O calendário brasileiro de festivais de cinema ganha mais um destaque no âmbito das animações: o Lanterna Mágica – Festival Internacional de Animação começa nesta terça-feira, dia 13, com programação que vai até o domingo, dia 18. Mostras competitivas e não-competitivas, oficinas, palestras e debates dão vida ao Lanterna Mágica, que acontece no Espaço Sonhus, do Lyceu de Goiâna, um dos mais tradicionais colégios estaduais, no Centro de Goiânia. Todas as atividades são gratuitas.

Nesta terça, a partir das 20 horas, a abertura do festival é em um evento conjunto com o 4º Cinema na Calçada, projeto que ocupa espaços públicos da capital com mostras de filmes. Uma sessão especial de curtas e uma feirinha em parceria com o Casulo Moda Coletiva dão o start no Festival. Tuk Pub da cerveja Colombina, banquinha da Hocus Pocus, comidinhas e mais algumas surpresas recebem o público na noite de abertura.

Programação
Foram mais de 350 animações inscritas, entre produções brasileiras de diversos estados e de países como Suíça, Alemanha, Grécia, França, Polônia, Argentina, México e Colômbia. As mostras competitivas estão divididas entre nacionais e internacionais; competem nessa categoria apenas curtas-metragens. A curadoria da Mostra Nacional de Curtas foi feita por Ricardo de Podestá, diretor, roteirista, animador e diretor de criação. Ludielma Laurentino é montadora, roteirista, diretora e sócia da produtora Panaceia Filmes e a curadora da Mostra Internacional de Curtas.

A mostra não-competitiva do Lanterna Mágica conta com longas-metragens de diversos países, que serão exibidos em sessões ao longo da programação. A Sesta Cultural é uma mostra voltada para os alunos do Colégio Lyceu, onde o Espaço Sonhus fica. Já a Mostra Especial: História da Animação em Goiás homenageia realizadores goianos ao longo de sua trajetória e, após a sessão de sábado, haverá o debate O Mercado de Animação em Goiás para aprofundar a discussão de como o Estado se projeta no mercado nacional e internacional.

Além das exibições
Entre os objetivos do festival está o de promover debates e encontros que contribuam diretamente na formação e na valorização do mercado de animação nacional, projetando-o internacionalmente.  Um estudo de caso sobre o processo de criação e produção do longa O Menino e o Mundo, com o diretor Alê Abreu e Priscilla Kellen, será no domingo.

Rosana Urbes ministra a palestra Processos de Realização de um Filme de Animação na quinta-feira, dia 15, quando também terá a Oficina Storyboard,
Conheça os jurados das mostras competitivas:

Mostra Competitiva Internacional de Curtas
Rosana Urbes, animadora, ilustradora e storyboard artist com mais de 20 anos de carreira, é a primeira mulher a ganhar um Anima Mundi. Seu curta-metragem Guida (2014) foi recordista de prêmios no festival. Trabalhou por seis anos nos estúdios Disney e, de volta ao Brasil, fundou a RR Animation Films.

Márcia Deretti, produtora e diretora audiovisual. Fundou em 2009 a Escola Goiana de Desenho Animado (EGDA), é produtora e diretora da Trash – Mostra Goiana de Filmes Independentes, atualmente em sua 9ª edição, e coordenadora do Dia Internacional da Animação de Goiânia, que realiza anualmente desde 2007. Além disso, é responsável pela produção nacional de cinema e pela mostra infantil das últimas oito edições do Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Fica).

Alê Abreu, membro da Academia de Ciências e Artes Cinematográficas de Hollywood, fecha o time. Em 2007, foi um dos artistas homenageados pelo Anima Mundi. Um dos seus trabalhos mais conhecidos é o longa-metragem O Menino e o Mundo (2013), que foi exibido comercialmente em mais de 100 países. O filme recebeu 51 prêmios, incluindo o de melhor filme e prêmio de público em Annecy, melhor filme em Zagreb, o Annie de Melhor filme independente e a indicação ao Oscar de Animação.

Mostra Competitiva Nacional de Curtas
Wadih Elkadi é produtor executivo da F64 Filmes, produtor da Bienal Internacional do Cinema Sonoro (BIS). Organizou mais de 40 mostras de animação japonesa entre 2002 e 2010 e participou de produções como Taego Ãwa, A Grande Partida, No Escuro, Raízes, Pelas Beiradas, entre outros.

Wesley Rodrigues ilustrou vários livros e publicou as HQs Yuka– O Pescador de Ilusões e GonzagaO Menino Cantador. Além disso, foi diretor de animação no curta O Ogro e trabalhou na equipe principal do longa-metragem de animação Até que a Sbórnia nos Separe. Em 2013, dirigiu a animação Faroeste – Um Autêntico Western, curta vencedor de vários prêmios importantes, entre eles o de melhor animação brasileira no Anima Mundi (júri popular), melhor animação e melhor curta no Festival de Brasília (votado pelo público) e melhor animação no Animage.

Dustan Oeven é animador e diretor de filmes e animações. Entre as principais realizações autorais estão as animação Uma História de Família (1997) e Entrevista com o Morcego (2000). Além disso, ganhou vários prêmios, entre eles o de melhor produção goiana, em 2002, no 4º Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Fica), pela animação Alternativas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here