A mobilização de todos contra a corrupção

0
1090

A luta contra a corrupção e por uma administração pública transparente e eficiente deve ser tarefa permanente e encampada por todo cidadão. Em um país como o Brasil, onde boa parte dos eleitos para o Congresso Nacional encontra-se envolvida em casos de corrupção ou tem a campanha suspeita por utilização de caixa 2, a luta para combater a corrupção e apoiar a boa governança precisa ser diária e envolver o máximo de pessoas, porque a corrupção, os desvios, a malversação dos recursos públicos ocorrem de forma espantosa e devem ser contidos.
Por isso e por tantos outros dissabores e mesmo calamidades trazidas pela má utilização do dinheiro público, o surgimento e fortalecimento de entidades como o Observatório Social do Brasil, não governamental sem fins lucrativos de combate à corrupção, deve ser brindado e, mais que isso, abraçado pelo cidadão brasileiro. A corrupção é um mal que atinge a todos, especialmente os menos favorecidos economicamente, que são privados de assistência do poder público.
O Observatório Social é a maior rede em articulação da sociedade civil, com mais de 120 observatórios em atividade, em 19 estados, abrangendo 15% de toda a população do país. O envolvimento de mais de três mil voluntários fez com que, em apenas quatro anos, mais de R$ 1,5 bilhões fossem economizados aos cofres municipais. E a cada ano mais de R$ 300 milhões deixam de ser gastos desnecessariamente, segundo informações da entidade.
O trabalho feito pelo observatório possibilita, em média, a recuperação de 10% a 15% dos orçamentos em compras municipais e nos últimos quatro anos houve um aumento expressivo da média de empresas que participam de licitações públicas, evitando muitas vezes acordos de preços e a divisão dos lotes.
Apesar de importantes, por quantificar esforços, conquistas, os números talvez não expressam bem os benefícios que a vigilância do cidadão em prol da boa administração pode trazer para o país. Quando cada cidadão está atendo, fiscalizando o serviço público, a gestão do patrimônio público, tem-se uma otimização dos recursos, porque intimida-se as falcatruas, inibe-se a corrupção. Enfim, cria-se a cultura da defesa do interesse coletivo.
Iniciativas como o Observatório Social são imprescindíveis para o fortalecimento da cidadania e o respeito à coisa pública. Quando chama qualquer cidadão para ser um fiscal e um divulgador do hábito de fiscalizar, coloca-se a transparência em primeiro plano, defende-se a lisura na administração pública. É importante salientar que a luta contra a corrupção é diária e árdua, já que os envolvidos em tais atos costumam ter ascensão social, muitas vezes ocupando cargos de destaque na esfera pública e empresarial, por isso detêm força e influência. Portanto, somente com muita união é possível enfrentar efetivamente esse mal que é a corrupção.

Manoel Messias – Editor Executivo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here