A projeção nacional de Marconi

0
493

Marcione Barreira
marcionebarreira@gmail.com

Uma das qualidades de Marconi Perillo é saber manter-se em evidência. Em conversas descontraídas, os próprios adversários do governador admitem que ele sabe, como poucos, utilizar o vasto e complexo espaço midiático, disponível para qualquer pessoa, mas altamente potencializado quando bem gerido por uma figura pública de proeminência natural no caso de um governador de estado. A permanente dedicação, ancorada numa equipe competente, traz resultados. Além de desvincular sua figura de situações negativas, a utilização correta e profissional das redes sociais e mídia em geral pode trazer frutos. E no momento Marconi aparece em situações altamente positivas na imprensa nacional como sendo o nome mais forte do PSDB para comandar os destinos do partido nos próximos anos. A seu favor naturalmente conta o fato de ter vencido as últimas cinco eleições em seu estado – quatro concorrendo ao governo e uma ao Senado, além de que, na vez em que não foi candidato, elegeu governador, seu então vice, Alcides Rodrigues. Chega a ser um fato incontestável a capacidade que tem Marconi de unir forças em seu entorno, o que pode ser confirmado com o permanente esvaziamento do discurso da oposição em nível estadual. Não por acaso, Marconi e o também tucano Geraldo Alckmin, governador de São Paulo, estão empatados no ranking de governadores mais influentes do Brasil, elaborado pela Eureka Comunicação com base em dados do Scup, Tweet Rank e Socialbakers Analytics.


“A chave do sucesso é a oportunidade, e a atuação do governador na Educação é modelo na geração de oportunidades”

Viviane Senna durante assinatura de parceria técnica entre o Governo de Goiás e o Instituto Ayrton Senna


Rápidas

O vice-governador José Eliton anunciou que o governo estadual vai convocar 2,5 mil policiais militares em breve.

A convocação irá reforçar a segurança no Estado e está prevista para ser realizada dia 6 de setembro, véspera de feriado nacional.
O comunicado foi feito durante a passagem do programa Goiás na Frente na região oeste do estado.

O  jornal Estado de S. Paulo publicou que Goiás foi um dos estados que mais reduziram índices de homicídios.


Boa notícia
A Câmara dos Deputados aprovou na última semana medida provisória que concede o parcelamento das dívidas previdenciárias de estados e municípios com o INSS em até 200 parcelas mensais. Para aderir ao parcelamento é preciso quitar, antes, 2,4% do valor da dívida, à vista e sem reduções, ou em até seis parcelas iguais e sucessivas, de julho a dezembro de 2017.

Dívidas
A notícia é boa para os municípios, que têm sofrido com a crise financeira há tempos. Dados da Receita Federal, de junho, apontam um total de R$ 90,1 bilhões de débitos previdenciários exigíveis de responsabilidade de estados, Distrito Federal e municípios.

Votos dos goianos
Dez deputados federais goianos participaram da votação. Votaram pela aprovação do parcelamento: Daniel Vilela (PMDB), Delegado Waldir (PR), Fábio de Sousa (PSDB), Giuseppe Vecci (PSDB), Magda Mofatto (PR), Pedro Chaves (PMDB), Rubens Otoni (PT) e Tiago Peixoto (PSD). Os deputados Alexandre Baldy (PODE) e Lucas Vergílio (SDD), votaram não.

BRT
A Câmara Municipal debateu na última semana, em audiência pública, a paralisação das obras do Bus Rapid Transit (BRT) em Goiânia. Em pauta, o atraso das atividades e a falta de repasse de verbas, além da falta de pagamento a alguns funcionários. Os responsáveis pelo repasse da verba responderam por meio de nota.

Sem saldo
O superintendente Regional da Caixa Econômica Federal, Marcos Donizete Lourenço da Silva, esclareceu que o banco não suspendeu a liberação de valores à Prefeitura, apenas aplicou o ajuste de preços apontados pela Controladoria Geral da União e Tribunal de Contas da União que disse não haver saldo a liberar.

Investigação
A Comissão Especial de Inquérito (CEI) das Contas da Prefeitura, que investiga irregularidades nas gestões públicas entre os anos 2008 e 2016, recebeu na última semana dois ex-dirigentes da Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg). Paulo de Tarso Batista foi presidente e Paulo César Fornazier, ex-diretor administrativo, entre janeiro de 2013 e janeiro de 2014, na administração de Paulo Garcia.

Aumento desproporcional
Relator da comissão, o vereador Jorge Kajuru (PRP) apresentou um fato investigado pelo Ministério Público estadual.  O MP apurou que a Comurg teve um aumento de quase 300% nas despesas com a folha, durante o período, sem que houvesse investimento na melhoria dos serviços que justificasse o grande aumento.

Justificativa
Quanto ao inchaço da folha, Tarso afirmou que outras questões da Comurg tiveram prioridade” durante a sua gestão. “Confesso que os problemas eram tantos que não me preocupei em fazer um estudo sobre a folha de salários”. Já Fornazier culpou o excesso de ações trabalhistas pelo aumento dos gastos com pessoal.

Violência nos estádios
O deputado estadual Charles Bento (PRTB) apresentou projeto, na Alego, para coibir e pacificar o ambiente nos estádios de futebol através do cadastramento da biometria dos torcedores. O projeto tramita na CCJ e aguarda parecer do relator, deputado Francisco Jr (PSD).

Oposição
O deputado estadual Luis Cesar Bueno usou a tribuna da Assembleia para acusar governo Temer de vender a Eletrobrás para quitar dívidas com deputados. Bueno refere-se à ideia de que o presidente da República teria comprado o apoio dos parlamentares na votação pelo arquivamento de denúncias contra ele.

Consequência
“A privatização é um dos mais novos retrocessos anunciados pela agenda golpista, além de ser uma alteração geral e drástica do marco regulatório do setor elétrico, criado nos governos Lula e Dilma, que assegurou segurança energética do país”, enfatizou Bueno. Para ele, a venda resultará no aumento da conta de luz.

Maior bancada
O PSDB pode passar a controlar grande parte das cadeiras da Assembleia. Confirmada a filiação de Jean Carlo (PHS), insatisfeito com a cúpula nacional do partido, o PSDB terá 14 representantes ou 34% do legislativo.

Domínio
A supremacia do PSDB na Casa iniciou-se em 2014, com a eleição de sete deputados: Mané de Oliveira (62.655 votos), José Vitti (43.867 votos), Iso Moreira (37.430 votos), Marquinho Palmerston (37.273 votos), Gustavo Sebba (33.760 votos), Lêda Borges (32.217 votos) e Nédio Leite (29.900 votos).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here