Começa o concurso Goiânia na Ponta do Lápis

0
691
Com intuito de orientar o estudante a utilizar as redes sociais de maneira correta, o tema do certame abordará o impacto e influência da internet nas relações humanas

Fabiola Rodrigues

O concurso de redação Goiânia na Ponta do Lápis está de volta em sua 18ª edição e inaugura esta semana os debates que enriquecem a leitura e escrita em sala de aula. A partir do dia 15 de maio estudantes e professores das redes municipal e particular da Capital podem começar a discutir o tema do certame: “Como a internet tem interferido nas relações entre as pessoas?”, com o objetivo de incentivar a reflexão do estudante sobre as maneiras que ele está utilizando a tecnologia em suas relações sociais.
Realizado pela Tribuna do Planalto e desenvolvido com o apoio da Secretaria Municipal de Educação e Esporte (SME), o concurso é uma forma de ampliar o aprendizado do estudante, por meio de pesquisa, argumentação e textos escritos. Para o secretário Municipal de Educação, Marcelo Ferreira da Costa, a expectativa é de que todos os estudantes da rede municipal participem dessa edição. Ele observa que o envolvimento do aluno em competições como a da Tribuna do Planalto é essencial para a carreira estudantil.
“O exercício da cidadania é esse. A educação é movida por incentivos. O concurso vem ajudar o estudante a desenvolver o conhecimento e ampliar a visão futura para cursar faculdade, projetar bom emprego e também ter sucesso nas relações pessoais”, diz o secretário.
Marcelo Ferreira ressalta que dará total apoio aos professores, para que eles incentivem ao máximo a participação dos estudantes, e espera fazer dessa a melhor edição do concurso.
“Educar é muito mais que oferecer uma aula ao estudante, é fazer com que ele crie seus próprios conceitos a partir do que aprende. Vamos incentivar e mobilizar todo o ambiente escolar a ler e escrever, porque sabemos que este é o caminho que amplia o saber”, observa o secretário.
O tema escolhido é analisado como de total relevância para ser debatido nas escolas, principalmente pelo grande envolvimento de crianças e adolescentes com a internet. O secretário ressalta que o momento é extremamente oportuno para que haja discussões sobre as relações humanas.
“Toda forma de comunicar pode ser utilizada de maneira positiva ou negativa, devido à rapidez que se propaga. Os perigos são constantes nas redes sociais. E o estudante precisa saber lidar com essa polarização da informação. Acredito que hoje é primordial tratar sobre a ética do ato de comunicação”, observa Marcelo Ferreira.
O diretor-presidente da Tribuna do Planalto, Sebastião Barbosa, acredita que essa edição entrará para a história, por abordar um tema significativo e tão presente na rotina dos estudantes. Ele lembra que há quase duas décadas o jornal tem contribuído para que o aluno discuta assuntos relevantes e forme melhor suas opiniões.
“Discutir um assunto tão relevante e vivenciado pelos alunos faz com que tenham propriedade para argumentar e escrever. Estou confiante que mais uma vez o concurso alcançará o objetivo de colaborar com o crescimento da educação”, diz o diretor.
O concurso Goiânia na Ponta do Lápis premiará os estudantes que escreverem as melhores redações com medalhas, certificados, smartphones, notebooks, bicicletas, TVs e bolsas de estudos da Faculdade Sul-Americana (Fasam). As premiações serão entregues aos estudantes nas etapas regionais e final, que acontecerão entre novembro e dezembro.
Como em todas as edições, a Tribuna do Planalto contará com a imprescindível colaboração dos professores e de todo o ambiente escolar na divulgação do concurso. Desta vez os cartazes e fôlderes não serão distribuídos nas escolas, porém semanalmente o caderno suplemento Escola da Tribuna do Planalto circulaerá com o regulamento do concurso, que poderá ser utilizado para informar educadores e estudantes.

Secretário Municipal de Educação, Marcelo Ferreira: “Queremos fazer desta a melhor edição do concurso”
Secretário Municipal de Educação, Marcelo Ferreira: “Queremos fazer desta a melhor edição do concurso”
Professora Doraney Oliveira: “Sempre aguardo com entusiasmo o certame e faço questão de incentivar o estudante”
Professora Doraney Oliveira: “Sempre aguardo com entusiasmo o certame e faço questão de incentivar o estudante”

“Estou ansiosa para iniciar as atividades”

De olho no calendário, muitos professores aguardam o concurso para levar aos alunos novidades de estudo, já que o final do semestre se aproxima. A professora de Português Doraney Oliveira fica empolgada ao poder informar aos alunos que eles podem começar a fazer pesquisas para elaborar a redação com chance de os melhores textos renderem prêmios. Ela elogia ainda a escolha do tema desta edição.
“Sempre aguardo com entusiasmo o certame. Acredito que este ano a empolgação do estudante será maior, pois o assunto faz parte do dia a dia deles. Estou ansiosa para iniciar as atividades. Muitas discussões vão surgir. Já comecei a selecionar o material para trabalharmos”, conta a professora.
Para Doraney Oliveira, tratar de assuntos relacionados ao uso da internet com os estudantes é uma maneira de ajudá-los a melhorar suas relações pessoais e evitar armadilhas.
“É preciso discutir esse tema, sim. E a escola é o espaço onde deve começar essa abordagem. Levar os educandos a refletir sobre as relações humanas, sobre os valores morais e éticos, sobre o respeito, o valor da privacidade, a banalização da violência, da dor alheia é muito amplo. Essa discussão deve começar na escola, com uma boa orientação para que nossos alunos levem essa reflexão para seus lares, conversem com os pais; é uma mudança que deve começar a acontecer”, lembra a professora.
Para Doraney o concurso é importante na medida em que proporciona ao estudante uma reflexão sobre assuntos relevantes; e que também incentiva a melhoria da leitura e escrita.
“É uma oportunidade de interação de todas as áreas de conhecimento. Em Língua Portuguesa especificamente o trabalhado, sem dúvida, é mais rico, uma vez que o aluno aprende o gênero textual, lê muito vários textos de várias modalidades; aprende coesão e coerência, concordância verbal e nominal, ortografia, enfim, tudo que se faz necessário para a uma produção textual de qualidade”, lembra a professora.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here