Aos poucos, a gestão de Iris Rezende mostra progresso

0
578
Iris Rezende: ainda de modo discreto, prefeito começa a apresentar uma agenda positiva, como o lançamento do programa Alvará Fácil, que moderniza a emissão de licenças (Fotos: Paulo José)

Superada a fase de diagnóstico da situação financeira e tomadas medidas de controle, prefeito começa, enfim, período de realizações

Manoel Messias Rodrigues

Em entrevista à Tribuna do Planalto no mês de janeiro, o presidente da Comurg, Denes Pereira, declarou que acreditava que em maio o prefeito Iris Rezende já anunciaria boas notícias aos moradores de Goiânia, indicando que essa seria uma data a partir da qual a gestão do peemedebista começaria a deslanchar. Um grande anúncio ainda não ocorreu, talvez devido a fatos negativos que imprevisivelmente tomaram conta da agenda do Paço Municipal, como a greve na educação seguida de ocupação e retirada de servidores da sede da Secretaria Municipal de Educação. Mesmo sem a esperada boa nova, já é possível perceber que após quatro meses finalmente o prefeito começará a dar boas notícias.
Uma dessas boas notícias foi o lançamento, no dia 27 de abril, do programa Alvará Fácil, que promete dar agilidade e modernizar o sistema de emissão de licenças para construções prediais em Goiânia. Apesar de não atingir imediatamente toda a população, a medida é importante porque simboliza a modernização da prefeitura de Goiânia, que inacreditavelmente ainda não utiliza bem os inúmeros recursos e possibilidades tecnológicas existentes.
Na solenidade, prestigiada por seus auxiliares e pelo secretário estadual do Meio Ambiente, Vilmar Rocha, Iris Rezende ressaltou o avanço que o Alvará Fácil representa, especialmente para o segmento da construção civil, já que haverá economia de tempo e dinheiro para início de obras em Goiânia.
“É um programa que vai facilitar a vida das pessoas, já que alvarás que demoravam até seis meses para ser emitidos poderão ser obtidos em 24 horas”, explicou o prefeito.
Com o novo modelo de emissão de alvarás, o interessado não precisará se deslocar até a prefeitura, pois todo o processo será feito pela internet. Nesse primeiro momento, será possível expedir digitalmente alvará de licença para habitações unifamiliar, geminada e seriada até quatro unidades.
De acordo com Iris Rezende, a medida faz parte de um conjunto de ações propostas pela atual administração para melhorar a prestação de serviços ao contribuinte e colocar Goiânia no patamar de cidade moderna e inteligente.
“As tecnologias estão aí para serem usadas. Nós, como representantes do povo, que anseia por essas facilidades, não podemos nos furtar a promover essas mudanças tão necessárias e úteis para a população”, frisou, lembrando que a consecução do projeto só foi possível graças a participação e empenho de todos os integrantes da administração.
O secretário municipal de Planejamento Urbano e Habitação, Agenor Mariano, explica que o objetivo do programa é desburocratizar e ampliar o acesso da população aos serviços de emissão de documentos pela Prefeitura de Goiânia. Mariano ressalta, também, a agilidade que o processo vai trazer para a liberação de autorizações para construções em Goiânia e como isso vai impactar a economia da cidade.
“Todos saem ganhando, já que os técnicos terão maior disponibilidade para focar nos processos mais complexos e o setor da construção civil poderá iniciar com maior rapidez suas atividades, gerando emprego e fomentando a economia com o consumo de materiais de construções, por exemplo”, disse.
O programa Alvará Fácil foi criado a partir de alterações no Código de Obras e Edificações do Município. Nessa primeira, as mudanças permitirão que arquitetos e engenheiros solicitem a emissão de alvarás de suas obras após realizarem o cadastro, uma única vez, e receberem uma senha específica na loja de atendimento da prefeitura, no Paço Municipal. A partir de agosto, a aprovação de projetos será efetuada somente mediante a utilização do certificado digital padrão ICP-Brasil.


Manoel Messias Rodrigues
Manoel Messias Rodrigues

Análise

Não basta fazer o trivial, é preciso ir além

O prefeito Iris Rezende assumiu a Prefeitura de Goiânia com débitos de R$ 600 milhões, o que o obrigou a tomar medidas severas nos primeiros dias de mandato para fazer um controle financeiro rigoroso das contas públicas. Além disso, herdou com um déficit mensal da ordem de R$ 30 milhões. Em janeiro, por falta de pagamento as empresas contratadas haviam paralisado os serviços e obrigações contratuais.
Usando de seu prestígio e experiência administrativa, Iris conseguiu negociar com representantes das empresas, comprometendo-se a pagar em dia os serviços prestados na sua gestão, sendo que a dívida da administração anterior será paga posteriormente. Conseguiu, assim, que os serviços voltassem à normalidade.
De fato, ele encontrou uma cidade abandonada, tomada de buracos, sem material para utilizar, veículos sem manutenção, lixo acumulado, com bairros em que a coleta não passava havia 45 dias. De modo geral, todas as áreas da administração deixavam a desejar.
Em parte, conseguiu dar resposta a algumas situações pontuais, como a limpeza urbana. A solução para os problemas crônicos da Saúde também está encaminhada, com a regularização do atendimento médico nas unidades municipais.
O prefeito afirma que tem trabalhado 18 horas por dia, tentando discutir e buscando solução para todas as demandas, despachando com os auxiliares. Mesmo assim, houve um princípio de rebelião na Câmara de Vereadores, com vereadores ameaçando se debandar, pedindo mais rapidez nas soluções dos problemas.
Iris garante que, em pouco tempo a população irá se orgulhar da cidade que vive, pois ele vai cumprir o que prometeu durante a campanha eleitoral. “Vou realizar a mais bela administração da minha vida”, declarou, ao completar 100 dias de mandato.
Fora esses problemas herdados, de natureza imediata, o prefeito ainda tem um longo caminho para conseguir realizar uma bela administração, pois a cidade não para, é dinâmica. E os problemas também aparecem, acompanham essas mudanças. Aliás, a educação municipal vive um momento delicado, com a greve dos servidores.
Caso as várias áreas atendidas pela prefeitura estivessem funcionando regularmente, Iris teria o desafio de avançar em alguns importantes setores, especialmente no transporte coletivo, que continua sendo um dos problemas crônicos da cidade. Apenas manter serviços básicos não é o bastante; hoje é preciso administrar com eficiência e eficácia.
Portanto, o grande teste de Iris neste mandato ainda está por vir. Ele precisa mostrar que é capaz de fazer a prefeitura prestar serviços de qualidade, seja atendendo diretamente a população, como no caso da liberação dos alvarás de construção, seja regulando e fiscalizando serviços prestados pela iniciativa privada, caso do transporte coletivo.

Região 44
Comerciantes pediram a Iris melhorias revitalização da Praça do Trabalhador e conclusão da Avenida Leste-Oeste (jackson Rodrigues)

Prefeitura discute parceria para revitalizar a Região da 44

O prefeito Iris Rezende participou, dia 28, de reunião do Fórum de Desenvolvimento e Oportunidades da Região da 44. O evento é organizado pela Associação Empresarial da Região da 44 (AER44), com objetivo de promover melhorias e alçar a região como o maior polo atacadista do Brasil.
Segundo o presidente da AER44, Jairo Gomes, o Fórum mostra as oportunidades que a região oferta à cidade.
“São 19 mil lojas e barracas, mais de 120 empreendimentos, galerias, shoppings e hotéis que geram mais de 150 mil empregos diretos”, destaca.
A região da 44 é considerada o segundo maior polo de confecção do país e recebe turismo de compras de todos os estados do Brasil e países do Mercosul.
“Recebemos quase dois milhões de clientes em 2016. Apenas em dezembro, um milhão de pessoas passaram pela região, deixando cerca de meio bilhão de reais no comércio local’, comemora.
Os empresários solicitaram melhorias na segurança, fiscalização, revitalização da Praça do Trabalhador e conclusão da Avenida Leste-Oeste. O prefeito garantiu promover melhorias e reformou o compromisso com o centro da Capital.
“Vamos organizar, fazer a manutenção e ouvir os lojistas, feirantes e clientes para então implantar as melhorias na região para ampliar o emprego e a renda em nossa cidade’, afirmou.
A resolução de gargalos manterá o crescimento sustentável da Região, conforme acredita Fernando Maia, gestor do Araguaia Shopping.
“O prefeito é parte da história da região e sua visão empreendedora e de estadista garantirá este legado para a cidade”, falou.
A Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Habitação (Seplanh) executará o plano de parcerias para implementar as ações discutidas no fórum, por intermédio do secretário Agenor Mariano. Participaram também do evento a primeira-dama Dona Íris, os secretários de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Ciência e Teconologia; Turismo, Eventos e Lazer; Direitos Humanos; Política para as Mulheres; além do presidente da Guarda Civil Metropolitana.

P5-2

Saúde equaciona problema da falta de médicos

Outro nó que começa a ser desatado pela gestão de Iris Rezende estava emperrando uma das áreas mais sensíveis da prefeitura, a saúde. No último dia útil do mês de abril, sexta-feira da semana passada, terminou o pedido de credenciamento de médicos com 540 profissionais tendo feito proposta para prestar serviços de saúde à Prefeitura de Goiânia. A partir de agora, os documentos serão analisados e, se estiverem em conformidade, as inscrições serão habilitadas para assinatura de contrato mediante estudo de demanda por parte da prefeitura.
Entre as propostas analisadas e validadas, há credenciamento de 316 clínicos-geral, 10 pediatras, sete psiquiatras, oito cirurgiões-geral, três dermatologistas, entre outras especialidades. O balanço definitivo das propostas recebidas, após avaliação da equipe técnica, estará disponível nos próximos dias.
O edital, aberto em 23 de março, visa recompor o quadro médico das unidades de saúde da prefeitura. Os profissionais que forem contratados prestarão serviço em regime de urgência, ambulatório e estratégia de saúde da família.
Segundo a secretária municipal de Saúde, Fátima Mrué, a contratação de mais médicos para atendimento no Sistema Único de Saúde (SUS) na capital garantirá uma distribuição equilibrada dos profissionais nas unidades.
“De imediato, esperamos chegar a cinco médicos atendendo nas unidades 24 horas que dispõem de cinco consultórios e ampliar para as demais à medida que, de acordo com um projeto já existente, forem reformadas e elevadas para Unidades de Pronto Atendimento”, diz.
Antes da reconfiguração contratual, 480 médicos prestavam serviços ao município. Se todos os médicos que apresentaram propostas entrarem em exercício, a prefeitura terá 60 médicos a mais, além dos profissionais efetivos e do reposicionamento dos que estavam em desvio de função.
Como o processo de credenciamento médico para a rede municipal de saúde ainda está em andamento, as escalas de atendimento dos profissionais nos postos de saúde de Goiânia são semelhantes àquelas que vinham sendo praticadas na gestão passada. A expectativa é que, com os novos contratos, novas metodologias de trabalho sejam colocadas em prática, equacionando o desequilíbrio que ainda persiste no atendimento médico nos postos de saúde.
Segundo a secretária, apesar do número de médicos atendendo já ser um pouco maior do que na gestão passada, nos próximos seis meses, ou no máximo até o fim do ano, a situação estará muito diferente e terá mudado para melhor.
Fátima Mrué acredita que dentro de um mês os Cais de Goiânia contarão com equipes de atendimentos mais qualificadas e aptas a prestar esse serviço à comunidade. Além desse aspecto que envolve servidores, a prefeitura pretende resolver problemas relacionados à falta de materiais nas unidades de saúde, causada principalmente por falhas na sistematização do processo de controle dos indicadores. A ideia é encontrar com a equipe de tecnologia da informação da secretaria a melhor forma de informatizar todas as unidades de saúde de Goiânia.
Confiante de que a situação da Saúde em Goiânia vai melhorar, a secretária admite a fragilidade do sistema de atendimento à saúde como um todo, lembrando, contudo, que essa é uma realidade de todo o país. “Temos medidas claras para se corrigir os erros do passado e que serão implantadas. As melhoras no sistema de saúde de Goiânia serão sentidas pela população nos próximos seis meses”, afirma.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here