, ele ficou muito entusiasmado com o projeto. E também falamos sobre muitos assuntos de interesse de Goiás e do Brasil”, relatou.
Marconi esteve na sede da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), no último dia 15 de fevereiro, para receber o documento intitulado “Tomada de Subsídios” – as contribuições propostas em consonância com os resultados apresentados no Estudo de Viabilidade Técnica Econômica e Ambiental (EVTEA) do trem de passageiros no corredor Brasília/Anápolis/Goiânia. O EVTEA foi realizado pelo consórcio formado pelas empresas EGIS, LOGIT, JGP e Machado Meyer.
O diretor Jorge Bastos disse na ocasião que o estudo havia sido concluído há dez dias.
“Apresentamos ao governador as propostas que vieram. Agora o processo vai caminhar mais rápido. Esperamos que a licitação se dê ainda este ano”, comentou.
O governador disse que desde que começou a ser estudado o projeto foi bastante aprimorado. A ANTT apresentou um cronograma de desembolso por parte dos estados e da União. O início desses desembolsos, segundo o governador, se daria após três anos do início da obra. Começa em R$ 6 milhões e aumenta gradativamente.
O desembolso total do poder público, de acordo com a Tomada de Subsídios, não ultrapassará R$ 2,9 bilhões, valor que será dividido entre o Estado de Goiás, o governo do Distrito Federal e a União. Os demais investimentos necessários serão feitos pela empresa que vencer a licitação para realizar o projeto executivo e a obra.
Marconi fez questão de nomear Bernardo Figueiredo, que foi presidente da ANTT e da EBE – Empresa Brasileira de Logística –, como um dos principais executivos responsáveis pelo acompanhado de todo o processo. Para o governador, se tudo correr dentro da normalidade, a ferrovia deverá ser inaugurada no máximo em três anos após o início da construção.
“Se a licitação for resolvida ainda este ano, com certeza em três anos é possível a realização da obra. Estamos otimistas, especialmente com a conclusão da tomada de subsídios”, concluiu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here