Exposição retrata espaços de criação de grandes nomes da arte

0
3149
Luiz Mauro assina obras da série Ateliê, expostas no Centro Cultural UFG. Abertura será nesta terça-feira, às 19h

Depois de 13 anos, Luiz Mauro volta a Goiânia com a série Ateliê,  no Centro Cultural UFG, apresentado Na escuridão do ateliê nasce a luz. A abertura da exposição será às 19 horas desta terça-feira (21/11). A mostra traz 18 pinturas que retratam os ambientes de criação de artistas brasileiros, como Rubem Valentim e Lygia Clark, e de internacionais, como Claude Monet, Auguste Renoir, Anish Kapoor, Ad Reinhardt, Roy Lichtenstein, Benjamin Johnston e Georgia O’Keeffe. As obras seguem em cartaz até 26 de janeiro, abertas para visitação de segunda à sexta, das 9 às 12h e das 13 às 18h. A entrada é gratuita.

Para elaborar os trabalhos expostos, Luiz Mauro revisitou fotografias dos ateliês dos artistas e investiu na transposição de imagens documentais para o universo da pintura e do desenho. O curador da mostra, Divino Sobral, observa que na escolha das fotografias, um dos critérios do artista é o alto contraste e as manifestações plásticas da luz entre o preto e o branco. “O objetivo de Luiz Mauro não é reproduzir literalmente a fotografia e sim utilizá-la como matriz para a construção de uma obra que atinja um estado poético repleto de melancolia e que exibe sua existência autônoma”, teoriza.

Sobral considera ainda que há uma teatralidade nas obras da série Ateliê, característica que, de acordo com ele, “é obtida pela perspectiva dos enquadramentos, pelo ritmo das linhas que definem os espaços, pelas bordas escurecidas dos planos e pela oposição marcada entre a escuridão e a luz, que conferem certa propriedade barroca às obras, característica esta que não se encontra nas matrizes fotográficas”.

O artista

Luis Mauro começou a pintar no início da década de 80, na cidade goiana de Inhumas,  abordando sempre a história da arte, a memória, a subjetividade e os espaços arquitetônicos. Elementos estes presentes nos desenhos expostos, que têm o papel como suporte e recebem várias camadas de nanquim, sendo finalizados com a tinta a óleo. “Trabalhei muito tempo somente com o nanquim, mas só fui conseguir obter o resultado que buscava quando o associei à tinta a óleo, que trouxe mais força e densidade à pintura. Considero a obra que venho produzindo ultimamente como a mais elaborada que já realizei, envolvendo várias etapas”, comenta Luiz Mauro.

 

Serviço

Assunto: Exposição Na escuridão do ateliê nasce a luz

Local: Centro Cultural UFG – Avenida Universitária, nº 1533, Setor Universitário, Goiânia

Abertura: terça-feira (21/11), às 19h

Período de visitação: de segunda à sexta-feira, das 9 às 12h e das 13 às 18h, até 26/01

Entrada: gratuita

Contato: Assessoria de Comunicação da UFG – 62 3521-1311

Fotos: Divulgação

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here