Polícia faz perícia no local em que mãe e filha foram atropeladas

0
517

Nesta quinta-feira, 23, peritos da Polícia Técnico-Científica (PTC) estarão na avenida Rio Verde, onde mãe e filha foram atropeladas por uma caminhonete em alta velocidade, na madrugada do dia 11 de outubro. A mãe, Luciana de Souza Gomes, de 35 anos, e a filha Emilye Souza Ferreira, de 17 anos, foram socorridas e levadas ao hospital mas apenas Emilye sobreviveu.

Os peritos vão fazer a calibração das oito câmeras de vídeo-monitoramento que registraram cenas do acidente e vão realizar procedimentos diversos para calcular a velocidade do veículo que atingiu as duas. O trabalho será iniciado às 9h, na Avenida Rudá e deve prosseguir durante toda a manhã. Ao todo, serão periciados trechos das avenidas Rudá, Tapajós e Rio Verde, nessa ordem.

A Guarda Civil Metropolitana (GCM) de Aparecida de Goiânia e a Superintendência Municipal de Trânsito de Aparecida de Goiânia (SMTA) farão o isolamento do percurso e a organização do trânsito.

O acidente

Na madrugada do dia 11 de outubro, a organizadora de estacionamento Luciana de Souza Gomes, de 35 anos, e a filha dela, Emilye, de 17, estavam em uma moto, voltando do trabalho, quando foram atingidas por trás pela caminhonete dirigida por Rodolfo Christo Djorgjive, de 33 anos.

As vítimas estavam paradas em um cruzamento, em respeito ao sinal fechado, quando foram atropeladas. A caminhonete estava em alta velocidade e, com o impacto, as duas foram arremessadas a 80 metros de distância do local da batida.

O motorista da caminhonete não prestou socorro às duas e só parou depois de bater em um poste. Ele se recusou a fazer o teste do bafômetro  mas foi submetido a exame de sangue no Instituto Médico Legal (IML), que constatou a embriaguez.

Rodolfo Christo Djorgjive passou por audiência de custódia e continua preso. Por decisão da 4ª Vara Criminal de Aparecida de Goiânia ele não responderá ao processo em liberdade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here