Concurso de redação desperta interesse de alunos e professores

0
494
Como em toda edição, desta vez os autores das melhores redações serão premiados

Expectativa é que essa edição tenha maior quantidade de estudantes envolvidos; divulgação da competição está a todo vapor

Fabiola Rodrigues

A 18ª edição do Concurso de Redação Goiânia na Ponta do Lápis, lançada há pouco mais de 15 dias, está servindo de estímulo de estudo para os alunos, que estão chegando ao final do primeiro semestre. O tema deste ano – “Como a internet tem interferido nas relações entre as pessoas?” – tem particularmente despertado o interesse os estudantes, que sentem segurança para escrever, por ser um assunto que faz parte da rotina deles. O trabalho de divulgação do concurso nas escolas se intensifica a cada semana e, com mais ânimo, os estudantes já começam a rascunhar as redações.
Para alcançar o maior número de estudantes em todas as escolas da rede municipal de Goiânia, os coordenadores das cinco regionais de unidades escolares estão empenhados na divulgação do concurso diretamente nas escolas. A coordenadora administrativa da Unidade Regional Jarbas Jayme, Elen Cristine da Silva, diz que todos os 38 colégios da coordenadoria já estão recebendo informações sobre o Regulamento do concurso. Em muitos os estudantes já debatem sobre o tema proposto.
“Reunimos os 15 colaboradores pedagógicos que estão sempre em contato com os diretores e professores nas escolas, lemos e esclarecemos dúvidas sobre o concurso para que o aluno seja bem orientado quanto às normas. Queremos o envolvimento de todos os nossos estudantes”, diz.
Elen Cristine explica que tratar sobre o tema proposto em sala de aula é uma maneira de alertar e fazer o estudante repensar como ele se relaciona com as pessoas e de que maneira o uso da internet o influencia nessas relações.
“Achamos totalmente relevante o assunto proposto nessa edição e recebemos grande aceitação dos professores e estudantes. A escola é um ambiente importante para tratar vários assuntos éticos e esse é um deles. Os adolescentes precisam urgentemente aprender a utilizar o acesso à internet de forma sadia e consciente”, ressalta a coordenadora.
Tradicionalmente a participação dos estudantes da Regional Jarbas Jayme é muito positiva. A coordenadora lembra que, como o concurso oferece vários prêmios, muitos alunos de famílias mais carentes, fazem questão de participar para ter a chance de ganhar prêmios.
“Sempre nossos estudantes ganham boa colocação e recebem prêmios, o que é uma honra. Sabemos que certos alunos têm essa chance como uma das únicas para receber bom presente de fim de ano. Por isso a constante dedicação em produzir boas redações. Acreditamos no bom rendimento deles e este ano não será diferente”, diz a coordenadora.
Em outra unidade regional da Capital, é visível o empenho dos professores na divulgação do concurso. A Regional Brasil de Ramos Caiado é uma entre das cinco da capital que também tem se empenhado para que os estudantes, antes das férias e julho, estejam com a produção de texto bem adiantada. A coordenadora administrativa da unidade, Maria Aparicida da Cunha, diz que as 33 escolas da coordenadoria em que ela trabalha já receberam informações sobre o Goiânia na Ponta do Lápis.
“Assim que começou, no dia 15 de maio, mais uma edição do concurso, preparamos os professores para que divulgassem aos alunos. O estudante está sendo orientado por meio da coordenação da escola e dos professores. A expectativa é que saia não só um aluno, mas vários que recebam prêmios da nossa regional”, diz, motivada, a coordenadora.
Este ano, o prazo para entrega das redações será maior que do ano passado. Os participantes terão até dia 29 de setembro para fazer a entrega dos trabalhos, não mais no começo de agosto. Mesmo assim, a coordenadora lembra que o quanto antes começar a fazer o trabalho de pesquisa e produção, maior a chance de o estudante obter bom resultado.
“Mesmo com o tempo maior, não deixararemos para a última hora. O tema é bem interessante e atual, o que facilita nas pesquisas e debates para produção de texto. Vamos preparar nossos alunos para que eles façam ótimas redações”, ressalta Maria Aparicida.
O concurso Goiânia na Ponta do Lápis é realizado pela Tribuna do Planalto e desenvolvido com o apoio da Secretaria Municipal de Educação e Esporte (SME). Tem como objetivo ampliar o aprendizado do estudante, por meio de pesquisa, argumentação e textos escritos. Os estudantes que escreverem as melhores redações serão premiados com medalhas, certificados, smartphones, notebooks, bicicletas, TVs e bolsas de estudos da Faculdade Sul-Americana (Fasam).

Presidente do Sepe, Flávio Roberto: “Faremos desta a melhor edição de alunos envolvidos no concurso”
Presidente do Sepe, Flávio Roberto: “Faremos desta a melhor edição de alunos envolvidos no concurso”

Escolas particulares confirmam participação histórica

Além dos estudantes da rede pública municipal, o Concurso Goiânia na Ponta do Lápis também tem a participação da rede particular de ensino. Por isso, diretores e professores já divulgam a 18ª edição da competição nas escolas particulares. O presidente do Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino em Goiânia (Sepe), Flávio Roberto de Castro, diz que está confiante no trabalho que os diretores farão para incentivar os estudantes a participar em maior número possível.
“O concurso é muito bem respeitado e sabemos da idoneidade dos realizadores e colaboradores. Faremos desta edição uma das melhores quanto à quantidade de alunos envolvidos. Sei que sendo bem divulgado e acompanhado pelos professores, que é o que estamos dispostos e fazendo, teremos resultados bons”, comenta Flávio Roberto.
Sobre o tema – “Como a internet tem interferido nas relações entre as pessoas?” –, Flávio Roberto observa que existem vários formas de ser abordado e que, portanto, será de grande importância discutir a temática com os estudantes, extraindo assim elementos para a produção dos textos.
“O aluno atualmente é muito envolvido com as redes sociais e a internet de um modo geral; Então ele precisa conhecer a veracidade dos fatos ao navegar. É necessário que se discuta isso no ambiente escolar com debates e orientações. Isso é fundamental para aprenderem”, ressalta.
O diretor do Colégio Expovest, Eraldo Soares, lembra que todo ano convida e incentiva seus alunos a participar do concurso, por ser uma forma de se obter conhecimento, pesquisa, descoberta e aprendizado.
“Mais uma vez, essa edição será uma enorme oportunidade para nosso aluno competir de maneira saudável e batalhar por premiação”, comenta o diretor.
Eraldo Soares também elogia o tema escolhido e diz que existe certa urgência em tratar o assunto de maneira coletiva e didática.
“Muitos jovens estão fazendo mau uso da internet, de forma a prejudicar eles mesmos. Já tratamos sobre a temática em nossa escola, mas claro que agora falaremos com maior amplitude ainda. Será muito bom. Esperamos que o resultado de todo esforço seja o conhecimento compartilhado”, conclui o diretor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here