Governo de Goiás aumenta em 25% repasse para Pão e Leite

0
913
Governador Marconi Perillo e a secretária de Cidadania, Lêda Borges: reforço o orçamento para população carente (Foto: Wesley Costa)

Recurso é utilizado por entidades para incrementar as refeições diárias que servem às pessoas carentes que atendem

O Governo de Goiás anunciará em evento nesta terça-feira, dia 18 de abril, um aumento de 25% nos repasses às entidades beneficiárias do Programa Pão e Leite. O evento está marcado para acontecer às 14 horas no auditório Mauro Borges do Palácio Pedro Ludovico, em Goiânia.
Criado em 2001 pelo governador Marconi Perillo, o Programa Pão e Leite beneficia atualmente 385 entidades em 89 municípios, com apoio financeiro, em valor per capita que passa agora de R$ 1,20 para R$ 1,50, uma alta de 25%. Com esse recurso, as entidades incrementam as refeições diárias que servem às pessoas carentes que atendem.
“A cada suspiro que ganhamos no orçamento do Estado, vencendo esse difícil período econômico que ainda enfrentamos, procuramos reajustar as dotações orçamentárias de nossos programas sociais. É isso que estamos conseguindo fazer agora com o Pão e Leite, assim como já fizemos com outros programas e vamos continuar fazendo”, comenta a secretária Lêda Borges, que gerencia o Pão e Leite, assim como outros programas do gênero, como o Água e Energia.
Somados, o Pão e Leite e o Água e Energia atendem a cerca de 190 mil pessoas em todo o Estado, por meio do trabalho social de entidades, hospitais filantrópicos, santas casas de saúde e associações comunitárias. Com recursos garantidos pelo Fundo Protege, essas ações terão um orçamento total de R$ 30,6 milhões este ano. São 385 entidades beneficiárias do Pão e Leite em 89 municípios, 314 instituições subvencionadas na conta de energia elétrica em 75 municípios e 264 subvencionadas na conta de água e esgoto em 65 municípios.

Nota Fiscal Goiana
Outra inovação no aporte de recursos às entidades sociais cadastradas na Secretaria Cidadã veio com a decisão do governador Marconi Perillo de destinar a elas parte dos prêmios pagos no programa Nota Fiscal Goiana. Todos os consumidores inscritos no programa da Secretaria da Fazenda (Sefaz) podem acessar o site do programa para indicar uma entidade social que poderá ganhar prêmio em dinheiro de R$ 50 mil.
A entidade que ganhará o prêmio mensal será aquela escolhida pelo ganhador do prêmio principal de R$ 200 mil, porém a escolha deve ser anterior ao sorteio e, por isso, o sistema está disponível para que todos façam suas indicações. Caso o ganhador do prêmio principal não escolha a entidade até o sorteio, o prêmio será sorteado entre as entidades selecionadas pelos outros 150 concorrentes aos prêmios menores da mesma edição – 50 de R$ 1 mil e 100 de R$ 500. E se nenhum premiado indicar uma entidade, a Sefaz fará um sorteio entre todas as entidades cadastradas na Secretaria Cidadã.
A Superintendência de Programas Especiais da Secretaria Cidadã informa que, para uma entidade se cadastrar para participar dos programas sociais da pasta é necessário ser comprovadamente filantrópica, ter ao menos dois anos de funcionamento regular, atuar de forma contínua, com prestação de serviço diário à comunidade que atende e ter caráter socioeducativo com vistas à inclusão social.

Estado lidera crescimento industrial no País

Números do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) sobre o desempenho da indústria, divulgados na terça-feira da semana passada, dia 11, confirmam a rápida recuperação da economia de Goiás após a crise nacional: o Estado liderou o crescimento industrial entre dezembro de 2016 e fevereiro de 2017, com alta de 3,7%, e alcançou o terceiro lugar no primeiro trimestre deste ano, com expansão de 4,9%.
A expansão industrial mostra o efeito das medidas de estímulo à economia implantadas pelo Governo de Goiás para mitigar os efeitos da crise nacional, com destaque para o programa de incentivos fiscais, as missões comerciais para o exterior e as medidas de austeridade. O levantamento do IBGE comprova que o equilíbrio fiscal e a política de investimentos têm permitido que a economia goiana seja uma das primeiras a superarem a crise brasileira.
De acordo com a Pesquisa Industrial Mensal, a indústria goiana teve o terceiro melhor desempenho no País no primeiro bimestre de 2017, com alta de 4,9%, em relação ao mesmo período do ano passado. Segundo a pesquisa, o crescimento de Goiás ficou bem acima da média nacional, que foi de 0,3%.
Apenas Amazonas (6,6%) e Pernambuco (6,5%) superaram o crescimento da indústria goiana. Porém, quando o instituto soma o trimestre que inicia em dezembro de 2016, Goiás sobe para o primeiro lugar nacional, com crescimento da produção industrial de 3,7%, acima do Ceará e Santa Catarina, ambos com 2,3%.
Segundo os dados divulgados, 14 Estados observaram crescimento na produção industrial em fevereiro de 2017, no comparativo com janeiro. Os destaques neste recorte de tempo foram Bahia e Santa Catarina, com alta de 2,8% e do Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, com 2,2%. Goiás vem logo em seguida, com crescimento de 2,1%.
Com base nas informações do IBGE, o Instituto Mauro Borges (IMB), da Secretaria de Gestão e Planejamento de Goiás (Segplan), indica que já é o terceiro mês consecutivo de crescimento da produção industrial no Estado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here