FÉRIAS! Também é tempo de aprender!

0
1133

Os 30 dias de descanso das aulas podem se tornar uma ótima experiência de aprendizado, especialmente para despertar no estudante a importância do planejamento

Fabiola Rodrigues

As férias escolares são um período de descanso e diversão, mas, mesmo assim, é possível aprender enquanto se brinca ou viaja. Neste momento a rotina do estudante será totalmente diferente que nos dias escolares, mas criar cronogramas é fundamental para que o prazo de descanso seja aproveitado com alegria e animação. A diretora da Escola Estadual Santa Marta, na Colônia Santa Marta, em Goiânia, Karla Lopes, chama a atenção sobre a importância da criança praticar diferentes atividades em julho e destaca que os estudantes podem continuar fazendo descobertas fora do ambiente escolar.
“Este é um momento de troca de atividades. As crianças, adolescentes e jovens ficarão mais tempo com a família, porém é necessário que elaborem juntos atividades a serem feitas. Mesmo de folga é interessante que haja um cronograma a ser cumprido”, observa a diretora.
Karla Lopes lembra que muitos pais enfrentam a dificuldade de conseguir gerenciar o tempo das crianças, seja por causa do trabalho ou por conta da quantidade de dias livres que elas terão. Então para evitar que por algum momento a garotada fique entediada, ensinar que as férias são uma oportunidade de aprender a administrar o tempo é crucial.
“Projetar diversão e passeios pode ser algo que não afete o orçamento financeiro da família. São atividades simples, mas planejar será essencial para que este momento se torne prazeroso. E, claro, as descobertas ajudarão o estudante a raciocinar melhor, quando retomarem às aulas”, diz Karla Lopes.
A diretora recomenda ainda envolver as crianças no planejamento das férias, seja para viajar ou ficar em casa. Isso, todavia, não significa que ela é quem definirá tudo, mas aprenderá a ter responsabilidade, a planejar.
“Fazê-las projetar é bom. Começar a ensinar questões como essas contribui para as tornarem seres humanos mais bem resolvidos”, completa Karla Lopes.
Fazer uma grande viajem em família é o desejo de muitas crianças, mas, se isso não for possível no momento, existem outras inúmeras maneiras de diversão. É possível a pais e filhos aproveitar o tempo livre para distração e brincar de forma agradável.
“A relação dos familiares com o jovem pode melhorar muito quando fizerem alguma atividade juntos. Brincar, passear no Mutirama, Zoológico, fazer competições, andar de bicicleta, jogar futebol, fazer tarde de culinária são diversões que garantem dias prazerosos e de animação”, diz a diretora.
Para que o estudante continue sua jornada de ensino, descansar é essencial. Karla Lopes ressalta que o aluno deve aproveitar ao máximo os dias de descanso durante este mês. E deseja que ele volte cheio de energia e motivação para o segundo e último semestre do ano letivo.

 Aproveite as férias

(Veja as sugestões de brincadeiras que toda criança gosta)

* Soltar pipas
* Desfile de moda
* Fazer origami
* Criar jardinagem
* Fazer bolhas de sabão
* Brincar de casinha
* Fazer arte com papel
* Criar brinquedo
* Preparar um telejornal
* Montar peças teatrais
* Escrever história em quadrinhos
* Montar quebra-cabeça
* Planejar tarde de jogos musicais
* Ouvir contação de histórias
* Participar de gincana
* Acampar dentro de casa
* Fazer um piquenique
* Observar as estrelas
* Ler
* Ir ao cinema
* Frequentar parques
* Estar com os amigos


Falta de dinheiro não impede diversão

Mesmo que a situação financeira não esteja favorável para viagem ou passeios, existem outras opções que a família poderá proporcionar à criança. Segundo a psicóloga Maris Eliana, independentemente das finanças o fundamental é que os pais tenham consciência sobre a importância da interação com os filhos.
“Em primeiro lugar, é preciso identificar uma atividade que seja prazerosa e que possa ser feita em conjunto. É necessário que essa interação agrade a todos”, orienta a psicóloga.
O mais significativo é dedicar um tempo, seja curto ou longo, para curtir com os filhos – ressalta Maris Eliana. Existem fatores que atrapalham um pouco a interação, como o quesito criatividade dos pais. A segurança, por exemplo é um aspecto que conta bastante na hora de escolher um lugar para o lazer.
“As crianças que moram em regiões perigosas, por exemplo, não têm a mesma liberdade que antigamente, no sentido de ir brincar na rua, subir em árvore. Então é bom que os responsáveis estejam presentes no local de brincadeiras”, acrescenta a psicóloga.
Os lugares mais procurados para descontração são os parques, circos, cinemas e clubes, mas nem todas as famílias possuem tempo ou dinheiro disponível para irem a esses locais. Nesse caso, Maris Eliana diz que, quando os pais dispõem de pouco prazo para a criança, ela inevitavelmente acaba usando as tecnologias digitais como meio de diversão.
“O ideal é que os familiares se organizem para passear com os filhos. É primordial haver momentos juntos. Então, se os pais chegarem mais cedo em casa, por exemplo, podem se programar para brincar com os filhos. Mesmo se estiverem cansados, vão divertir junto com as crianças, seja jogando damas ou lendo uma história para elas. De qualquer modo, estarão próximos e esse é o foco”, frisa a psicóloga.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here