Incentivo contra violência

0
277
Formandos receberam certificados e se comprometeram em ajudar a sociedade

O dia 21 de junho ficou marcado pela vibração e empolgação de 1.800 crianças que cursam do 5º ao 7º ano do Ensino Fundamental em escolas das redes municipais, estadual e particulares/conveniadas da grande Goiânia. Elas se formaram no Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd) – turma 1º semestre de 2017.
A solenidade foi no Centro Cultural Oscar Niemeyer, em Goiânia, com a participação da presidente de honra da Organização das Voluntárias de Goiás (OVG), Valéria Perillo, que representou o governador Marconi Perillo e foi homenageada pelo apoio às desenvolvidas pela Polícia Militar. Os formandos receberam certificados e se comprometeram a ficar longe das drogas e da violência. Durante a formatura, os 12 primeiros colocados no concurso de redação, com o tema Proerd, foram premiados com uma bicicleta cada. A solenidade foi marcada por apresentações musicais.
A presidente de honra da OVG, Valéria Perillo, parabenizou os formandos e a Polícia Militar de Goiás pela iniciativa e disposição de desenvolver com as crianças um trabalho que resgata os valores éticos, morais e sociais.
O comandante geral da Polícia Militar, coronel Divino Alves de Oliveira, afirmou que as crianças que passam pelo Proerd ficam mais preparadas para enfrentar a vida. “Elas se tornam campeãs. Desenvolvem a cidadania e ampliam suas alternativas positivas para evitarem o uso de drogas e a prática da violência”, completou.
Em Goiás, o programa foi iniciado em 1998. Ao longo de sua história no Estado, o Proerd já atingiu mais de 167 municípios goianos, chegando à marca de 770 mil 699 formandos. Somente neste primeiro semestre de 2017 foram atendidos 5464 estudantes, distribuídos em 37 escolas goianas.
O Programa Educacional de Resistência às Drogas e Violência consiste em 12 lições, com aulas semanais aplicadas ao longo do semestre. As exposições são ministradas por policiais militares fardados e acompanhados pelos professores da turma. São oferecidas várias atividades interativas e construtivas, que levam em consideração as experiências do cotidiano dos alunos e, sobretudo, exploram suas potencialidades. As aulas são dinâmicas e contam com dramatizações e estudo de casos.
As lições desenvolvidas ao longo do programa são centradas em objetivos como: adquirir habilidades e conhecimentos para reconhecer e resistir à pressão dos companheiros quando do oferecimento de drogas; desenvolver a autoestima; aprender técnicas de como estar seguro; aprender a lidar com o estresse e a resolver conflitos; aprender a tomar decisões por si mesmo e ajudar na redução da violência; adquirir noções de cidadania e considerar as consequências dos atos de vandalismo e de violência.
Em salas de aula, os policiais militares também detectam dentre as crianças aquelas que são vítimas de maus tratos, bullying, violência sexual, bem como pais que são usuários e traficantes de drogas. Diante dessas situações, os instrutores fazem relatórios ao Comando da Polícia Militar e estes são encaminhados à Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), Conselho Tutelar Regional, Ministério Público da Infância e da Juventude, e ao Juizado da Infância e Juventude.
O Proerd é uma adaptação brasileira do programa norte-americano Drug Abuse Resistence Education (Dare), surgido em 1983. No Brasil, o projeto foi implantado em 1992, pela Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro e, hoje, é adotado em todo o Brasil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here