Reflexão e debates antes das férias

0
837
Estudantes com intermédio do professor dialogam sobre a importância de manter e melhorar os relacionamentos pessoais

Antes do encerramento do primeiro semestre, alunos são incentivados a realizar pesquisas e estudo com foco do tema do concurso de redação

Fabiola Rodrigues

O Concurso de Redação Goiânia na Ponta do Lápis é motivo de empenho para estudos ainda na última semana que antecede as férias de julho. Com incentivo dos professores, estudantes estão focados e envolvidos em debates e produção de texto em sala de aula, focados no tema da 18ª edição: “Como a internet tem interferido nas relações entre as pessoas?” Além dos alunos encontrarem facilidade para discutir a temática com os colegas, demostram total interesse em aperfeiçoar a escrita e o conhecimento para obterem boas notas nas redações.
A coordenadora Pedagógica Angelita Machado, que trabalha na Unidade Regional de Educação Brasil di Ramos Caiado, relata total envolvimento das 33 escolas no concurso e destaca a participação positiva dos estudantes na busca de meios de pesquisa e diálogo com os professores sobre assuntos relacionados ao certame, mesmo antes de terminar o semestre.
“Uma das grandes motivações de estudo para nosso aluno são as discussões e o planejamento das redações. Vemos que eles querem mostrar bons trabalhos e a dedicação é o que nos incentiva também. Isso é gratificante”, conta a coordenadora.
Outro fator motivador que vem movimentando o ambiente escolar quanto ao concurso, são os funcionários de apoio pedagógico nas escolas. Com a ajuda deles, Angelita Machado diz que o estudante fica mais informado quanto a questões de datas, regulamento e esclarecimentos referentes à elaboração dos textos.
“Envolver as escolas é uma função nossa. E para que haja a divulgação precisamos de boa equipe. Além disso, estamos considerando o concurso como uma das nossas ações pedagógicas, acompanhando e solicitando preenchimento de relatórios por parte de professores, que estão prestando conta de como estão trabalhando o tema com os estudantes. A dedicação vem trazendo resultados que engradecem o aprendizado”, diz a coordenadora.
Para Angelita Machado, o processo da construção da escrita pode se tornar uma aventura prazerosa, desde que o professor consiga inovar, criar e estimular o estudante a querer buscar o conhecimento. Ela ressalta que a inovação está fazendo parte do ensino oferecido ao aluno da unidade regional na qual trabalha, e diz que o concurso é o motivador para essa didática.
“Envolver os estudantes em uma grande jornada de trabalhos e pesquisas em nível de concurso se torna uma grande responsabilidade, mas quando o preparo é realizado com antecedência, como vem acontecendo, a chance do participante se sair bem é muito maior. Estamos contribuindo para organização do pensamento deles”, afirma, confiante, a coordenadora.
O Concurso de Redação Goiânia na Ponta do Lápis é realizado anualmente pela Tribuna do Planalto, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação e Esporte, e tem como principal objetivo desenvolver a cidadania, além de estimular a prática da leitura e escrita do estudante. O certame também premiará os alunos que escreverem as melhores redações com medalhas, certificados, smartphones, notebooks, bicicletas, TVs e bolsas de estudos da Faculdade Sul-Americana (Fasam). As premiações serão entregues aos estudantes nas etapas regionais e final.
Os educadores das escolas envolvidas terão até do dia 29 de setembro para enviar as redações dos alunos à Tribuna do Planalto. Os selecionados disputarão as melhores classificações durante a etapa final, que acontecerá entre outubro e novembro. A coordenadora diz que preparar o aluno com mais prazo de estudo garante melhor resultado.
“Faltam poucos dias para iniciar as férias, e nem por isso deixamos o estudante perder o pique de estudo. É natural que neste período a atenção dele já esteja voltada para o descanso e lazer, porém idealizamos, produzimos e as discussões sobre o tema foram e são saudáveis, inclusive servirão para que em julho possam vivenciar melhores relacionamentos com pais e amigos. O engajamento produtivo resultará em conhecimento e prática”, acredita Angelita Machado.
A secretária escolar da Unidade Regional Maria Helena Batista Bretas, Ana Silvia Medeiros, diz que incentivo ao concurso é o elemento mais trabalhado nestes últimos dias em sala de aula. Ela conta que desta vez, diferentemente do ano passado, os estudantes estão mais animados para participar, devido ao tema escolhido, que faz parte do dia a dia deles.
“Falar sobre internet e relações pessoais desperta interesse porque é algo que faz parte da vida do jovem. Observo grande interesse da parte deles, que deram início às discussões em sala ainda este mês”, relata a secretária.
Ana Silvia lembra que mesmo com alguns atrasos no calendário pedagógico, em algumas escolas da rede municipal, devido a um curto período de greve no primeiro semestre, isso não foi impedimento para chegar ao final de junho com os alunos treinados para redigir os textos.

Coordenadora Pedagógica Angelita Machado: “Preparar o aluno com mais prazo de estudo garante bons resultados”
Coordenadora Pedagógica Angelita Machado: “Preparar o aluno com mais prazo de estudo garante bons resultados”

“Estamos vivenciando uma fase prazerosa. Vejo a animação dos adolescentes que almejam ao final do ano ganhar os melhores prêmios. Para que isso aconteça, estão conscientes que a dedicação em ler, pesquisar e escrever começa agora. Essa conscientização faz toda diferença”, relata a secretária.
O Goiânia na Ponta do Lápis deixará no estudante um gostinho de quero mais. Ana Silvia Medeiros afirma que muitos estudantes retomarão as aulas no próximo semestre cheios de novidades para contar, devido às experiências que terão ao estreitar a comunhão com os familiares.
“O estudante está aprendendo a socializar de forma coletiva. Nos próximos dias, em casa ele poderá experimentar, na prática, melhorar seu relacionamento com os pais e colegas. Foi fundamental os professores incentivarem a reflexão sobre o tema do concurso”, ressalta a secretária.

Adolescentes escalarem dúvidas sobre como usar as redes sociais
Adolescentes escalarem dúvidas sobre como usar as redes sociais

“Nossa maior missão é incentivar ações sociais transformadoras”

Preparar o estudante com antecedência com estudo e pesquisa faz com que as redações sejam melhores elaboradas. O professor Paulo Sergio Alves, da Unidade Regional do Centro de Goiânia, relata que os estudantes já estão preparados para escrever. Ele esclarece que os adolescentes necessitam de orientação sobre como acessar a internet e que houve grande interesse por parte dos estudantes em explorar o tema do concurso.
“Estamos valorizando cada momento de instrução para nosso aluno ampliar o conhecimento. Aproveitar o concurso como um meio de orientação é gratificante, porque, assim, unimos forças e quem ganha são eles, além de mudarem o comportamento nas redes sociais, para melhor, é claro”, diz o professor.
Para Paulo Sérgio Alves, a unidade escolar só tem a comemorar, pois os estudantes sairão de férias com a mente cheia de aprendizado para compartilhar e pôr em prática. Pois, afinal, ficaram com a ‘tarefa de casa’ de refletir e aplicar os estudos sobre a temática do concurso, durante os próximos 30 dias de descanso.
“Desde o dia que iniciou o concurso, em maio, começamos a divulgar e trabalhar com os alunos, eles já estão bem adiantados e tenho certeza que aplicarão o que descobriram e compartilharam do ambiente escolar. Essa é nossa maior missão. Incentivar ações sociais transformadoras”, conclui o professor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here