Na modalidade audiovisual, o Festival de Arte Educação 2017 reuniu alunos para sessões de cinema no Cine UGF

Lívia Máximo

Plateia cheia e os olhos vidrados na tela. Assim foram os três dias do Festival de Arte Educação 2017, modalidade audiovisual, promovido na última semana pela Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Educação e Esporte (SME). As sessões de cinema, no Cine UFG, Campus Samambaia, contaram com a presença de quase dois mil alunos da rede municipal.
Durante o festival, foram exibidos curtas-metragens de cinco escolas municipais, que abordaram em suas produções temáticas sociais e culturais. “Estamos descobrindo talentos dos nossos alunos e professores. Quem sabe não saem da nossa rede futuros atores, cinegrafistas, produtores e cineastas. Estou muito feliz em ver o resultado dos trabalhos. Merecem nosso reconhecimento e palmas”, afirmou o diretor pedagógico da SME, Manoel Bomfim, durante sessão de abertura do festival.
Professora na Escola Municipal Olegário Moreira Borges, Márcia Inês da Silva dirigiu a produção do curta “Alika”, que conta a história de uma menina negra. “Foi um trabalho realizado com a proposta de falar sobre o preconceito de forma positiva, com um olhar sobre a questão étnico-racial. Os alunos viajaram, conheceram a história, a cultura negra e nós produzimos o filme com a ajuda de profissionais que foram para a escola. Foi um aprendizado enorme, que envolveu de fato as crianças na pesquisa e produção de todo o conteúdo. Para nós é um prazer sempre o trabalho é exibido e apreciado”, ressaltou.
Quem dublou a voz da personagem principal do curta, a Alika, foi a aluna Maria Júlia Lucena de Lima, 11 anos. Para ela, uma experiência que vai levar a vida toda. “Foi bem legal, divertido, ensaiamos bastante e ver o resultado assim, na telona, é um orgulho. Hoje em dia as pessoas têm muito preconceito, não se respeitam. Por isso, é importante aprender desde pequeno”, pontuou.
O aluno Murilo Henrique Borges Correia, 8 anos, aplaudiu cada curta que passou na tela abordando temas como bullying, desperdício de alimentos, preconceito, preservação ambiental, meios de transporte e outros. “Muito legal! É uma oportunidade de aprendermos coisas novas, em um ambiente diferente, fora da escola. Também tem o passeio com os colegas, que é bem animado, e eu gosto muito de filme”, comentou.
Por sessão, a plateia foi formada por 150 alunos da rede municipal, que se animavam a cada filme exibido. “O mais bacana é ver a curiosidade dos alunos ao chegarem aqui. Eles ficam ansiosos pelo que vão assistir, aplaudem e é um sucesso. Agradeço e parabenizo toda a equipe da SME envolvida neste projeto do Festival de Arte Educação, que inclusive, terá outras modalidades até o fim do ano. Ainda vem muita coisa boa e bonita por aí”, disse a gerente de projetos educacionais da SME, Malu Ramos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here