Marcelo Miranda apresenta o Tocantins Agro e discute parcerias com empresas japonesas

0
320

Com uma agenda positiva de propostas de investimentos estrangeiros no Estado, a comitiva tocantinense no Japão seguiu uma programação de reuniões com grupos empresariais. Recebido com honras de chefe de Estado, o governador Marcelo Miranda e sua comitiva se reuniram na sede da Mayekawa, do grupo Mycom, em Tóquio, com os dirigentes da empresa, quando eles reafirmaram a intenção de instalar uma unidade de representação de seus produtos no Estado, e a partir daí atender os mercados do Norte e Nordeste.

A empresa, líder mundial na área de refrigeração industrial, fez questão de hastear a bandeira do Brasil ao lado da bandeira de Tóquio, para reforçar os laços de cooperação entre os dois países, conforme explicou seu diretor-executivo Ichiji Ishizu. Ele foi o primeiro executivo da multinacional a viajar ao Brasil para apresentar a máquina desossadora automatizada de frango, uma tecnologia desenvolvida pela empresa, que modernizou e deu mais segurança ao processamento da carne, uma vez que a manipulação humana e mínima, evitando o risco de contaminação, por exemplo.
Ichiji Ishizu disse que o Japão importa cerca de 450 mil toneladas de frango por ano do Brasil, mas que em função dos hábitos de consumo, o país vai precisar de mais proteína brasileira. Ele disse que considera que o Tocantins pode ser um importante fornecedor desses produtos. A empresa já demonstrou interesse em se instalar no Tocantins, para participar da implantação do projeto Tocantins Agro, com o fornecimento de máquinas e equipamentos no processamento da proteína animal.
Tocantins Agro
O projeto Tocantins Agro tem como um de seus pilares o implemento da produção agrícola do Estado e a oferta de segurança alimentar para o mercado interno e externo, conforme explicou o governador Marcelo Miranda. “O Brasil passa por um momento de transição, e sob a liderança do presidente Michel Temer estamos vendo a economia se recuperar, basta olhar os indicadores. O Tocantins também passa por um novo momento, pois já estamos com nossa infraestrutura implantada e agora temos condições de nos colocarmos como um grande produtor de alimentos para o mundo. E foi isso que viemos buscar no Japão, a parceria dos irmãos japoneses, que sempre apoiaram nosso Estado e agora queremos que eles retornem em outra modalidade de investimento, a Parceria Público Privada”, enfatizou o Governador.
Para transformar a produção de grãos em proteína animal, o governo do Estado instituiu o projeto Tocantins Agro, que prevê a construção de sete barragens em rios do Sudoeste, que vão perenizar uma área de várzea tropical de 300 mil hectares. O governo do Estado vai investir US$ 165 milhões na construção da primeira dessas barragens, sendo US$ 99 milhões de recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento e US$ 66 milhões de recursos próprios para viabilizar uma área de 26 mil hectares. O restante da área, de 274 mil hectares, será ofertado na forma de concessão ou Parceria Público Privada (PPP). O sistema vai possibilitar a colheita de até duas safras e meia/ano.
Em sua apresentação, Marcelo Miranda demonstrou que o risco do projeto é pequeno, uma vez que o Tocantins já é produtor de grãos, principal insumo da ração animal; o mercado de carnes existe e está em franca expansão e o projeto tem um forte viés de inclusão social, uma vez que a criação de aves e suínos (a proteína animal) exigirá a integração de pequenos produtores, organizados em cooperativas. A infraestrutura de transporte, com a utilização dos modais rodoviário e ferroviário vai levar o produto ao Porto do Itaqui e de lá para o mercado internacional.
O vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Tocantins (Fieto) e presidente do Sindicato dos Frigoríficos do Estado, Oswaldo Stival Júnior, observou que a produção no Brasil caminha no sentido Centro-Norte e que a presença da Mayekawa na região central vai possibilitar a distribuição de seus produtos tanto no Norte quanto no Nordeste brasileiro.
O Tocantins possui 22 plantas frigoríficas e o fortalecimento da cadeia produtiva de aves e suínos cria também novas oportunidades de negócios para a empresa, enfatizou Stival Júnior.
Parcerias
A produção do Tocantins Agro será escoada via o Porto do Itaqui, que movimenta cerca de oito milhões de toneladas de grãos/ano, sendo boa parte do Tocantins. Segundo o presidente da Empresa Maranhense de Administração Portuária, Ted Lago, o porto está sendo preparado para movimentar 20 milhões de toneladas/ano e também cargas refrigeradas.
Ichiji Ishizu considera que o Tocantins Agro surge com a visão de agregar valor à produção primária, ao transformar a proteína vegetal em animal, dentro de parâmetros de sustentabilidade e segurança alimentar, e que a empresa tem condições de transferir tecnologia de ponta para ampliar a confiança do mercado e adicionar valor ao negócio.
NEC
A convite, Miranda e sua comitiva se reuniram também o vice-presidente executivo senior da matriz da NEC (Nippon Electric Company), Norihiko Ishiguro, que apresentou aos convidados uma plataforma de monitoramento de sistemas de agricultura de precisão, que está sendo testado em Portugal, mas tem no Brasil um mercado potencial para ser utilizada. O software reúne informações captadas em estações meteorológicas, sensor de solo, imagem de satélite, imagem de drones, análise de solos, dentre outros e analisa as condições de produção, alertando em tempo real para a necessidade de correção do solo, por exemplo, controle de irrigação e pragas, dando maior eficiência e produtividade na agricultura.
A comitiva também visitou o centro de inovação da NEC onde teve a oportunidade de conhecer um moderno sistema de segurança pública, que combina várias tecnologias, como a utilização de câmeras de vídeo, instaladas em pontos estratégicos, e um sistema de reconhecimento facial que já é aplicado em 14 aeroportos do Brasil.
Fundada há 168 anos, a gigante da área de Tecnologia da Informação e Comunicação possui 108 mil funcionários, está presente em 160 países, distribuída em 238 subsidiárias. A NEC Brasil foi fundada em 1968, possui 600 funcionários e foi uma das primeiras filiais fora do Japão. A empresa considera o Brasil um parceiro estratégico, tanto que enviou três executivos para participar do seminário sobre as potencialidades do Tocantins, realizado na Embaixada do Brasil em Tóquio. O governo do Tocantins convidou a empresa para participar da edição da Agrotins em 2018. (DO PORTAL AGORA-TO)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here