Marconi divulga Goiás aos países do Cone Sul

0
503
Em entrevista à imprensa paraguaia, o governador Marconi Perillo declarou que acredita numa parceria entre os dois países: “A palavra entre Brasil e Paraguai deve ser sempre complementaridade econômica”

Durante a viagem, governador convidou o presidente do Paraguai a visitar Goiás e falou à imprensa paraguaia, dos projetos para 2018 depois de ser questionado sobre uma possível candidatura à presidência

O governador Marconi Perillo (PSDB) encerrou, na tarde de quarta-feira, 13, a Missão Comercial do Governo de Goiás ao Cone Sul, com intensa agenda de trabalho em Assunção, capital do Paraguai. Marconi esteve no Ministério das Relações Exteriores, se encontrou com o presidente da República, Horacio Cartes, e comandou o seminário sobre oportunidades de negócios entre Goiás e o Brasil Central com o país sul-americano.
Em entrevista coletiva à imprensa do Paraguai, o governador falou sobre o encontro com o presidente, a economia de Goiás e dos Estados que compõem o Consórcio Brasil Central e das perspectivas para o futuro das relações bilaterais.
“Tive uma reunião muito produtiva com o chanceler, quando discutimos vários pontos de complementaridade entre o meu Estado, a minha região do Brasil Central, com este extraordinário país, e agora uma longa conversa com o presidente da República, Horacio Cartes”, disse o governador aos jornalistas, em entrevista na Residência Oficial do presidente.
“A palavra entre o Brasil e o Paraguai deve ser sempre a complementaridade. Não se trata aqui de querer vender mais ou comprar mais”, afirmou o governador Marconi Perillo, que chegou a ser questionado sobre uma eventual candidatura à Presidência do Brasil.
Respondendo às perguntas da imprensa do Paraguai, o governador disse que pretende receber o presidente do Paraguai em Goiás.
“Tive a honra de convidar o presidente Cartes a fazer uma visita a Goiás quando da sua ida a Brasília, já que nosso Estado está muito perto de Brasília, para falar dos seus planos, políticas de desenvolvimento econômico, para uma grande plateia que será convidada por mim, pelo Fórum Empresarial, especialmente pela Federação das Indústrias de Goiás. Será uma oportunidade para que seja apresentado esse Paraguai desenvolvido, esse Paraguai que está buscando crescer muito acima da média mundial nesses últimos anos”, falou.
Marconi disse ainda que pretende “concluir bem” seu mandato como governador de Goiás.
“Estou concluindo meu quarto mandato como governador do Estado. São dezesseis anos, intercalados por um período de quatro anos, em que fui Senador da República. Penso agora em concluir bem esse último mandato e depois ver como posso contribuir com o Brasil. Provavelmente, e isso ainda não estar certo, como presidente nacional do meu partido, o PSDB”.

“Vou continuar insistindo para que os goianos se apresentem ao mundo”

“Vou continuar insistindo para que os goianos sejam cada vez mais agressivos e se apresentem ao mundo, porque as oportunidades existem”, afirmou o governador Marconi Perillo, após participar, na quarta-feira passada, 13, de uma série de compromissos no Paraguai, onde finalizava a agenda da missão comercial ao Cone Sul.
Marconi se reuniu com o Chanceler Eladio Loizaga, no Ministério de Relações Exteriores, e, depois, foi recebido pelo presidente do Paraguai, Horacio Cartes, na sede da Presidência da República, em Assunção. Lá, falou à imprensa.
Na reunião com o chanceler, Marconi discutiu a complementaridade econômica, e ressaltou, depois, na entrevista coletiva, que o termo passa a ser a palavra-chave da relação entre Brasil e Paraguai.
“A palavra entre Brasil e Paraguai deve ser sempre complementaridade. O Paraguai oferece uma política fiscal tributária extremamente atraente, e nós também temos muito a oferecer”, pontuou.
Eles também debateram onde e como é possível Goiás e Paraguai convergirem mais, com intuito de promover maior desenvolvimento econômico e geração de emprego, que é uma das principais metas do Estado e daquele País.
“Temos excelentes relações entre Paraguai e Brasil, e agora com o Estado de Goiás também”, ressaltou Eladio Loizaga, a quem Marconi presenteou com uma tela do renomado artista plástico Antônio Poteiro.
Em seguida, o governador foi recebido pelo presidente do Paraguai, Horacio Cartes, na sede da Presidência da República, em Assunção. No encontro, também estava presente o ministro da Indústria e Comércio, Gustavo Leite, com quem Marconi acertou uma missão técnica a Goiás dentro de 15 dias, para que discutam uma aproximação maior nos pontos de convergência entre Goiás e o Paraguai.
“Depois, o ministro deve ir novamente a Goiás levando uma missão comercial, e deveremos fazer rodadas de negócios objetivas. Também convidamos o presidente do Paraguai para vir a Goiás no final do ano, quando haverá, em Brasília, uma reunião do Mercosul”, informou.
Marconi falou ainda sobre as potencialidades e a diversidade econômica de Goiás, destacando a pujança da região Brasil Central, responsável por mais de 50% da produção alimentícia do País.
“Goiás agrega, hoje, o que há de mais avançado em termos de tecnologia e inovação na agricultura, pecuária e mineração, na produção de commodities. Isso faz com que tenhamos hoje muito mais produtividade e competitividade. A cada dia, com essa tecnologia nossa, podemos utilizar mais áreas degradadas para produção alimentícia”, disse.
Ele também discutiu a política de incentivos fiscais e a relação econômica com outros países, consolidada a partir das missões comerciais.
“Se nós conseguimos crescer extraordinariamente nos últimos 18 anos na balança comercial, exportações, PIB e geração de empregos, é porque nós fomos agressivos. Visitamos os países, trouxemos investimentos. Hoje vendemos os nossos produtos para mais de 150 países ao redor do mundo”, ressaltou.

Secretária de Educação, Raquel Teixeira, durante reunião no Paraguai: parceria entre o país e Goiás vai promover o intercâmbio de estudantes, por meio do Goiás Sem Fronteiras
Secretária de Educação, Raquel Teixeira, durante reunião no Paraguai: parceria entre o país e Goiás vai promover o intercâmbio de estudantes, por meio do Goiás Sem Fronteiras

Missão atrai parcerias para a Educação e Cultura

A secretária de Educação, Cultura e Esporte de Goiás, Raquel Teixeira, participou desde o último dia 8 da Missão Comercial do Governo de Goiás no Cone Sul, com o objetivo de apresentar as potencialidades do Estado para autoridades, empresários e investidores do Uruguai, Argentina e Paraguai.
Na terça-feira, 12, Raquel participou do Encontro de Integração Goiás-Argentina, na Embaixada do Brasil em Buenos Aires. Durante palestra, a secretária falou sobre o quadro educacional desde a Educação Infantil até a formação universitária.
“Três universidades já me procuraram, portanto acredito que sairemos daqui com perspectivas reais de cooperação, intercâmbio e pesquisa conjunta”, disse Raquel.
Na sexta-feira, 8, primeiro dia da missão, em Montevidéu, o governador e a secretária assinaram um termo de cooperação com o Governo do Uruguai nas áreas de educação e cultura. A parceria vai promover o intercâmbio de estudantes, por meio do Goiás Sem Fronteiras, formação de professores, ensino da língua inglesa e a aproximação das orquestras sinfônicas do país sul-americano e do Estado.
A comitiva foi recebida pela subsecretária de Educação e Cultura do Uruguai, Edith Morais. Acompanhado de Raquel Teixeira, o governador apresentou os números e os avanços da educação formal, superior e profissional do Estado e manifestou o interesse das instituições de ensino nas três áreas em estreitar os laços com o Uruguai.
A subsecretária afirmou que a equipe do Ministério de Educação e Cultura do Uruguai ficou “muito impressionada” com o avanço de Goiás na educação, especialmente na melhoria do ensino aprendizagem.
“Temos muito a cooperar em função das transformações que estamos vivendo na Educação, para que, juntos, possamos oferecer o melhor ensino”, disse Edith Morais.
Ela citou a intenção do governo uruguaio de trabalhar em conjunto na educação básica, com destaque para o ensino de inglês e a formação de professores, além dos investimentos para o emprego das novas tecnologias de informação e comunicação nas escolas.
A subsecretária e o governador também abriram a agenda de cooperação para que as Orquestras do Uruguai e de Goiás aproximem seus músicos e direções para a formulação de um calendário de concertos nos dois países. Marconi apresentou para Edith Morais os investimentos para criação e formação da Orquestra Filarmônica do Estado de Goiás e para a Orquestra Sinfônica Jovem do Estado de Goiás, destacando que ambas têm mantido calendário frequente de apresentações em diversos países ao redor do mundo.

Empresários da Argentina conhecem potencial do estado

Durante encerramento da segunda parte da Missão Comercial do Governo de Goiás no Cone Sul, dia 12, o governador Marconi Perillo apresentou as potencialidades e oportunidades de negócios de Goiás para uma plateia de mais 140 empresários argentinos, no Consulado da Embaixada do Brasil, em Buenos Aires. Intitulado Seminário Internacional Goiás–Argentina, o evento tem como objetivo gerar negócios entre empresários goianos e argentinos e também atrair indústrias para o Estado.
“Auditório cheio. Muitos argentinos, empresários importantes vieram ouvir sobre as oportunidades de negócios com Goiás. Estamos tratando várias relações bilaterais no turismo, educação, cultura e, principalmente, na economia e na agroindústria. Estou seguro que vamos ampliar as relações e ampliar os negócios e também o mercado com a Argentina a partir deste encontro”, disse Marconi.
Embaixador do Brasil na Argentina, Sérgio França Danese afirmou ter sido frutífera a incursão do governador no País. “O governador fez bons contatos aqui, nos âmbitos governamental e empresarial. Ele trouxe a mensagem correta, que é despertar interesse dos empresários e do governo argentino”, avaliou.
O diplomata brasileiro destacou a importância deste tipo de missão. Para Danese, a construção do relacionamento entre duas nações não se faz apenas em nível federal, “mas com a participação dos estados brasileiros com as províncias argentinas”, frisou.
“Foi importante para os argentinos conhecerem melhor  Goiás, que é um estado muito pujante. É para eles também um mercado importante”, finalizou.
As Missões Comerciais realizadas pelo Governo de Goiás são parte da política estadual de estímulo ao desenvolvimento econômico e acumulam resultados expressivos para o crescimento do Estado nas duas últimas décadas. Esses resultados são demonstrados pela evolução dos números do Produto Interno Bruto (PIB), da balança comercial, da geração de empregos e da expansão do total de países com os quais Goiás mantém fluxo de comércio.
Nesse período, o PIB cresceu dez vezes, de R$ 17,4 bilhões em 1998 para uma projeção de R$ 200 bilhões em 2017. A balança comercial, por sua vez, cresceu 2,3 vezes entre 2005 e 2015, de US$ 1,093 bilhão para US$ 2,515 bilhões. O número de países para os quais Goiás exporta seus produtos cresceu duas vezes e meia, de cerca de 50 em 1998 para 152 nações em 2017.
China, Holanda, Índia, Rússia, Coreia do Sul, Irã, Estados Unidos, Hong Kong, Vietnã e Itália são os principais destinos das mercadorias de Goiás, exatamente os países priorizados pelas principais missões comerciais empreendidas. O saldo da balança comercial é positivo para Goiás, com os valores exportados superando o total de importações, evidenciando a força da economia do Estado e o resultado do estímulo do Governo de Goiás à promoção do comércio exterior.
Entre os maiores investimentos estrangeiros anunciados para o Estado nos últimos meses estão Heineken, Caracal, Gerresheimer, Orico Gold, Anglo e Heinz, todos resultados das missões comerciais realizadas pelo Governo de Goiás. É o caso também de Hyundai, Suzuki e da ampliação da Mitsubishi.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here