Ainda há tempo de participar do concurso

0
516

Com o período máximo para a entrega das redações até o final deste mês, estudante da rede municipal e particular ainda têm prazo para participar do concurso e concorrer a diversos prêmios

Fabiola Rodrigues

Os estudantes da rede municipal e particular de ensino da capital têm até o próximo dia 29 para entregar os textos que vão concorrer à 18ª edição do Concurso de Redação Goiânia na Ponta do Lápis. Portanto, quem deseja concorrer aos prêmios deve apressar a produção. Com o tema “Como a internet tem interferido na relação entre as pessoas”, o concurso foi lançado com intuito de instigar a reflexão sobre as relações humanas nas redes sociais. O aluno interessado pode aproveitar as últimas semanas para dedicar à pesquisa e escrita, aumentando a chance de ser um dos selecionados para ganhar os prêmios.
A coordenadora da Regional Municipal de Educação Jarbas Jayme, Palmira Misma Pires, orienta o estudante neste momento a aproveitar o tempo para praticar leitura e aprimorar a escrita. E também a desenvolver diálogo com a turma e professor.
“Ler sobre o tema ajuda muito e colabora para redigir um texto melhor. Conversas com professores e pessoas que saibam sobre a temática é outra boa estratégia. Vale a pena dedicar, os alunos têm a ganhar principalmente conhecimento”, observa.
A coordenadora lembra que o envolvimento do estudante se torna um ato de superação, pois ele descobre a capacidade que tem de estudar e produzir bons resultados. Nesse processo, buscar incentivo com pais e educadores é uma das formas de obter sucesso na redação.
“Tudo que incentiva ao crescimento educacional é válido. Os alunos devem incluir a família e os professores nos sonhos e projetos deles. Se desejam alcançar as premiações, não conseguirão sozinhos”, ressalta.
Além de unir estudantes da rede pública e particular em uma disputa sadia, o concurso de redação possibilita interação de crianças e adolescentes de diferentes colégios de Goiânia e todos têm as mesmas chances. O concurso premiará os alunos que escreverem as melhores redações com medalhas, certificados, smartphones, notebooks, bicicletas, TVs e bolsas de estudos da Faculdade Sul-Americana (Fasam), de acordo com o desempenho nas redações.
Atrativos para chamar o estudante a participar do concurso, os prêmios servem para animar ainda mais aos que já estão participando. Palmira Pires diz que o aluno fica especialmente empolgado ao saber que o trabalho intelectual dele poderá ser reconhecido.
“O formato usado para instigar no estudante o desejo de ler e escrever é maravilhoso. Tudo aquilo que estimula a aprendizagem, principalmente fora dos ‘muros da escola’, é bem-visto pelos estudantes. E é ótimo saber que os trabalhos feitos por eles serão de alguma maneira recompensados, vale a pena”, destaca a coordenadora.
À frente da coordenação de mais de 30 escolas municipais, Palmira está confiante que muitos estudantes aproveitarão as últimas semanas que antecedem o prazo de entrega das redações para aprimorar o conhecimento e caprichar nos textos.
“Tenho ótimas expectativas quando ao envolvimento dos nossos alunos. Temos realizado um bom trabalho em classe com eles, junto aos professores. Buscamos ao máximo divulgar os benefícios para quem estiver participando. Vamos ter pessoas que receberão prêmios”, diz, confiante.
O concurso é realizado pela Tribuna do Planalto com o apoio da Secretaria Municipal de Educação e Esporte (SME) de Goiânia. O principal objetivo é ampliar o aprendizado do estudante através de pesquisa, argumentação, desenvoltura do senso cognitivo e textos escritos.

Reforço da proposta de ensino  
Além de incentivar a reflexão, a leitura e a escrita, o Concurso de Redação Goiânia na Ponta do Lápis é considerado integrante dos projetos pedagógicos das escolas da capital. Por este motivo os educadores também embarcam nessa jornada rumo ao crescimento educacional. A coordenadora pedagógica da Regional de Educação Maria Thomé Neto, Romilda Júlia, relata que a proposta enriquecedora vai de encontro com todos os quesitos de ensino pedagógico das escolas. Ela atribui a grande participação dos estudantes ao formato de estudo oferecido pelo concurso, por meio de debate e diálogos.
“Existe boa participação dos nossos estudantes na produção de textos, pois o foco é a valorização da escrita. Como eles têm o hábito de ler e escrever constantemente na escola, não encontram dificuldades na hora de discorrerem sobre o assunto do concurso”, observa a coordenadora.
A participação de estudantes da rede municipal disputando com os de escolas particulares é uma forma de equiparação, que possibilita uma avaliação do nível geral da educação no município.
“Todo aluno tem capacidade de aprender, basta ser incentivado a isso. É o que fazemos. O que importa mesmo é nivelar os direitos. Nas nossas escolas os alunos passam por avaliações para analisar qual tem sido o grau de aprendizado deles. E o monitoramento da qualidade da leitura e escrita é primordial para nós. Por isso acreditamos no bom rendimento dos nossos estudantes no concurso”, diz a coordenadora.
Romilda Júlia sugere ao estudante que está participando ou que pretende escrever uma redação e participar da disputa procurar ajuda em livros, vivências pessoais, do professor ou de algum familiar, para que o texto seja enriquecido.
“Buscar incentivo próprio é o primeiro princípio. E depois estudar, procurando auxílio de pessoas mais experientes”, conclui a coordenadora.

Critérios para escola das melhores redações

A correção das redações será feita por uma equipe de professores da Faculdade Sul-Americana (Fasam), que decidirão os textos ganhadores. Para a escolha dos melhores textos, os critérios de avaliação devem levar em conta a ortografia, concordância verbal, aspectos gramaticais, capacidade de organização do pensamento, originalidade e pertinência em relação ao tema proposto. Estarão desclassificadas redações com menos de 20 linhas e com mais de 40 linhas.
As premiações estão divididas em cinco categorias, de A até E. Na categoria A, concorrem os estudantes do ciclo II do ensino fundamental da rede municipal do 4º ao 6º ano. Na categoria B, alunos do ciclo III do ensino fundamental da rede municipal do 7º ao 9º ano. Na categoria C, estão os estudantes da Educação Fundamental de Adolescentes e de Jovens e Adultos (Eaja) da rede municipal. Na categoria D, alunos do 4º ao 9º ano do ensino fundamental da rede particular; e na última categoria, E, os estudantes do ensino médio da rede particular.
Lembrando que dia 29 de setembro é o prazo limite para entrega das redações selecionadas pelas unidades escolares. Elas deverão ser entregues manuscritas, redigidas de próprio punho pelos estudantes e precisam ser enviadas para a Tribuna do Planalto, na Rua Antônio de Morais Neto, nº 330, Setor Castelo Branco, Goiânia, Goiás, CEP: 74.403-070. Telefone para contato 62 3086-4379. As escolas devem enviar os resultados e as redações originais, classificadas, exclusivamente para o endereço citado acima.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here